Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A PAZ

Desde que o homem existe, existem várias religiões, e a humanidade não parece ter aprendido nada. As religiões insistem em conceitos, mas os conceitos não melhoraram em nada a situação dos homens. Para o Budismo, a paz passa não pela afirmação de conceitos, nem de dogmas, mas sim pelo autoconhecimento. Conhecendo quem sou eu, o que é este “eu”, do que é composto, do que é feito.A nível sutil, imperceptível. Então eles exercem desde cedo um treinamento para isto, que culmina com a prática da “meditação”. Jesus declarou certa vez : "vigiai e orai, para que não venhas cair em tentação”". Esta declaração tem muito haver com os budista. O Buddha enfatizou a conscientização de nossos concomitantes mentais e de nossos corpos, como ferramenta para o autoconhecimento. Temos de conhecer nossas sensações, nossas percepções, nossos pensamentos, nossa consciência, em primeira mão, através da observação. Somente em vigilância, ou Atenção Plena, podemos nos conhecer, podemos ver cada sensação, cada percepção, cada pensamento, sem palavras, sem conceitos.
Aprendemos a desenvolver uma atitude de testemunha. Em vigilante testemunha vivemos o momento presente. Basta fecharmos um pouquinho os olhos, para ver que a atividade mental não pára, é agitada, e corre para lembranças do passado ou para projeções do futuro. Mas nunca está aqui no presente! Somente em vigilância, ensinou o Buddha, podemos ver nossos “eus” ou nossos “parentes” como eles realmente são, sem nos apegarmos, sem sermos levados por eles.
Cristo disse:”Deixai seu pai, sua mãe, seus bens, e então segue-me.” Isto enfatiza mais uma vez a necessidade de excluir das nossas vidas esses “parentes, agregados psicológicos”.Sem necessidade de agarrarmos nada, não há necessidade de apego. Agarrando, geramos sofrimentos e conflitos. A meditação é um meio eficaz para apaziguarmos a mente, gradualmente. Mas necessita-se de empenho, prática, esforço. No estado vigilante da  Atenção Plena, não mais o apego aos concomitantes mentais, não mais a tirania do ego. Em vigilância, desenvolvemos a paz interior, desenvolvemos a compaixão, desenvolvemos a Sabedoria. Aliás, seria bem melhor dizer: em vigilância, descobrimos a nossa paz interior, descobrimos que temos compaixão, evidenciamos a sabedoria!
Já que tudo está latente em nós, mas os condicionamentos negativos e pesados obscurecem, como nuvens carregadas ou uma janela fechada, a luz do sol interior.
Como dizem os hindus:"temos necessidade de retirarmos os véus de ISIS,que encobre nosso verdadeiro SER"!

Paz Profunda!!!
nova era
Enviado por nova era em 17/05/2005
Reeditado em 17/05/2005
Código do texto: T17432
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
nova era
Balneário Camboriú - Santa Catarina - Brasil
31 textos (46365 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:30)
nova era