Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Viva a Paixão!!!

Sentimento inominável que é essa tal de paixão. Derradeira, perdida, fanática, melancólica, gratificadora, depressiva, extenuante, eufórica, prazerosa, frustrante, avassaladora, doentia, etc, etc e etc. Se for classificar o que é paixão em palavras com certeza a bíblia ficaria pequena em relação ao tamanho deste livro que continha os adjetivos para classificar tal sentimento.

        Não só seres humanos, que somos todos, que se apaixonam. Prestando a atenção ao redor vimos todos os tipos de animais, que também somos todos, possuírem este sentimento. É uma coisa natural, divina, instintiva, o mundo necessita deste sentimento para seu bem estar. Não me refiro a apenas paixões pelo sexo oposto, ou em alguns casos até o mesmo sexo, digo isto respeitosamente , refiro-me a todas as paixões, como o futebol, o time do coração, o carro, a casa, o barco, a pescaria, as cachaçadas, a música, a vida noturna, a lua, aos animais. Temos os mais variados tipos de paixões, aquela fanática pelo seu carro, cuidando, lavando, encerando, com dó até de sair com ele na rua para que nenhum pombo bom de mira acerte uma bomba bom no meio do capô e outra bem no meio do pára-brisa, quase que um recado, “pombo fulano de tal passou por aqui”. Cito uma colisão com carro, por isto o exemplo ali em cima. O proprietário tinha uma paixão tão grande pelo seu carro que as vezes pensamentos de que gostava mais do carro a namorada pairava pelo ar. Mas, num belo dia, uma tragédia aconteceu em um cruzamento, o pior para este pobre infeliz, uma batida. Extremamente furioso o proprietário entra em desespero, grita, xinga, esperneia, o pobre senhor do outro carro ficou até assustado, em vão, tentava acalmá-lo alegando que possuía seguro completo que cobriria os gastos do concerto. Isto não parecia ao menos entrar em sua cabeça, ele tinha uma paixão extrema pelo carro, parecia até um velório, até que um outro infeliz, proprietário de instrumento musical, após o fato alega o seguinte. “Foi só um carro, agradeça por não se machucar e o outro condutor possuir seguro”, mas que bela porcaria ele falou, pois imediatamente ele responde: “E se alguém chegar e quebrar seu instrumento no meio?”. Tivera este infeliz que engolir seco, pois possuía paixão por seu instrumento tal quanto seu amigo pelo carro.

        E se apaixonar por alguém então, que maravilha. Que delícia aqueles momentos em que fica anestesiado pensando na pessoa amada, esquecendo desse mundo todo ao seu redor. Tudo é motivo para se agregar pensamentos a paixão. Vê um casal de namorados pensa nela, vê uma foto de casamento, a lembra, vê o Domingão do Faustão, e já fica imaginando ela ao seu lado abraçadinha vendo as Vídeos-Cassetadas e rindo pela nonagésima vez com aquela que passa todo domingo da tia gorda caindo no lago, a noite já na hora de dormir fica com pensamentos mais “calientes”, fica pensando naqueles “pegas nervosos” dentro do carro. Esta e a delícia de se apaixonar, ficamos bobos, sem reação, parecendo literalmente crianças.

        Aí, encontramos com a paixão, ela está ali, a sua frente, com você, seja no carro, no colégio, no bar, na igreja, seja aonde for, então começa todo aquele jogo de sedução, um olhar aqui, outro ali, umas conversas com algumas piadinhas no meio, gargalhadas. Ahhhh!!!! As Gargalhadas. Neste momento é o ápice, a gargalhada é a expressão da alma, como é belo o sorriso de sua paixão, tudo fica em câmera lenta, é uma dose de endorfina no corpo, ficas nas nuvens. Até que acontece o momento mor do apaixonado, o primeiro beijo, aquilo parece ouvir fogos de artifício ao redor. Quem nunca sentiu isso arranja alguém e beija em ano novo, á bem parecido. Muitas vezes a paixão vem depois dos primeiros beijos, aquela “ficada” já está revirando você por dentro, seu coração já está batendo mais forte por ela, cada vez que efetua uma ligação a adrenalina está a mil, quando recebe fica eufórico.

        Com a cabeça afogada em pensamentos, coração revirado de sentimentos, aquilo tudo entalado dentro de você, como uma panela de pressão com o suspiro girando feito um louco prestes a explodir, você se declara, demonstra para ela todas suas intenções, mostra que está perdidamente apaixonado. Neste momento, com aquele sorriso de anjo, ou como naquela novela “anja” ela vira para você com todo aquele ar maravilhoso, pois sua expectativa é das maiores, e com aquele semblante divino ela responde para você num toque sutil, meigo, maravilhoso, um estupendo “NÃO!!!”. Ai que maravilha, ela arrebenta com você, te destrói, uma dinamite explode em seu coração, seu queixo cai, você olha bem para o rosto de sua amada e diz: “Como?”. Aí vem aquela avalanche de justificativas: Não quero nada de sério, só quero curtir, gosto de outro, você não é do meu tipo, eu percebi que não terá futuro, foi bom te conhecer mas..., estou me dedicando a meus projetos, acabei de sair de um relacionamento, não te contei mas sou casada.

        Pobre dos apaixonados com seus corações partidos, vão se acabar, geralmente no álcool, nos bares da vida, numa tentativa desesperada de suprir um pouco a dor, nem que se por momentos, bebem até perder a consciência e acorda com a lambida do cachorro na sua boca. É compreensível isto, bebem para esquecer os problemas do coração por pouco tempo, os amigos pedem para parar e você não para, só você sabe o que está passando, então junta-se o psicólogo Dr. Vodka e faz algumas sessões. Acabar com a paixão é difícil, muitos falam quem para curar uma tem que sair por aí a “caça”. Mas nem sempre você consegue acabar com este sentimento simplesmente atrás de outra pessoa, ele fica encravado em seu peito e não sai de lá, pobre dos que se apaixonam por pessoas que não as querem, mas o mundo é assim, nem tudo é do jeito que queremos ou que gostaríamos que fosse.

Apaixonar é maravilhoso, mesmo quando acontece frustrações, nos apaixonamos fácil porque somos emotivos, necessitamos de alguém ao lado, para dividir momentos, alegrias, tristezas, euforias. Até mesmo precisamos daquela “briguinhas” sempre, daquelas desavenças. Apaixonar é viver, é saber viver, é apreciar a vida. Sem paixão não sabemos de  onde foi que viemos, porque estamos aqui e para aonde devemos ir!

Viva a Paixão


                                           Guilherme Danna
                                              19/06/2006    
Danna
Enviado por Danna em 20/06/2006
Reeditado em 20/06/2006
Código do texto: T178898
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Danna
Londrina - Paraná - Brasil, 32 anos
8 textos (2146 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:22)
Danna