Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM MUNDO DE ANJOS TORTOS

BEM SEI QUE ALGUMAS VEZES o futebol modifica a rotina do planeta. Como na Roma, onde os gladiadores cumpriam esse papel, à custa da própria vida. Como na Grécia, que se mobilizava pelos Festivais Dionisíacos. Mas eram outros tempos. E o mundo também tinha menos densidade demográfica.
Bem sei que naquele tempo como agora, a velha máxima do “Panis et Circenses” continua atual.
Durante a Copa do Mundo, esquecemos desavenças, inimizades, corrupção, política, pobreza, diferenças. O que, por um lado, é bom, saudável. Mas, ainda assim, a Copa do Mundo não passa de anestésico.
E a dor de cabeça sempre volta depois. Às vezes mais forte.
Bem sei também que o saldo é bastante positivo. Os povos e as nações se confraternizam, novas amizades são feitas, o esporte infla um desejo de competição saudável, agregador, coletivista. Muito diferente do sistema capitalista em que vivemos.
Se eu fosse candidato à presidente da Organização das Nações Unidas e, se essa organização gozasse de credibilidade, eu proporia uma Copa do Mundo por ano. Uma vez em cada país. Com eliminatórias nos restantes dos meses.
Proporia também que o esporte fosse o regente e a mola-mestra de um novo sistema de capital.
Nem socialismo, nem comunismo, nem capitalismo.
Sistema de Futebol. Onde todos precisam de todos, para o objetivo comum.
Bem sei que nesse caso, o Brasil seria sim, o país do presente, a potência futebolística, o lugar das oportunidades.
Mas também sei que só futebol não nos livraria das mazelas que o ser humano carrega desde o ventre das cavernas, quando ainda andava sobre quatro patas.
Porque o homem é um bicho torto por natureza. E sistema nenhum há de funcionar sob este aspecto.
Mas Garrincha também era torto e encantou o mundo.
Portanto, minha última sugestão como gestor da ONU seria propor também, o renascimento do homem, com o homem assumindo seu lado torto, falho, torpe.
E todos jogariam futebol, felizes. Até os que não sabem jogar, teriam lugar nos times.
Afinal, a gente sempre dá um “jeitinho” nas coisas, não é mesmo?


wallace puosso

LEIA MAIS SOBRE O AUTOR:
http://celebreiros.zip.net
Wallace Puosso
Enviado por Wallace Puosso em 26/06/2006
Reeditado em 13/04/2009
Código do texto: T182806

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wallace Puosso
São José dos Campos - São Paulo - Brasil
42 textos (1362 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:27)
Wallace Puosso