Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

" Eu e Lairzinha " - (experiência sexual)
Evaldo da Veiga


Estávamos com cinco anos e já conhecíamos
muitas coisas e para conhecer faltavam quase todas rsss
Lairzinha era um amor lindo  de gente, mas muito pirracenta, 
evocada e brigona.
Celeste, de sete anos, estava roubando sua tranquilidade.
 Nas brincadeiras de soldado/bandido, 
onde o primeiro vai procurar o segundo que se esconde,
 a dupla que Celeste formou comigo
não foi encontrada, desapareceu....
A iniciativa de formação da dupla foi de Celeste, 
mas eu podia ter impedido e não impedi...
Lairzinha ficou olhando como se não acreditasse. 
Este dia marcou nosso divórcio e o que restou foram
 os encontros esporádicos quando a saudade
apertava tanto que o orgulho se submetia à necessidade
 do reencontro.
Celeste não sabia quase nada; embora mais velha 
dois anos que Lairzinha, poderia ser aluna desta.
 Ela também tinha uma desvantagem: de vez em quando
enfiava o dedo no nariz e meio escondido levava à boca. 
Lairzinha a chamou  de porca e as duas se engalfinharam.
 Quem atacou foi Lairzinha e o motivo foi ciúme
e dedo nariz/boca pretexto.
Já que tinha arrancado o primeiro pau da barraca, 
Lairzinha resolveu baixar o temporal: mordeu meu dedo 
com muita força e manteve-o preso
até o momento que consegui força para retirá-lo
 e com ele vieram dois dentinhos de leite cariados, os de frente.
 Saiu sangue do meu dedo e muito mais da gengiva
de Lairzinha que dizia repetidas vezes: 
- tá vendo, isso é pra você ver...
Me senti culpado e triste, a primeira tristeza amorosa de minha vida.

www.recantodasletras.com.br/autores/evaldodaveiga

evaldodaveiga@yahoo.com.br
Evaldo da Veiga
Enviado por Evaldo da Veiga em 09/07/2006
Reeditado em 09/06/2011
Código do texto: T190380

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Evaldo da Veiga
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 73 anos
952 textos (313611 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 14:31)
Evaldo da Veiga