CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Uma história para nos ensinar a lição da humildade

Seu Alencar, um homem muito orgulhoso, pedante e prepotente. Seu Alencar tinha uma família muito bonita. Seu Alencar tinha esposa e três filhos. Este homem tinha um coração egoísta e completamente voltado pra si. Ele vivia em uma casa muito luxuosa e enorme. Possuía muitos empregados. Seu Alencar era do tipo que maltratava os criados da casa. Considerava cada um deles como lixo. Sempre agindo com arrogância como se ele fosse melhor do que qualquer ser humano que vivesse sobre a terra. Este homem que era um respeitado empresário. Dono de uma indústria de petróleo e gás só sabia desrespeitar seus empregados. Este homem atrasava o salário de seus funcionários e pagava uma remuneração bem abaixo do mercado. Sempre tratando os outros com altivez, sempre se considerando superior a qualquer um.
Um dia este homem foi com sua linda família a um grande supermercado próximo a sua residência. Quando distraído discutia com a esposa sobre a lista de compras sua filha mais nova, uma bebezinha saiu do carrinho e engatinhando foi em direção ao banheiro do supermercado. Alguém que estava no banheiro, uma mulher achou aquela bebezinha linda e mal intencionada pegou a criança e levou pra si.
Os pais procuraram loucamente por todo o supermercado. Pediram pra falar no auto falante e nada conseguiram. Ao saírem de lá deram queixa na polícia. Colocaram cartazes em toda a cidade oferecendo um resgate para quem encontrasse a sua filhinha desaparecida.
Mas longe dali a mãe postiça que havia roubado a bebe estava radiante porque agora tinha uma linda criança em seus braços.
Com o passar dos anos a criança foi crescendo. Seus verdadeiros pais já haviam perdido as esperanças de reencontrar sua filha. Mas a mãe ladra tinha ficado doente. Vivia uma situação bem precária. A menina ia pras ruas pedir esmolas para ajudar a alimentar a mãe e a comprar os remédios para que ela pudesse ficar boa. E em meio a toda esta situação a mãe ladra veio a falecer.
Em um determinado dia a filha agora órfã sem saber que seus verdadeiros pais estavam vivos continuava sua vida miserável a mendigar toda suja pela cidade. De repente ela se deparou com seu pai que estava saindo da fábrica. Que surpresa ela tinha a impressão de que conhecia aquele homem de algum lugar. Ele, porém sempre esnobe repudiava qualquer um que se aproximasse dele. Sua filha então toda suja foi até aquele homem bem vestido e lhe pediu uma ajuda. Ele nem lhe deu confiança. Ela insistindo tentou pegar em seu braço. O homem de forma brutal empurrou a jovem ao chão que caiu e bateu a cabeça. Ele nem mesmo socorreu aquela que ele nem se dava conta de que era sua filha. Os empregados da fábrica ao verem aquela cena correram ao encontro da jovem e a socorreram. Pegaram a jovem e a levaram para o hospital. Lá no estabelecimento de saúde a jovem teve o atendimento e socorro necessário.
A mãe da jovem, a verdadeira soube do ocorrido pela secretária da fábrica e imediatamente comprou um buquê de flores e foi pessoalmente entregar no hospital. Qual não foi a sua surpresa ao se deparar com a jovem e verificar que a mesma tinha uma marca de nascença que ficava no rosto no lado direito próximo a orelha e sem hesitar identificou a jovem como sua filha desaparecida. Aquela mãe desesperada foi investigar e constatou a realidade. Ao retornar ao hospital agora com seu esposo pegaram a jovem e a levaram para sua casa. Que situação que agora a filha não seria capaz de perdoar o pai pelo que ele havia feito a ela quando então ainda não sabia que era sua filha.
Aquela situação foi uma tapa nele em toda a sua prepotência e arrogância. Finalmente a vida havia lhe dado uma tremenda lição.
Lógico que ele teve que rever sua postura perante a vida. Tornou-se uma pessoa melhor depois de tudo aquilo. Claro que sua filha foi capaz de perdoar seu pai.
Que bom seria que as pessoas não precisassem passar por situações tão ruins na vida para aprender que ninguém é melhor do que ninguém. Para aprender que a vida tem lições difíceis para nos ensinar que todos somos iguais e precisamos respeitar nosso semelhante acima de tudo.

OBS. Tudo que escrevo esta transcrito em meus blogs marciodenassau.blogalbums.com e luizguilherme1909.zip.net/ e peço para quem ler ir até lá visitar e deixar comentários.
Amigo das letras
Enviado por Amigo das letras em 04/11/2009
Reeditado em 13/11/2009
Código do texto: T1904428
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Amigo das letras
São João de Meriti - Rio de Janeiro - Brasil
291 textos (11538 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/04/14 16:56)