Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Indulto: Sim ou Não?

 
E agora Lembo? Você é pai e é filho, mas é também o governador de um estado imenso, amedrontado pelo PCC...
Soltar os crápulas para comemorarem com suas famílias, ou não liberar ninguém mesmo que "merecedor" do indulto? Fugir dos direitos humanos ou dos bandidos? Sim, não tenha dúvida que os direitos humanos estarão marcando em cima, eu sugiro que eles dêem guaridas aos bandidos em suas casas, assim podem estar por perto caso a polícia seja "má" com eles.
Acho que agora V. Exª está entre a cruz e a caldeirinha, ou seja, se ficar o bicho pega se correr o bicho come. Se não dá o tal indulto vão querer as suas vísceras e dá-lhe ataques para externar a fúria dessa corja de bandidos.  Em contrapartida se V. Ex ª mantém o indulto, não tem como saber se quem sai, sai com lição de casa para fazer; ou seja, eles são a minoria, mas aqui na rua, crescem e acabam com o pouco da alegria de  pais e filhos que gostam de comemorar essa data.
Honestamente não gostaria de estar na pele de V. Exª porque qualquer que seja a sua decisão não vai lhe deixar ficar em paz, nem com a sua consciência e nem o nosso Estado. Há dentro desses caldeirões que são as instituições prisionais bombas poderosas prontas para serem explodidas e há ramificações delas pelas ruas prontas para serem detonadas não importando em que lugar em que hora.  O que fazer?
Não sei...de verdade,  é difícil pensar com medo, pois tenho lá na rua trabalhando viajando, estudando, filhos , sobrinhos, amigos...a vida não pode parar, ainda mais em um estado como São Paulo que é a mola mestra desse país, mas eu penso que menos falatório e mais ação ajudaria muito nesse momento.
O que é difícil compreender é que dois cavalheiros fiquem trocando farpas eleitoreiras enquanto o paulista e o paulistano tem cólicas de aflição, sai às ruas para trabalhar correndo riscos; seja por medo de perder o seu ganha pão, seja porque é um povo trabalhador e não recua mesmo diante das ameaças.
Está certo, no meio da crise o que se pode fazer é só tomar medidas paliativas que contenham o surto, mas é preciso que não se perca o foco com conversas e discussões inócuas, não serei eu a dizer o que deve ou pode ser feito, sou meramente mais uma voz abafada no meio dessa multidão que corre e sua a camisa.
À cada volta do ponteiro ficamos mais perto do caos, e a entre troca de "gentilezas" dos senhores, ficamos mais expostos ao riso sarcástico daqueles que presos não deveriam ter o direito ao uso de celulares, que no final das contas vão é tê-los mansos negociando na mesa com eles.
E agora Governador, vai pagar pra ver? Afinal quem é cidadão? Eles que mesmo encerrados em instituições penais dão as cartas sem pagar impostos,  exigindo que se cumpra a sua vontade? Ou nós que ralamos de sol a sol, que sobrevivemos as enchentes e ao caos do trânsito no dia a dia, pagando impostos cada vez mais pesados?
V.Exª sabia que nem sempre temos o direito a todas as refeições? V. Exª sabia que somos mais caçados do que eles? Pois é, somos caçados pela receita, pelo guarda do trânsito, pelo trombadinhas, pelos ladrões, seqüestradores, pelos fraudadores, pelos aproveitadores de plantão, pela mídia por não nos enquadrarmos nos tipos da moda, pelo patrão...
Dar ou não o indulto...que risco corremos nós? Até quando seremos reféns de bandidos ?
Indulto para eles ou para nós? Quem vai comemorar o dia dos pais?
Viva os pais quem nem sabem como vão passar seu domingo tão esperado...
Quem sabe a gente não faz uma comemoração fantástica ao som de balas, molotovs explodindo e iluminados pelo fogo dos nossos ônibus!
É pagar pra ver!
Feliz dia dos pais alienados! ( não alienistas)
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 08/08/2006
Código do texto: T211867

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55634 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 08:30)
Angélica Teresa Almstadter