Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SUA EXCELÊNCIA, O CANDIDATO

Mal começou a propaganda eleitoral no rádio e na tv e já somos bombardeados com uma verdadeira overdose de promessas descabidas feitas por certos candidatos e candidatas que não têm o menor constrangimento ao tentar subestimar a inteligência  do  eleitor na busca desenfreada  prelo  precioso voto. E olha que só estamos no começo da campanha.

Pelo que vimos e ouvimos até agora, os candidatos que mais cometem desrespeito para com o eleitor, pelo menos aqui no Tocantins, são aqueles que pleiteiam uma vaga à Assembléia Legislativa.

Muitos prometem coisas que são de iniciativa do Poder Executivo. Prometem que se eleitos vão “construir” esta ou aquela obra, se esquecendo que a função do Poder Legislativo é de legislar, fiscalizar os atos do Poder Executivo. Não me consta que a Assembléia Legislativa têm verbas para a execução de obras.

Se os políticos estreantes cometem essa heresia, os veteranos, candidatos à reeleição,  também não ficam atrás.

A cara-de-pau de certos candidatos e candidatas é tamanha que deixa qualquer eleitor consciente indignado. Outro dia assisti no programa eleitoral na TV, um deputado estadual, candidato a reeleição, enumerar as “obras” que ele supostamente teria feito.

Outro candidato chegou ao cúmulo de dizer que se eleito iria trabalhar para diminuir o valor do IPTU, um imposto sabidamente da esfera municipal, mostrando despreparo e desconhecimento da função parlamentar a que se candidatou.

Outro fato curioso que percebi é que será necessário a realização de  exame de DNA para saber realmente qual o deputado, candidato à reeleição é o  autor  de certas proposituras que levaram benefícios para uma determinadas localidades.

No primeiro programa que assisti, pelo nove desses candidatos à reeleição, se disseram autores dos mesmos benefícios.  Quem estará falando a verdade?  Só mesmo um exame minucioso de DNA para se saber a paternidade ou maternidade de tal proeza.

Por oportuno, ouso dizer que a  propaganda eleitoral gratuita é um mal necessário. Se por um lado, ao assisti-la ou ouvi-la  pode provocar náuseas ao eleitor  mais inteligente e atento, por outro lado, não deixa de ser uma grande vitrine, onde  os candidatos podem expor suas idéias, projetos e programas de governo ou podem simplesmente romper a barreira do ridículo.

 



Zacarias Martins
Enviado por Zacarias Martins em 17/08/2006
Código do texto: T218711
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Zacarias Martins
Gurupi - Tocantins - Brasil, 59 anos
139 textos (25644 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 08:01)
Zacarias Martins