Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Humanos

Os seres humanos, animais “racionais ou irracionais” nunca  foram  perfeitos, fracos de idéias, mentes pequenas cabeças vazias, tristes  conclusões.
 
Pouco a pouco se  multiplicam, compondo, fazendo histórias
adquirindo posses, alçando vôos. Assim surgem os homens
julgando-se completos e orgulhosos:
Alguns já nascem  completamente terminados, andam sozinhos e não sabem o que querem.
O homem quer ser  o dono de tudo, dominar as mentes mais fracas e encher as cabeças daqueles que nela, nada têm;
 
Este ser, quer ser o rei dessa nossa selva de pedras, mas não passam de reles animais, simples moscas...
Todo homem é um ser da cabeça aos pés, dos sentimentos  à  loucura, mentes adordoadas...
Não há  aquele que será como ele, não tem ....
Ainda, será, que nascerás  tal criatura:
É uma  coisa, uma incógnita, só  o tempo dirá, e como o sol ou a lua  sempre surgindo, a cada dia, num brilho diferente, cremos....

Oh! Grande homem,  imperador  do universo, guardião  dos céus, semeie, sopre junto ao vento, o amor pelos quatro cantos desse mundo.
Faça surgir desse desacreditado mundo o enigma  para  a prática da paz;
Talvez não sejas mistério,
Todo “mundo” sabe como fazer;
Ao habitante menos misterioso, à aquele, que ninguém mais acredita, discípulos ou amigos de sua própria existência.
Tudo  ainda não sei, a vida é a sua escola, a sua fonte de pesquisa, o seu “Aurélio”;
O mar, a imensidão, o infinito,
O céu, mistérios,
A matemática, cheia de regras,
A cidade, violência sem limites,
As favelas, vulcões da ignorância dos governantes,
A  educação, sombra do irreal, palco do show da vida, a bondade ignorada de um povo,
Minha razão resvalou na sua indiferença, não posso decifrar um ser, não posso ser homem ante aos olhos de quem  têm o poder de decidir sobre a minha vida..
A toda a gente, simplesmente  humana, de alma pura,  que  consegue viver sem  ser percebida,
Ah, como eu desejaria ser o criador de tudo isso!

Elenildo Bastos de Oliveira

PS.: Este texto é de meu querido pai, pois apreciem essa bela leitura.
Lady Sophia
Enviado por Lady Sophia em 04/09/2006
Reeditado em 13/09/2006
Código do texto: T232581
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lady Sophia
João Monlevade - Minas Gerais - Brasil, 25 anos
147 textos (6552 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:30)
Lady Sophia