Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Problemas enfrentados na prática pedagógica

Tendo em vista que a palavra educação significa entre outras coisas conduzir ,me deparo por muitas vezes com um quadro difício de ser revertido,
quanto mais conduzido.
São 40 à 50 vidas,destintas, comportamento os mais inesperados.
Educandos sem o conhecimento do que almejam para si.
Essa é a realidade que me cerca , alunos desprovidos de perspectivas de vida , ambição ,iniciativa e pré-requisitos.
surge então a falta de valores culturais , sociais , o não comprometimento com a sociedade a qual fazem parte.
Podemos citar o aluno que vem a escola não em busca de conhecimento mas forçados pelos pais que reconhecem na instituição educacional um lugar de estadia para o mesmo.
A escola que deveria ser vista como um lugar acolhedor, um ambiente de auto-conhecimento e enriquecimento pessoal têm sua função modificada.
As vezes assumimos o posto de "babás" , nos vemos encubidos de mprimir conceitos morais e valores que deveriam ter sido introduzido ao educando em seu lar\',em sua infância mas se perderam por algum motivo ou razão.
Enfim , estamos frente a uma realidade difício de ser modificada .
O aluno que vaga pelo pátio , é o mesmo que fuma , agride os colegas , xinga, ateia fogo ao lixo , deacata seu professor talvez implorando implicitamente por atenção.
Ele traz suas frustrações para a escola que lhe serve como vávula de escape
Em uma tentativa frustrada de auto-piedade insulta o professor que na ausência de seus pais é o ser mais próximo e fácil de se atingir por seus descontentamento.
Eu diria mais : é o ser humano a quem julgam poderem hostilizar sem serem punidos diretamente.
A medida que surge a convivência e o conhecimento entre ambos é possível que o quadro se modifique , mas é fato que o desinteresse do aluno nem sempre nem sempre se reverterá em ações concretas.
O fato é que o aluno , não se julga capaz de realizar , não se importa em fazê-lo , suas preocupações se limitam a saber se possuem muitas faltas, quando virão as férias...
Suas notas , aliás,não são motivos de inquietação , já que acredita que a presença é um detalhe primordial e suficientespara que seja promovido.
O conhecimento parece tão distante, fator de mínima importância em sua vida , parece não compreender o pêso que o mesmo pode ter em sua evolução.
É como se agisse mecanicamente todos os dias em uma Empresa ,batendo seu cartão, cumprindo seu horário mas com uma grande e triste diferença:
Enquanto funcionários teria uma produção, uma meta a ser cumprida, talvez um plano de carreira mas aqui nesta UE , sai tão vazio e desprovidos de sonhos e informações quanto entrou.
Não houve o interesse em participar em vivenciar a aula , não pensou no amanhã.
Não quis , abrir os olhos para a realidade que o espera, tão próxima , ali mesmo após o portão da escola.
Esta é a realidade que me cerca , que me incomoda.
Felismente não é uma regra mas um dado presente e, em uma proporção tão alta e assustadora que faz com que me pergunte até que ponto estarei contribuindo para que isso se modifique ? !
O que será desses jovens ?
Talvez não aja uma resposta imediata para tal pergunta.
Talvez nem eles mesmos saibam o que me dizer !!!!!!
Tabita
Enviado por Tabita em 15/09/2006
Código do texto: T241233
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tabita
Santo André - São Paulo - Brasil, 56 anos
13 textos (4730 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:24)
Tabita