Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

26 de maio de 2006

“Menina! Você tem que gostar dos seus parentes”. Ouvi isso a minha vida inteira. Mas o que é um parente? ficava me perguntando. Como se estabelece o parentesco? Marido não tem uma gota do sangue da gente, na maioria dos casos. A mãe e o pai do marido ou da mulher, também não. Se a gente for analisar pelo lado biológico, sogra, sogro, nora, genro não são nossos parentes.

Juridicamente, me disseram, não existe parentesco de “segundo grau”. Assim, só seríamos propriamente parentes dos muito próximos. Fiquei extremamente triste. Tenho um monte de impróprios “sobrinhos”, um monte de impróprios “tios” os quais prezo mais pela proximidade, afinidade e convivência que outros com uma baita porcentagem do meu próprio sangue. Coisas da vida. Mas fiquei muito mais chateada com a informação por outro motivo.

Um primo Maníglia exercia a medicina em outro país. Foi procurado em seu consultório por um rapaz americano que não tinha problemas de saúde, mas se mostrava atraído pelo sobrenome, igual ao dele. O rapaz contou que havia uma comunidade muito grande de americanos espalhados por lá, também Maníglia. Descobriram que todos eles eram procedentes da mesma comunidade italiana. No final, os dois eram primos. De terceiro ou quarto grau, mas tinham a mesma origem além  do mesmo nome.

Aí chegou a hora de falar de outros Maníglia que eram famosos. A revelação foi tão bombástica que quis testemunhas. Chamei meu marido que insiste em me chamar baixinho de “italiana grossa” quando saio no berro e deixei meu primo (ele é sobrinho do meu avô paterno, meu primo em segundo grau, os juristas que me perdoem) fazer a revelação.

A signora Maria Maníglia saiu de Montesano Sulla Marcelana, na Campânia, foi para os Estados Unidos solteira e com duas filhas pequenas. As filhas foram educadas e uma delas virou atriz famosa por seu talento e por sua beleza. Tiraram-me o privilégio e a honra de ser prima em quinto, ou sexto, ou oitavo grau da Sophia Loren. Bem, tiraram-me o prazer de subir nas tamancas e me mostrar superior e importante nos parentescos distantes mas, garantem-me, netos são parentes, sim senhora. E é isso que me importa.
Lúcia Helena
Enviado por Lúcia Helena em 20/09/2006
Código do texto: T245095
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lúcia Helena
Franca - São Paulo - Brasil, 72 anos
15 textos (823 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:33)
Lúcia Helena