CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

DROGA, O MAL DA SOCIEDADE.

 DROGA, O MAL DA SOCIEDADE.


         O que faz um jovem procurar a droga? Muitos podem pensar que é apenas a procura de novas descobertas e de aventuras, outros falam em problemas familiares e, assim, abre-se um leque de motivos. É na adolescência que a maioria conhece o álcool, a maconha e outras drogas. Muitos, com o passar do tempo conseguem se libertar ou diminuir o uso, outros se afundam e levam suas vidas para a sarjeta. A droga está na nossa sociedade como algo ilícito e proibido, mas, convivemos com ela, diariamente, e parece algo mais próximo do que pensamos.
        Há, quase sempre, um conhecido, amigo, parente, que esteja ou já foi envolvido com ela. Mascaramos, muitas vezes, quando é alguém perto da gente e, assim, procuramos esconder e passamos muitas vezes a mão na cabeça do viciado. Temos medo que ele caia de vez no submundo e esquecemos que ele pra conseguir manter seu vício já frequenta a periferia da vida. São muitas as drogas que estão acessíveis, fáceis de comprar e de localizar o seu ponto de venda. Traficantes andam pelas ruas disfarçados de cidadão e se misturam com a população, no qual, distribuem o seu produto, livremente. O usuário começa com um “traguinho” na maconha, tudo para experimentar, depois acha interessante essa “viagem” e a rotina do vício já o consome. Achando que a maconha já não faz mais a cabeça, ele procura outras drogas: cocaína, heroína e agora, mais recente no mercado da droga, o crack. O crack é barato e mais fácil de viciar. Porto Seguro parece ter sua própria “cracolândia”, convive de perto com essa droga que é barata e vicia rapidamente. Negócio lucrativo para traficantes e morte certa para os usuários.
        A droga tira a dignidade do ser humano, destrói famílias e envergonha a sociedade. O usuário, sozinho, não tem força para deixar o vício, precisa de ajuda e muita força de vontade. “A gente fuma o crack porque dá uma onda melhor que a da maconha, pena que é rápida. Aí a gente quer mais e mais, quando a gente vê já se afundou nele”, Depoimento de um usuário. Ainda disse mais: “que a gente faz tudo pra ter a droga, até roubar da família e em último caso, dos outros”.
        Existe uma discussão sobre a liberação das drogas, alguns são a favor e outros, extremamente, contra. No debate, um viciado disse que se liberar a droga, vai ser difícil o controle dos usuários, podendo até aumentar o consumo, pois essa história de que deixou de ser proibido todo mundo vai deixar pra lá, é mentira, afirma C J da Silva. A certeza é que o governo vai arrecadar impostos com a legalidade, mas será que ele vai destinar tal recurso para tratamento de viciados?
        Com a droga há um aumento na criminalidade, há disseminação de DSTs e há também o fim de um ser humano que poderia dar muito para a sociedade. A rede de tráficos é muito maior, os “aviões”, como são chamados os distribuidores da droga, esses são café pequeno, o grande chefe está escondido em mansões, com gravatas e decidindo, às vezes, até o nosso destino. Porto seguro parece ser local certo e adequado para o tráfico. Lugar turístico e a má fama de que aqui tudo pode ajudou a espalhar esse mal que é a droga.

MÁRIO PATERNOSTRO
Mário Paternostro
Enviado por Mário Paternostro em 02/09/2010
Reeditado em 24/03/2013
Código do texto: T2475027
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Mário Paternostro paternostrom@hotmail.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Mário Paternostro
Porto Seguro - Bahia - Brasil
642 textos (60023 leituras)
94 áudios (2975 audições)
7 e-livros (46 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/07/14 06:27)