Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Corações floridos

A Primavera começou, para nós, no dia 23 de setembro. Antes disso, porém, ela já nos manda mensagens coloridas e perfumadas através das flores que nascem exatamente para anunciar que está chegando a mais bonita estação do ano. Flores que mais parecem obras de arte, com suas pétalas macias, seus perfumes inigualáveis e suas cores inimitáveis. Flores que nascem cultivadas, nos jardins, canteiros ou vasos, ou que simplesmente aparecem do nada, no meio da campina ou nos mais improváveis lugares. Flores que invadem todos os nossos sentidos, deixando nos corações e nas almas aquelas mágicas sementes de ternura e de sensibilidade.
Muita gente não se dá conta do quanto as flores falam. Elas conseguem falar coisas que nós, mesmo exercitando ao máximo a faculdade da oratória, não conseguimos exprimir. As flores falam de amor de um jeito que nem o mais apaixonado dos amantes consegue imitar. As flores falam de amizade, daquele jeito simples que só os verdadeiros amigos entendem. As flores falam de saudade, conseguindo dizer, em algumas horas duras, aquelas palavras que ficam presas na nossa garganta sem coragem para sair. As flores passam mensagens de felicidade, carinho e muita alegria. As flores falam a linguagem da ternura, que é entendida imediatamente por todos os corações.
As flores conseguem falar tudo isso. Mas, infelizmente, ainda não nos acostumamos a brindar com flores mais seguidamente aquelas pessoas que nós amamos ou que nos enfeitam com as suas amizades. Quando morre alguém, imediatamente nos lembramos de enviar flores para marcar presença. E muitas vezes não nos damos conta que aquela pessoa falecida conviveu conosco por tanto tempo e, enquanto era viva, jamais recebeu uma simples rosa de presente. E agora, depois que partiu para a eternidade, que já não pode sentir o perfume das flores, que já não pode tocar com os seus dedos a maciez das pétalas, enviamos para a sua última morada as flores mais lindas...
A poetisa Gabriela Mistral é autora de um pequeno poema que diz mais ou menos assim: “Me dê uma flor em vida, uma flor bem colorida para aliviar meus ais. Depois que eu virar saudade, eu não quero mais vaidade: quero prece, e nada mais”. E Gabriela tem toda a razão: por melhor que seja a nossa intenção, quem já partiu não precisa mais de flores. Porém estas pessoas que estão vivas, ao nosso lado, nos brindando com o seu amor ou com a sua amizade, nos fazendo favores e nos ajudando a viver com mais alegria, estas pessoas, sim, merecem receber flores. E poucas vezes nos damos conta disso...
Quem sabe agora nós aproveitamos a Primavera que está iniciando para brindar as pessoas que nos são caras com muitas flores. Um botão de rosa, um ramalhete de amor-perfeito ou um buquê de qualquer flor sempre faz acender um sorriso de gratidão na alma de quem recebe. E nem é preciso esperar a chegada de alguma data especial: uma flor é presente certo em qualquer ocasião, qualquer dia e qualquer hora. Quem dá flores de presente, sem notar, está conseguindo plantar um jardim dentro do seu próprio coração. E nada melhor do que um coração florido para nos transformar em pessoas melhores, mais doces e mais sensíveis. Pessoas que até conseguem entender a magia das flores e da Primavera...



Milton Souza
Enviado por Milton Souza em 24/09/2006
Código do texto: T247935
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Milton Souza
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 71 anos
67 textos (5902 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 15:59)
Milton Souza