Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Valores e apreciadores

Valores e apreciadores
 Valores e apreciadores
 
Quanto tempo se leva para descobrir o valor de um homem? Um dia, uma hora, um ano, um século, uma vida,um minuto? Depende. Depende mais daquilo que cada pessoa valoriza do que, necessariamente, do "valor" alheio. Cada pessoa dá importância a certos atributos, dai a encontra-los no outro é uma questão de "caso do acaso".
Quem atribui mais valor a aparência física irá se encantar de imediato pelo "atraente" (de acordo com seu gosto é claro, afinal cada pessoa possui uma concepção de beleza), quem valoriza a posse de bens materiais irá se atrair rapidamente por quem demonstre ser ou seja,realmente, abastado. Logo, o valor dado a outrem depende do que cada pessoa valoriza, fazendo com que as virtudes apreciadas se liguem diretamente as virtudes do apreciador.
A questão relevante não é saber qual o valor de um homem porque ele é julgado de acordo com os olhos de seu observador, enfim, daquele que busca perceber seu valor. Em cada julgamento humano existe mais de quem julga do que de quem é julgado. Logo, quanto ao tempo para se conhecer as virtudes de alguém depende do que o "buscador" tem como relevante no que diz respeito a qualidades.
Quem valoriza o caráter, a perspicácia, a educação, a humildade, a inteligência, e todos os valores que uma alma bela e rica possui demora mais tempo para conhecer o outro do que quem valoriza a riqueza e beleza superficiais, esquecendo-se que tudo o que é, apenas material, o tempo desgasta e os ladrões levam e com tal desgaste ou roubo, muitas vezes, resta o vazio, o vácuo. Restam "nadas" ambulantes.
 
Cláudia de Marchi
 
Passo Fundo, 19 de setembro de 2006.
Quanto tempo se leva para descobrir o valor de um homem? Um dia, uma hora, um ano, um século, uma vida,um minuto? Depende. Depende mais daquilo que cada pessoa valoriza do que, necessariamente, do "valor" alheio. Cada pessoa dá importância a certos atributos, dai a encontra-los no outro é uma questão de "caso do acaso".
Quem atribui mais valor a aparência física irá se encantar de imediato pelo "atraente" (de acordo com seu gosto é claro, afinal cada pessoa possui uma concepção de beleza), quem valoriza a posse de bens materiais irá se atrair rapidamente por quem demonstre ser ou seja,realmente, abastado. Logo, o valor dado a outrem depende do que cada pessoa valoriza, fazendo com que as virtudes apreciadas se liguem diretamente as virtudes do apreciador.
A questão relevante não é saber qual o valor de um homem porque ele é julgado de acordo com os olhos de seu observador, enfim, daquele que busca perceber seu valor. Em cada julgamento humano existe mais de quem julga do que de quem é julgado. Logo, quanto ao tempo para se conhecer as virtudes de alguém depende do que o "buscador" tem como relevante no que diz respeito a qualidades.
Quem valoriza o caráter, a perspicácia, a educação, a humildade, a inteligência, e todos os valores que uma alma bela e rica possui demora mais tempo para conhecer o outro do que quem valoriza a riqueza e beleza superficiais, esquecendo-se que tudo o que é, apenas material, o tempo desgasta e os ladrões levam e com tal desgaste ou roubo, muitas vezes, resta o vazio, o vácuo. Restam "nadas" ambulantes.
 
Cláudia de Marchi
 
Passo Fundo, 19 de setembro de 2006.
Cláudia de Marchi
Enviado por Cláudia de Marchi em 02/10/2006
Código do texto: T254321
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cláudia de Marchi
Passo Fundo - Rio Grande do Sul - Brasil, 34 anos
12 textos (962 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 13:05)
Cláudia de Marchi