Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Educação Básica

Trabalho em um lugar que tem pouco mais de quinhentas lojas e atende mais de mil e quinhentos clientes por dia sendo que nas sextas-feiras e nos finais-de-semana esse número sobe para três ou quatro mil clientes dependendo se há feriado ou não.

Clientes de todas as raças, sexo, cor, credo, classe social e educação.

A empresa da qual sou funcionário investe pesado em cursos de especialização em atendimento ao cliente, brigada de incêndio e primeiros-socorros.

Todo esse investimento é visando o bem-estar do cliente equanto ele estiver nas dependências da empresa.

Pois bem, o fato é que eles dependem de nós e nós dependemos deles.

Somos abordados toda hora para darmos informações das mais variadas possíveis, para nos pedir ajuda a alguém que esteja passando mal ou que tenha seu calçado preso em uma das inúmeras escadas rolantes.

Sendo assim, estamos em contato direto com quem nos são mais importantes, os clientes.

Eles por sua vez, nos tratam como se tivéssemos a obrigação de atende-los com educação quando eles nos abordam de maneira grosseira, é, temos sim, pois somos pagos e treinados para isso.

Eu fico impressionado como as pessoas não tem educação...

Não falam bom-dia, boa-tarde ou boa-noite, por-favor não exíste no vocabulário de muita gente e a palavra obrigado, essa sim foi definitivamente banida do nosso idioma...

Claro que não são todas as pessoas, mas a grande maioria conhecem essas palavras, não a usam e querem ouvi-las, vai entender?!?!?!?!?

Chega a ser cômico, mas é tríste... Somente as pessoas da melhor idade (idosos) que são os mais educados.

A inversão de valores é tão grande que as pessoas dão tanta prioridade para suas compras que esquecem de dizer algumas simples palavras...

Chegam a te pedir informação andando, não param e ainda querem ouvir a resposta na difícil missão que é andar pra tráz...

As vezes param, pedem a informação, escutam com atenção, virão as costas e vão embora...

Ou quando a loja que procura fica no sub-solo e ele esta quatro andares acima, você responde e eles agradecem fazendo caretas de zangados, achando que a culpa da loja ficar no sub-solo é sua, eles ficam putos-da-vida e fazem questão de demonstrar...

O jeito é ficar com os meus simples bom-dia, boa-tarde, boa-noite que o retorno quando vem é muito satisfatório.

Eu sei que sou mais forte do que tudo isso e tenho fé que essas pessoas um dia irão aprender a usar essas palavras...

Fica aqui um desabafo.
Rodrigão
Enviado por Rodrigão em 20/10/2006
Reeditado em 20/10/2006
Código do texto: T268795
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rodrigão
São Paulo - São Paulo - Brasil, 41 anos
28 textos (2074 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:36)
Rodrigão