Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONFISSÃO DO APAIXONADO

Se existe vida além da paixão não me interesso em conhece-la. Prefiro sorver cada gota dessa existência sonhando acordado com cada detalhe do que posso fazer para tornar teu dia mais agradável e feliz.
Pensar cada detalhe do que posso dizer para te fazer sorrir; cada detalhe teu que me faz mais apaixonado a cada dia.
Teus olhos, tua boca, tua pele, teus cabelos, teu perfume, além do cheiro inesquecível da tua pele macia arrepiando quando roço meus lábios nos teus ombros; o gosto do teu beijo molhado e quente, a textura da tua língua, o toque gostoso dos teus lábios; tua voz suave como o canto das águas na fonte da vida, doce como a ternura da menina quando sente o primeiro palpitar apaixonado; teu hálito fresco como o perfume da baunilha que recende no bosque.
Ah, como eu te quero!
Como desejo estar contigo!
Levantar mais cedo e preparar um café delicioso, enfeitar a mesa com flores, uma música suave, um cartão com versos de amor ao lado do pires, e o pãozinho mais fresquinho daquela padaria lá longe, do outro lado da cidade, porque um dia você disse que é daquele que gosta; depois do café, passarmos um dia no parque à beira do lago, desligando um pouco da vida e deitados na relva sentindo o cheiro da terra sonharmos com o fato de que este dia bem que poderia ser eterno, você deitada no meu peito, sentindo um cafuné delicado e carinhoso dos meus dedos que veneram cada milímetro da tua pele. Comermos bugigangas de crianças, lambuzando o rosto, beijando-nos sem pensar no que os outros dizem para limparmos um o rosto do outro.
Voltarmos pra casa e tomarmos banho juntos onde eu mesmo te e ensaboaria e enxaguaria tua pele sedosa, depois de enxugar-te passar aquele creme no teu corpo inteiro, massageando suas costas, seus ombros, o cansaço do dia agitado e não mais podendo resistir aos encantos do teu corpo te amar com desespero intenso como se daqui a meia hora o mundo fosse explodir.
Ir pra cozinha, e ignorando a fome que te amar me causou, (além do fato de não saber a diferença entre a frigideira e a caçarola), preparar um jantar romântico com direito a luz de velas, soul music, incenso de jasmim, e vinho suave (rindo juntos da comida que não ficou nem atrativa nem convidativa, mas cheia de carinho e vontade de agradar-te).
Terminar a noite dançando à luz daquele abat-jour, olhos nos olhos, sorrisos (rindo juntos dos meus movimentos duros e desengonçados), um sonho bom que poderia ser eterno, acordarmos sempre no mesmo dia, repertirmos sempre as mesmas coisas... humm... melhor não. Quero a cada dia inventar um novo modo de melhorar o teu; uma nova maneira de te fazer sorrir ; um novo igrediente para o café;   um novo lugar para passear; uma nova canção para ouvir; uma nova posição para amar; novas preliminares, novas formas de atingir teu orgasmo; aprender a fazer o jantar; novos motivos para sonhar sempre com o dia seguinte, para fazer novas todas as coisas, como se hoje fosse o nosso primeiro encontro, a primeira vista, a ansiedade de te ver, a alegria de te encontrar, a emoção de te beijar pela primeira vez, descobrirmos juntos os segredos do amor que não nos contaram, e que foi maravilhoso encontra-los e desvenda-los nos teus braços.
Sim, sou um homem apaixonado! Assumo os riscos dessa confissão e entrego-me nos teus braços, detidos nos teus encantos perpetuamente na solitária cela dos teus seios quentes, sem indulto, sem hábeas corpus, sem relaxamento de pena, sem mandato de soltura, sem liberdade por bom comportamento; porque eu serei um mau menino, todos os dias do resto da minha vida será para não te dar sossego; apegar-me a você como um animal no cio, num desejo eterno insaciável, no círculo vicioso: aproximação, abraço, beijo, preliminares, sexo, orgasmo, aproximação, abraço...
Não quero defesa, advogado, nada disso!
Este é o meu depoimento e vocês são minhas testemunhas, confesso:
Sou um homem apaixonado, na deliciosa condenação dos teus braços.
Está encerrada a sessão!
Danilo Macedo Marques
Enviado por Danilo Macedo Marques em 10/11/2006
Reeditado em 10/12/2015
Código do texto: T287271
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Danilo Macedo Marques
São Paulo - São Paulo - Brasil, 42 anos
59 textos (11374 leituras)
1 áudios (182 audições)
3 e-livros (1731 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:28)
Danilo Macedo Marques