Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Infindável Beleza da Vida

“Há tanta beleza nesse mundo, que às vezes não somos capazes de suportar”. Com essa frase norteando toda a obra, o filme Beleza Americana nos faz pensar, entre outras coisas, como passamos despercebidos pelas coisas belas da vida. Deveríamos apreciar nos pequenos detalhes, a essência da beleza. A beleza do mundo, das pessoas... a beleza da vida.

No sorriso ingênuo de uma criança, no colorido das gérberas acusando o início da primavera, ou até mesmo, nos raios de sol adentrando ao quarto pela fresta da janela, dando-nos a certeza de que mais um dia nasceu. Por vezes não é fácil notar as belezas do mundo, por vezes é...

Hoje o destino me fez conhecer uma pessoa que novamente me pôs a pensar sobre a beleza. Pudera. Impossível seria qualquer ser humano provido de visão olhar para tal pessoa e não refletir sobre toda a beleza que existe no universo.

Agora me encontro no quarto, com o coração nas mãos e o notebook no colo, na tentativa frustrada de concatenar meus pensamentos e encontrar a perfeita combinação de palavras e expressões que traduzam de melhor forma tamanha beleza. Mas pobre infeliz que sou, absolutamente perdido mediante a tantas possibilidades. Sinto-me como uma criatura inerte que se queda apenas com os miseráveis vocábulos que transbordam da minha mente pela superfície do inconsciente.

No exato instante em que minhas mãos digitam, milhares de verbetes passam pela minha mente, tanto que não consigo entender como é tão difícil encontrar uma solução semântica para aquilo que eu quero dizer agora. Sei que poderia mais, mas sei que tamanha beleza não é facilmente adaptada para nosso universo percebido dos sentidos.

Talvez não haja maneira de fazer tal tradução, ou talvez haja. Talvez eu esteja desperdiçando meu tempo e horas de sono tentando expressar o que não se expressa. Ah Deus, se ao menos eu tivesse habilidade com as palavras... se ao menos eu fosse Vinícius de Moraes...

"Você é mais bonita que a flor.
Quem dera a primavera da flor
Tivesse todo esse aroma de beleza,
Que é o amor, perfumando a natureza
Numa forma de mulher.
Porque tão linda assim não existe a flor,
Nem mesmo a cor não existe.
E o amor, nem mesmo o amor existe."

É isso! Vinícius, grande poeta... sempre me salvando nos momentos em que me esgotam as idéias. Quisera e pudera eu ser Vinícius neste momento. Naturalmente, o poeta saberia traduzir meus pensamentos e transpassar ao limitado universo das palavras, essa infindável beleza que atende pelo nome de Izabel.
Eduardo Guimarães
Enviado por Eduardo Guimarães em 13/11/2006
Código do texto: T290228
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eduardo Guimarães
São Bernardo do Campo - São Paulo - Brasil, 37 anos
4 textos (153 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:43)