Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CAMINHOS

Aqui estou e para onde vou não sei.
De onde vim ficava distante para ouvir o pulsar que existe na vida que num sopro te deram um dia. Sabes!... esta minha estrada é bem difícil, quando vivia próximo a ti o progresso não existia e o caminho para chegar era espinhoso, curvo, inclinado, havia subidas, descidas, altos e baixos.
Muito criança, cansei antes da chegada, cansaste de esperar, mesmo assim dei voltas, subi, desci, andei, andei.,andei e sem saber pensando estar próximo descobri que tinha ficado mais distante e que nós estávamos separados outra vez.
Aqui vou eu  numa nova estrada, um novo caminho, agora;  mais rápido, mais fácil, poucas subidas, muitas descidas. Os espinhos as voltas foram cortados pelo asfalto criado pelo homem que até pouco tempo nem caminho sabia abrir
Agora existe setas, placas, indicações ,  sinais, existe rota .
Será que eu chego lá! Ficou mais fácil ou mais difícil? Não interessa.
Eu vou, e quando chegar, quero te encontrar  criança , mesmo que estejas velha, quero te fazer sorri mesmo que para isto eu tenha que chorar . quero  ver teus olhos , cabelos grisalhos e rosto pálido, assustado pela espera do nunca chegar e na alegria da volta vou querer gritar, cantar, pular,chorar, sorrir, dizendo sem falar que te encontrei
Só uma coisa  vou pedir a Deus; que nem eu nem você encontre-se  com ele separados, porque outro caminho não vai existir.
Se isto acontecer, por  favor fiques a margem  da estrada e se eu passar por ti sem te ver , o que é difícil , acenes, grite, corra , mas não permitas que eu me perca de ti AMOR







AF. 03-04-76
FIGUEROA
Enviado por FIGUEROA em 13/11/2006
Código do texto: T290295
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FIGUEROA
Aracaju - Sergipe - Brasil, 76 anos
56 textos (4429 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 22:30)