CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

PROSTITUTAS, NEGROS, GAYS, GORDOS, TRAVESTIS, MENDIGOS, BÊBADOS

                                              "A esperança está grudada na carne
                                   Que diferença há entre o amor e o escárnio?
                                              Cada carinho é o fio de uma navalha
                                                                                         (...)
                                                 Ideologia, eu quero uma pra viver"
                                                                                    CAZUZA


“Diga não as drogas!” "Marcha da Maconha!" “Parada Gay!” “Cotas para Negros em Universidades!” “Seja Vegetariano!” “gordinhos fazendo gastroplastia ou cirurgia bariátrica!” (esses nomes feios são como se chama de verdade a conhecida redução de estômago) Isso mesmo, existe muita militância em favor dos direitos dos gordos, negros, gays, vegetarianos, drogados... Muita gente briga pra que não haja preconceito contra essa galera da qual falei aí acima, pensando que assim tá contribuindo com sua parte para o nosso belo quadro social... Eles próprios brigam muito por isso, mas se escondem bastante também. Papo furado!

Bom, pra mim o discurso é hipócrita.

Quer ver alguém pensar e dizer: “que é isso Kekel, você não é tão liberal e libertário, agora vem me dizer que esse povo não merece nosso respeito?” Justamente. Ora, claro que merece, mas o discurso é falso. Sobretudo, ingênuo.

Acho que não foi entendida a mensagem. Ó só... quem mais sofre com o preconceito são os miseráveis. E aqui não falo somente do pobre no quesito dinheiro: falo do pobre de cultura, do pobre de educação, do pobre de conhecimento, do pobre de arte, e claro, do pobre de dinheiro também.

O maior preconceito que existe não é contra militantes que se revestem num estandarte qualquer, fingindo lutar contra a discriminação dos que são exclusos da sociedade... O maior preconceito é movido na direção de quem não tem mesmo roupa boa pra vestir, carro do ano pra andar, comida de vergonha na mesa... estudo, pose, classe, sabedoria, bravura. Oxente! Miseravelmente ninguém consegue ter isso. Não é que se o cara tem tudo isso sendo gay, negro, ou gordo, não vá sofrer discriminação... Pouco importa, pois ele sofrerá sim. O importante é saber que com grana no bolso e inteligência na mente, o caráter de uma pessoa não será subjugado por sua aparência ou pela classe que ela representa. As pessoas continuarão te olhando torto , mas e daí, você não depende delas pra nada!

Quando as pessoas ganham o direito a dignidade, perdem o direto de ser marginalizadas. E "300 conto" de Bolsa Família, Bolsa isso ou Bolsa aquilo, trás o arroz à mesa, mas não a honra da cidadania. De modo que, não existe uma só dignidade que consiga viver na desgraça moral e intelectual, por mais que seja amenizada a desgraça física da fome. De nada adianta o pão sem a honra do respeito; de nada adianta o leite sem a dignidade de direitos; de nada adianta o feijão sem as oportunidades; de nada adianta um cesta básica sem o direito de ter um trabalho que lhe ofereça um salário pra fazer a própria feira. De nada adianta ganhar dinheiro a não ser pela força do trabalho.

É bem isso o que o governo Lula-petista faz: além de sobrecarregar a carga tributária e não conceder educação e saúde públicas de qualidade às classes baixas, promove também a velha política fascista: dá um peixe para a família dividir, não o anzol, nem as iscas para os pais de família pescarem vários peixes, vender e pagar a educação e saúde para seus filhos.

Acabemos com isso de uma vez por todas! Essa coisa de ser tachado como “marginal” é de outra era, outros tempos... Coisa do século passado e de países politicamente corruptos... Uma nação tem que começar a sentir que sofre com a desgraça do dia a dia, pra começar a sacar que, já chegou a hora de acabar com esse papinho mole de políticos e empresários ligados a políticos, ficarem por aí enchendo as burras de dinheiro gastando o suor de quem trabalha por um mísero salário!

Se não fosse o governo atrasar o crescimento nacional do povo, o brasileiro viveria muito bem de vida. A quituteira teria mais ganho e operário ganharia mais se o capital da Petrobrás, da Caixa e do Banco do Brasil não fosse preso nas mãos do governo.

Precisamos clamar por liberdades, não aceitar passivamente a prisão autoritária e totalitarista capital do governo.

Meu chapa, Se o camarada for rico; saber se portar; se comportar; tiver grana; boa posição social; conhecimento... Pouco importa se ele é Negro, traveco, gordo ou o “carai de asa”... Quem o discrimina passará a respeitá-lo. Não haverá espaço para a rebeldia dos ignorantes. Sobretudo os igonarantes esquerdistas-petistas no poder que estranham o povo, prendendo o capital em suas mãos, deixando-nos de joelhos diante desse governo mesquinho e ditatorial.

Pode perceber, ao lado de quem “tem” há sempre um que não “tem” para lhe puxar o saco! É isso aí, para que todos nós saiamos da miséria devemos lutar, acima de qualquer coisa, contra todo tipo de discriminação da pobreza, coisa pela qual não lutamos, pois quando se tem virtude: “$$ e conhecimento”, se as pessoas não lhe respeitam, no mínimo se submetem! Não adianta o gay fazer ‘PARADA GAY’, mas no fim, votar no político corrupto e antiliberal, não é? Algo está errado... Você não acha?

Se a bichinha arretada chega num restaurante fino, com toda sua pinta exuberante, e as pessoas a olham com certo nojo, inclusive o garçom... Se ele mantiver a postura, tomar seu vinho tinto do Porto educadamente, pagar o que foi consumido e dar uma boa gorjeta ao garçom, não para suborná-lo, mas  pelo seu bom trabalho feito... da próxima vez em que ele for àquele restaurante, o garçom lhe cortejará com a hombridade que o “Baitôla” tem, lhe oferecerá o melhor lugar, as pessoas que o tratam com desprezo, ficarão lá quietinhas na delas pechinchando o prato mais baratinho, pedindo desconto e choramingando o troco.

Não estou aqui confirmando aquele bordão que “O homem vale aquilo que tem”, mas afirmando a ideia de que ele vale aquilo que sabe e pode fazer!

Ignorante só discrimina ignorante.

Quando um dos dois tem conhecimento: o ignorante se cala e o sábio não discrimina, pois sabe que discriminar ou criticar movido por ressentimento, se baseando numa doutrina religiosa ou num senso comum vago e vadio, é a arte dos imbecis.

As pessoas dormem ao lado de qualquer pessoa, desde que ela não seja pobre ou idiota.

Se o cara tem inteligência, ele não vai se preocupar se a universidade lhe fornece cotas ou se o machista não o aceita como gay, pois ele terá sabedoria suficiente pra ser aprovado numa universidade e indiferença total por quem não o aceita assim como ele é... Se o cara for inteligente, ele vai saber o que são drogas, o seu poder de destruição e se entrar numa dessas, entrará sabendo do que se trata. Por mais que a droga seja sempre prejudicial. Todas. Do chopinho ao extase, do cigarrinho à maconha.

Se Monteiro Lobato disse que “uma nação se faz com homens e livros”, eu reforço a idéia dizendo que, além disso, uma nação se faz com filosofia na mente e SALÁRIO (não gorjeta assistencialista) no bolso dos indigentes de um país!

Vem cá, me responda: de que adiantou libertar o negro da senzala e aprisioná-lo na favela? Me responda aí... Essa foi a melhor forma de acabar com o preconceito e a discriminação?

Vendo que as pessoas se preocupam mais com o reconhecimento a conhecimento, vejo que não concordo com essas passeatas de meia tigela que nunca levam a lugar algum. Mais parecem presepadas de pessoas que tem complexo de inferioridade.

Seja na carteira ou na cabeça, se você for um miserável, poderás hastear a bandeira que quiser e as pessoas não te respeitarão da mesma forma. Quer ser respeitado? Lute mais pelo seu direito de viver dignamente que pelo seu desejo de reconhecimento. Lute mais pelo conhecimento. O narcisismo não tá com nada. Se exibir não é a melhor forma de ser respeitado, mas de aparecer!

No dia em que as pessoas começarem a brigar contra a pobreza... quando o povo brasileiro começar a lutar contra a miséria, perceberei que esse povo começou a lutar, brava e verdadeiramente, contra a discriminação. Enquanto isso, gays são espancados, prostitutas agredidas, travestis assassinados, bêbados em calçadas incendiados, gordinho sofrendo bullying, maconheiro chamado de bandido... E por aí vai sem nada ser feito nem penalizado.

“Diga não a miséria!” ‘A do corpo e a do espírito’. “Diga não a ignorância!” Essa sim, deve ser a nossa maior campanha contra o tratamento desigual ou injusto dado a uma pessoa ou grupo, baseado em preconceitos de alguma ordem tratante, referentemente sexual, religioso, étnico, etc.

Bote uma coisa na cabeça: toda revolta desprovida de ideologia, liberdade e fortuna, é uma luta solitária e desarmada da incompetência popular!

Dessa forma, infelizmente, o povo está incopetente: estamos aceitando passivamente o governo Lula-petista-esquerdista atual reprimir nossa liberdade intelectual, moral e financeira.

O povo está de bico calado. Eis o grande problema.

Estamos caladinhos como se Lula fosse um Deus e o PT o paraíso. Santa ignorância!
Manel Clélio (Kekel)
Enviado por Manel Clélio (Kekel) em 24/05/2011
Reeditado em 06/11/2012
Código do texto: T2990012
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Manel Clélio (Kekel)
Macau - Rio Grande do Norte - Brasil, 31 anos
862 textos (59957 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/07/14 19:10)