CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

HERPES ZOSTER OU COBREIRO

 
Crônica da vida privada
 
Aqui na minha região é muito comum se encontrar as benzedeiras e as comadres. Esta terra é fértil em crendices e em trabalhos que são despachados nas encruzilhadas. A miscigenação desse povo deixou uma sopa mística, com relação ao sincretismo religioso. Essa mestiçagem resultou num povo que crê em tudo, por exemplo: Boitatá, lobisomem, bruxas, benzedeiras, mau-olhado, feitiço e comadres.
As comadres, muito abundante nesta região, benzem de tudo, de mau-olhado a cobreiro, de fraqueza a dor nos “figo”. Eu há uns meses atrás, fui acometido pelo Herpes Zoster, que na crença popular é conhecido como “cobreiro”. Nessa crença, eu fui “benzido” via celular por uma comadre que nem conheço. As benzedeiras já estão rezando, mas não curando via satélite pelo celular.
O Herpes Zoster me tomou o lado esquerdo do rosto, numa linha que ia do nariz ao coro cabeludo. As feridas purulentas me tomaram o lado esquerdo do rosto. Essa infecção me provocou um inchaço generalizado que, os meus olhos foram literalmente fechados. Em vista disso, eu precisava da ajuda da minha esposa para andar pela casa, aliás, dela, eu precisava para tudo.
Cicatrizado as feridas, vieram as dores terríveis. Com a administração de analgésicos fortes, eu perdi a noção de tudo e não mais reconhecia as pessoas amigas. Todos, inclusive os familiares mais íntimos, pensavam que eu iria enlouquecer ou tirar passagem para viajar no ônibus etéreo, com destino às planícies verdejantes do Senhor.
 
Bom, dopado pelos remédios para aplacar as dores do Herpes e, num estado semiconsciente, subi por uma escada e caí. Aos gritos pedi por socorro, logo em seguida me levantaram e me puseram na cama. Resultado da queda: uma vértebra lombar (L1) amassada, desta forma, impossibilitando-me de andar, pois as dores eram terríveis.
Resultado: Fui internado com assistência de neurologistas em virtude de o Herpes Zoster ter sido violento. Os médicos especialistas queriam saber por que a minha imunidade tinha abaixado tanto, dando assim, a oportunidade para o ataque do Herpes Zoster. Ficaram também espantados, pelo fato de eu ter resistido às terríveis dores sem uma assistência médica adequada e com a imunidade muito baixa. Com relação à imunidade baixa (anemia profunda), muito depois, eu mesmo, descobri o porquê da imunidade tão baixa, era o mau uso de Corticóides para as dores reumáticas.
No hospital, nenhum neurologista viu na tomografia a vértebra amassada, pois no laudo do médico radiologista, consta referência à vértebra esmagada. Os médicos especialistas ignoram o laudo do radiologista por pura arrogância. Esse mau cuidado e desleixo comigo, não tinha razão de ser, pois fui internado como particular, quando cobravam até os pingos de soro. Agora, imaginem se fosse através do SUS, por certo, apenas receitavam analgésicos e mandavam morrer em casa.
De volta à minha cidade, fui direto ao meu médico, um clínico geral amigo, que me mandou fazer Raios-X. Feito isso, descobrimos, novamente, a vértebra encunhada ou amassa, resultado do tombo. Os médicos especialistas, sobretudo os neurologistas, são arrogantes e pensam saber de tudo, no entanto, o clínico geral ainda tem o seu valor.

eraclito.lavourapoetica@hotmail.com

 
 
 
 



Eráclito Alírio da silveira
Enviado por Eráclito Alírio da silveira em 12/12/2011
Reeditado em 20/12/2011
Código do texto: T3384639

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Eráclito Alírio da silveira
Imaruí - Santa Catarina - Brasil, 72 anos
889 textos (123255 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/09/14 15:13)