Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Acorda Brasil

COLUNA MULHER EM BUSCA
Autoconhecimento, Espiritualidade, Saúde e Valores

A força de um sorriso. Hoje não encontrei, em minha caminhada matinal, o rapaz que me sorri quando passo e me deseja um bom dia. Senti sua falta. Há anos faço esse percurso, mas, de uns tempos para cá, ele se tornou ainda mais agradável. Sinto-me privilegiada por iniciar o dia com uma caminhada pela Lagoa Rodrigo de Freitas. Poderia optar pela Orla, mas não abro mão de minha Lagoa. Mal dou os primeiros passos e estou, olhos voltados para o céu, a agradecer por tamanha beleza. Caminho devagar, sem pressa, aproveitando o percurso para entrar em profundo contato comigo mesma e com a beleza à minha volta. Como é linda a Lagoa Rodrigo de Freitas e como é linda esta cidade que tanto amo, que é o Rio de Janeiro. Sou carioca da gema. Nasci e me criei aqui e nem mesmo o passar dos anos fez com que deixasse de admirar e amar esta cidade. Fico triste ao verificar o seu abandono pelas autoridades e também pelo cidadão comum, que dela não cuida como deveria. É o lixo jogado ao chão em ruas, praças, praias e outros locais públicos, as fezes de cães não recolhidas pelos donos, a má utilização de seus recursos, sem falar em outras mazelas que tanto vêm atormentando a vida de seus habitantes. O que está acontecendo conosco que não reagimos? Será que não percebemos que estamos "entregando o ouro ao bandido" em todos os sentidos? Onde anda a nossa auto-estima, o orgulho de sermos cariocas e, acima de tudo, brasileiros? Talvez a maioria de nós ainda não se tenha dado conta dos motivos que temos para nos orgulhar. São tantas as notícias negativas que nos chegam das mais diversas fontes, que tendemos a ver somente um lado da moeda. Parece-me que não há interesse em que se veja além, ao contrário de culturas outras que fazem de tudo para espalhar, ao quatro cantos do mundo, suas raízes e genialidades. Exportamos nossos talentos que não são, em sua grande parte, reconhecidos aqui; entregamos nossa terra e nossos homens à exploração externa. Onde anda a nossa auto-estima? Auto-estima. Qual o verdadeiro significado dessa palavra? Gostar de si mesmo. Apreciar-se. Dar-se o valor. Quem, dentre nós brasileiros, tem auto-estima? Quem se orgulha, verdadeiramente, de ter nascido aqui? Por que nos deveríamos envergonhar de nossas raízes? Por que não aceitamos ser o que somos? Por que estamos sempre a copiar os outros naquilo que têm de pior, a ponto de colocarmos uma estátua da liberdade em um dos bairros mais em evidência na cidade do Rio de Janeiro, como se não tivéssemos monumentos próprios e belíssimos a reverenciar?

Chegam a meus ouvidos, com uma freqüência cada vez maior, comentários tais como: “esse país não tem jeito”, “o povo não presta”.  Isso me dói, porque não é bem assim. Estamo-nos referindo a uma pequena minoria, minoria essa que ocupa as manchetes de jornais, revistas e programas de televisão, que, por sua vez, ganham em explorar o lado podre da laranja.
 
Não é meu propósito levantar aqui uma bandeira e servir de porta-voz de uma causa. Não tenho essa pretensão. Aliás, nunca a tive. Acho por demais difícil mudar a mim mesma, o que dirá uma nação? No entanto, fico estarrecida quando verifico o cruzar de braços de pessoas ditas esclarecidas. Se com essas não se pode contar, o que se dirá daqueles que nem mesmo tiveram a oportunidade de estudar - como é o caso da maioria dos brasileiros?

Apesar de todos os absurdos que têm vindo à tona nos últimos tempos, quero acreditar o contrário do que me tem sido dito. Amo esse país e tenho um profundo orgulho de ser brasileira. Fico indignada toda vez que ouço um brasileiro falar mal de seu próprio país. A quem interessa que não aprendamos a dar valor a nosso povo, a nossas terras, a nossa cultura? A quem interessa o niilismo que leva muitos de nós a achar que “nada vale a pena”? Quem está por trás de tudo isso? Quem nos quer dominar?

Existem pessoas de bem. Quero crer que são a grande maioria. Pessoas que trabalham arduamente para ganhar, com honestidade, o pão de cada dia. Pessoas simples. Pessoas humildes. Pessoas que, com um sorriso, são capazes de trazer luz a nossos dias. Essa talvez seja a maior de todas as nossas riquezas. A afabilidade do brasileiro, que, a exemplo do Cristo Redentor, a todos recebe de braços abertos. Acorda Brasil! Apure seu ouvido para escutar verdades outras. Verdades que estão por trás da lama e da mediocridade que vêm sendo veiculadas pela grande mídia. Não se deixe mais enganar. Acredite em você. Acredite no poder que tem de mudar a realidade que o cerca. Você é um. Comigo, dois. Unidos, seremos muitos.

O mundo de hoje nos angustia. Faz-se necessário, mais do que nunca, sermos conscientes de nós mesmos e centrados o suficiente para não nos deixarmos levar por tudo que lemos e ouvimos. Difícil batalha essa que devemos travar conosco momento a momento.

Acorda Brasil! Aprenda a se dar valor e a não se deixar mais enganar e explorar. Faça valer os seus direitos. Faça valer a sua vontade. Orgulhe-se de ser brasileiro. Levante a cabeça. Dê um sorriso. Mostre que tem auto-estima. Isso pode fazer toda a diferença.

Com muito carinho e um afeto sincero,

Regina Dias, escritora e palestrante, autora do livro Mulher em Busca,
editoras Mauad e Bapera
Site: www.mulherembusca.com.br
E-mail: reginadias@mulherembusca.com.br
regina dias
Enviado por regina dias em 01/08/2005
Código do texto: T39439
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
regina dias
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 62 anos
4 textos (227 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:53)