Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Parabéns pra você!


Parabéns! É muito importante termos iniciativa como essa! E você mostrou que realmente sabe onde quer chegar. Quero parabenizá-lo ainda pela sua última atitude em relação aquela pessoa que você auxiliou quando ela precisou de você. É sempre bom podermos contar com amigos nas horas de dificuldades, não é mesmo? Puxa, estou me lembrando agora daquela vez que você auxiliou aquele cachorrinho que estava perdido. Ele estava com frio, com fome, sede e você deu-lhe abrigo, o alimentou e matou a sua sede.  Lembra? E aquela vez que você ajudou a velhinha a atravessar a rua?! Foi um simples gesto, mas que fez muita diferença na vida daquela senhora. Ela ficou mais feliz. Foi pra casa acreditando mais nas pessoas. Sentiu-se acolhida e, em seu íntimo, sem que ninguém soubesse abençoou seu gesto.
Eu me lembro de um caso que li sobre um menino que arremessou uma pedra na porta de um carro que passava. A pedra, de grande dimensão, fez um tremendo estrago na porta do carrão de luxo. Imediatamente o motorista desceu irritado com o ocorrido e pronto para esmurrar aquele menino atrevido. Quando já preparava o primeiro tapa foi surpreendido pelas lágrimas do menino que disse ter feito aquilo por desespero. Apontando para uma ribanceira disse que seu irmão havia caído ali com a cadeira de rodas. Relatou que tentou erguer o irmão e colocá-lo novamente na cadeira de rodas, mas ele era muito pesado. Falou que ninguém parou para ajudá-lo a levantar seu irmão. Sua última alternativa foi arremessar aquela pedra.  O homem foi verificar e para seu espanto viu que era verdade. Desceu rápido pela ribanceira e recolocou o menino paraplégico de volta à cadeira. Limpou seus ferimentos e o devolveu ao irmão, que chorava muito. Ficou observando os dois se afastarem inerte, olhos parados, coração despedaçado, pensamentos confusos...Embora seu carro estivesse a poucos metros de distância, foi uma longa caminhada até o lugar estacionado. Sem perceber, uma lágrima rolou por sua face e um nó na garganta quase o sufocou. O tempo parecia ter parado e a vida corria mais lentamente. Ligou seu carrão e acelerou. Conforme avançava em direção a seu destino pode ver, pelo espelho retrovisor, os irmãos sumirem no horizonte qual uma miragem no deserto. Nunca consertou a porta do carro. Deixou-a amassada para jamais esquecer que não precisa ir tão rápido pela vida a ponto e que alguém precise atirar uma pedra para chamar-lhe a atenção. Nossa história termina com a reflexão de que às vezes Deus precisa atirar algumas pedras em nossa direção para que paremos. Quando as pedras da dor e do sofrimento nos atingirem, devemos nos lembrar que Deus sussurra às nossas almas e nos deu inteligência para ouvi-lo. As pedradas são conseqüências de nossas atitudes em relação ao desleixo pela graça recebida por estarmos vivos, com saúde e ignorarmos nossa obrigação de compartilhar vida com os necessitados. É preciso acordar! Acordar não significa abrir os olhos, mas sim estar de acordo. Estar de acordo com as leis da natureza. De acordo com os caminhos da bondade e do amor a seu semelhante, à natureza e aos animais.
Portanto. Parabéns! Você merece toda essa felicidade que está sentindo. Aquele animalzinho que você tirou das ruas, hoje está crescido e foi você quem lhe devolveu a vida! Aquela velhinha deixou este mundo e foi agradecida pela sua ajuda. Vai fazer uma bela “fofoca” sua para o criador. Quando chegar sua vez de atravessar a rua deste mundo para o outro, talvez a velhinha esteja lá pra lhe ajudar na passagem. No entanto se você acha que não merece meus parabéns, pois não fez nada disso. Cuidado com as pedradas!

Donizete Romon – jornalista e palestrante
Críticas, elogios, sugestões por email: peteca@petecaeventos.com.br
Doni Romon
Enviado por Doni Romon em 02/06/2013
Código do texto: T4321907
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Doni Romon
Campinas - São Paulo - Brasil, 61 anos
21 textos (1369 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/11/17 05:52)
Doni Romon