Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"Como Ela é Boazinha..."

Não existe frase que mais me arrepie do que a famigerada: "Como você é boazinha!"

Não disse? Arrepiei todinha!!!

Quem falou que sou boazinha?  Eu não sou boazinha!

Hoje, as pessoas confundem "Normalidade" com "Bondade".

Me parece absolutamente normal tratar as pessoas normalmente, com respeito, consideração, educação... Normal! (Obs.: Ainda não sei o que significa ser normal, mas acho complexo discutir isso nessa hora, então, falaremos disso em uma outra oportunidade).

Mas só parece, porque na verdade, as pessoas cada vez mais se espantam com atitudes normais assim.

O "Bom Dia!" deu lugar a um som indefinido parecido com um
"Hurun!"    O que foi isso?     O "Obrigado!" deu lugar ao "Tá!"

O natural seria você reclamar se é mal tratado num setor
qualquer, você ficaria indignado e iria reclamar do "Malcriado" em questão, mas não é isso que acontece. Vamos falar quando somos bem tratados, como que pode isso?!?!?

Nos espantamos quando alguém nos ouve, presta atenção no que estamos dizendo...

Somos capazes de subir ao 3º andar da Loja só para agradecer e contar que o funcionário X nos tratou bem...

Chegamos em casa e não nos damos o trabalho de comentar que
alguém foi estúpido e grosseiro, mas contamos em detalhes se alguém foi gentil e atendioso:

"Como ela é boazinha, você precisava ter visto!"

Engraçado isso, não?

Quando o normal seria exatamente agirmos assim e sermos
tratados assim. Mas ainda nos assustamos com um balconista
sorridente.

Quando olho nos olhos de alguém, imagino que esse alguém
poderia ser meu pai, minha mãe, minha filha, minha avó, e é
imediato que eu imagine também que viraria uma fera se alguém os tratasse com descaso, com falta de educação.

Porque?

Porque são pessoas que eu amo demais, que eu quero bem demais e não vou deixar que um qualquer os trate de qualquer jeito...

Então, como eu poderia tratar alguém mal?

Pôxa! Esse alguém com certeza é pai, mãe, filho, filha, avó de alguém também.     Ou não?

A normalidade termina onde começa o balcão da loja, supermercado, hospital, repartição, etc, etc, etc.

Porque?

Porque estamos cansados, ganhamos menos do que merecemos no
final do mês, porque nosso relacionamento não é nem de longe o que gostaríamos que fosse, porque estamos resfriados, ou com TPM. Alguém tem que pagar por isso.

Me lembro de um dia ter ligado na Cia de Agua e Esgoto da
cidade e ter reclamado por não ter agua na torneira - um cano havia estourado na rua.

Um recém nascido em casa, um calor de 35º e nem um pingo de
agua na maldita torneira...

Coitada da menina que atendeu.

De repente ela era a responsável pela falta d'agua, pela falta de dinheiro, pela sobra de problemas, pelas minhas olheiras, pela minha cintura estar grossa, pelo júros do cheque especial, por minha infãncia ter passado, por eu ter me separado, assim como a vendedora de plano funerário que teve a brilhante idéia de tocar minha campainha as 9 da manhã num sábado em que eu estava durmindo após trabalhar 36 horas no PS.

Aprendi que depende de mim como eu serei tratada.

É aquela história da bola azul:
"Se você jogar uma bola azul na parede, quando ela voltar para você,de que cor ela será?
- Azul!"

Então, por favor, não me venha com "Como ela é boazinha!".

De boazinha não tenho nada.

Só as asas e a modéstia!

DanielaVS
Enviado por DanielaVS em 01/09/2005
Código do texto: T46872

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar: Daniela V.S. - www.euescrevinhando.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
DanielaVS
Caraguatatuba - São Paulo - Brasil, 43 anos
38 textos (5372 leituras)
1 áudios (3218 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:10)
DanielaVS