Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ética da Estética

Aos olhos está condicionada a visão... A dimensão de espaço que nosso corpo e mente precisa em noção, para habituar imagem e sentidos. Ver, de fato é capturar a aparência de tudo, contornar formas e volumetrias, reter na memória os reflexos dos prismas em retina. Percepção é exatamente o que nos faz enxergar além da literal ótica. Perceber é o mesmo que dar sensação a uma visão e por isso, olhar não é tão aparente quanto se possa pensar...

Podemos ver e ao mesmo tempo sentir, como podemos simplesmente olhar e nada perceber. Minha introdução não quer explicar porque cores afetam a psique, é óbvia a associação do corpo com as necessidades, mas assimilar é alvo e o algo que põe sentido à estética das coisas.

Como entender isso? Um vaso não é só um substantivo ou objeto, pode ter um adjetivo, como pode ser bonito ou feio. A estética é fato, a ética é argumento! – E para cada observador, um único vaso pode ser assimilado ricamente ou miseravelmente, o que depende não somente de um olhar, mass fundamentalmente, da percepção.

Agora posso falar de pessoas, cuja estética ainda é fato, mas a ética é subjugada, onde aparência é vista como cartão de visitas, ou elixir de contemplação. Deveria dizer, que é coitado o feio, por ser aparentemente despercebido do que apreciar ou ainda se é azar de algum ser esteticamente insosso, não se fazer notar por falta de beleza como aptidão?

Para provar que é questão de ética e não de estética que no fim das contas alguma aparência se põe mesa, falo então de beldades ou de mim, que não sou bela, apenas a típica bonita e sujeita do mesmo julgamento medíocre, que alguém esteticamente melhor faz só de olhar. Quero dizer que como o vaso, todos somos vistos de forma unânime – Se somos feios ou bonitos, alguém com boa ou má percepção irá dizer que diabos tem a sua estética.

Lógico que ver beleza instiga prazer, como ver feiura arrepia ventas. Nossa psicologia, só de olhar condições genéticas, associa aparência com sensações, visão e percepção. Tudo isso porém, só faz do nosso ponto de vista, um argumento monocromático, pobre de detalhes, como a falta de tonalidade sobre tantas cores. É preciso ética para explicar a real aparência de alguém.

Parem de compensar ética com estética, tirar a beleza de dentro e por pra fora, dizendo que beleza interior sempre estará na moda. A verdade é fato como a estética e todos vêem. O que não se vê, é alguma ética argumentar o que de fato ver.
__________________________________________________________

Prólogo:
Aqueles que fazem da minha aparência nada mais que uma visão bonita, saibam...
Que aprecio ética e não estética.
Gita Habiba
Enviado por Gita Habiba em 24/05/2007
Código do texto: T499135

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Gita Habiba). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gita Habiba
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 37 anos
293 textos (93223 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/10/14 07:30)
Gita Habiba



Rádio Poética