Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Numa fila de teatro


Parecia que eu entrava num túnel do tempo.


Na fila do teatro, aquela senhora bem vestida, maquiada, e com ar autoritário, trazia-me a viva imagem de vovó. Olhava-a com tamanha insistência que ela chegou a levantar a cabeça num gesto como se perguntasse "por que me olha?"


Era a vovó de minha adolescência, ainda com a pele lisa, no início de seu outono.


Entrei no teatro, pensando naquela fase da minha vida. Revia vovó nos seus variados matizes...


No decorrer da peça, me vi vestindo as fantasias que ela confeccionava, festejando os aniversários que ela preparava, sorvendo o licor de jenipapo que era sua especialidade. Ouvia também as suas gritarias quando se zangava, as discussões com bisa, Jarbas... E via suas lágrimas quando relembrava as jovens e lindas filhas que partiram num prazo de uma semana, vítimas de uma epidemia que assolou a cidade. Dor dilacerante, sem palavras que possam definir.


Não me perguntem como foi a peça, nem sobre a interpretação dos atores. A peça foi a lembrança da vida de minha avó, e a influência que teve sobre a minha.


A atriz principal era ela. Altiva, bela e mais viva que nunca

belvedere
Enviado por belvedere em 20/09/2005
Reeditado em 18/08/2009
Código do texto: T52064

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Texto de Belvedere Bruno). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
belvedere
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
220 textos (73247 leituras)
5 e-livros (1070 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:36)
belvedere

Site do Escritor