Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O SAPATO SAGRADO


Nos tempos idos em que era guri não atinava muito com estas coisas de obediência, de temor a Deus. Queria ter meu próprio reinado. A bíblia, no entanto é muito severa quanto a isto e deixa a criança a mercê dos seus progenitores. Ela coloca a falta de submissão à vontade dos pais na mesma latitude e longitude de outros terríveis pecados que pululam soltos por aí, tais como o tráfico de drogas, pedofilia; corrupções, sonegação ou apropriação indébita com dinheiro em cueca, meia, mensalão e dos diários secretos da câmara dos deputados.
Eu acho que Deus, por preguiça ou por falta de controle, colocou nos ombros dos pais estas leis para se ver livre da molecada. Veja em Efésios: Honra teu pai e tua mãe para que te vá bem e tenha vida longa. Meu pai com seus 96 anos deve ser o exemplo disto. Não sei não se viverei muito! Na bíblia está escrito que os pais devem orientar seus filhos na disciplina e na admoestação do Senhor. Tarefa cruel esta!
No meu tempo de piá, Deus era mais moço e muito severo. Não me afinava muito com Ele. Eu ia com meu pai a Igreja e enquanto ele rezava eu ficava de olho naquele olho cruel dentro do triângulo onde se lia que Deus tudo vê e castiga. Isto me deixava puto da vida e um tanto apavorado. Nunca quis conversar com Ele, mas se fosse conversar iria dizer umas boas. Hoje o meu Deus é mais velho e mais experiente e me permito bater uns bons e saudáveis papos. Tenho aprendido muito com a Sua experiência e ele tem sido mais compassivo, mais tolerante e até mais humano.
Bem eu vivi nesta severidade toda onde a lei de proteção ao menor não era observada e o trabalho menor escravo corria solto sem qualquer fiscalização.
Entre muitas atividades que tinha que fazer a contra gosto em casa uma tarefa odiosa era o de engraxar o sapato de meu pai. E aí eu ficava mais e mais encanado com Deus, pois sempre o sapato engraxado aos finais de semana era para ir visitar a Sua casa aos domingos.
No final de semana minha mãe sempre me lembrava:
- Já engraxou o sapato do seu pai? E lá ia eu furioso com Deus e meu pai executar a terrificante, impiedosa e laboriosa tarefa.
- Por que será que Deus exige que meu pai tenha os sapatos engraxados para ir visitá-lo? Perguntava isto resmungando furioso para mim mesmo enquanto me desgastava, me acabando todo nesta labuta.
Um dia ao iniciar a fatigante e terrível tarefa de engraxar o sapato verifiquei que não tinha a graxa marrom. Não sei se por espírito criativo ou por revolta mesmo peguei a graxa preta e fiz o processo tranquilamente.
- Meu pai nem vai perceber e até vai gostar, pensei cá com meus botões.
O sapato ficou com uma cor toda atrapalhada que variava do marrom ao preto. Ficou da cor de vão de cerca. Talvez uma nova cor tenha sido criada. Não gostei muito, mas a tarefa foi cumprida.
No dia seguinte é que fui sentir as conseqüências do inconseqüente ato. O sapato da cor marrom era de exclusividade para a casa do Senhor e o da cor preta para trabalho. A cor que elaborei e compus no sapato certamente seria para conduzir à casa do capeta, pois meu pai quando viu aquilo virou o bicho e como servo obediente daquele Deus rigoroso, fez sua oração ali mesmo. Não pode ir a Igreja e me aplicou umas lambadas na parte posterior traseira amaciada. Passei o dia todo sem poder sentar removendo a graxa preta do sapato sagrado.
Mario dos Santos Lima
Enviado por Mario dos Santos Lima em 13/09/2017
Código do texto: T6112770
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mario dos Santos Lima
Curitiba - Paraná - Brasil, 76 anos
150 textos (4999 leituras)
2 e-livros (108 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/17 09:45)
Mario dos Santos Lima