Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SEGUNDA FEIRA MAL ACORDADA

Às sete da manhã de hoje meu despertador começou a tocar. O que não era estranho, já que ele toca diariamente no mesmo horário. Mas hoje ele tocou gritantemente diferente. Eu não sei explicar ao certo o porque disso, talvez eu estivesse mais sensível a ruídos por culpa de algum sonho maravilhoso que estava tendo. Ou talvez porque o barulho da cidade estivesse menor hoje. Ou porque talvez estivesse começando a gripar, já que o tempo está cada dia de um jeito, e segundo minha mãe, minha saúde é um bibelô! Ou, (sejamos francas agora), talvez fosse mesmo a ressaca que estava me avisando de sua chegada. Sim! Resolvi me embriagar na noite de ontem, pois havia descoberto uma coisa muito importante, e que de fato mudara toda a minha vida, (pelo menos mos próximos dias). Eu precisava reunir forças de agora em diante, ser realmente mais resistente a esses problemas que nos pega de surpresa numa noite de domingo, e foi exatamente essa a primeira coisa que pensei ao acordar nessa manhã louca de segunda-fei…
- Ahhhhhh!!! mas que diabo eh isso molhado na minha cara?? Ahh ta… bom dia Duda, dormiu bem meu amor?
Duda: minha cachorra, raça chique! Lhasa apso, mas prefiro chamá-la de Lhasa LAPSO. Raça refinada, vem de uma linhagem nobre da Polônia. Sua bisavó ganhou um concurso internacional praquelas bandas de lá. Pra mim não interferiu em porcaria nenhuma, eu gosto da Duda porque ela é simplesmente minha cadelinha, logo, minha amiga. Só não me sinto muito à vontade com o jeito que ela me acorda, lambendo minha boca. Olha, francamente, eu não teria taaanto nojo se ela não tivesse uma estranha mania. Eu poderia afirmar com orgulho uma coisa dessa, se estivesse me referindo a um eletrodoméstico como meu liquidificador ou forno..seria uma qualidade que realmente atribui uma vantagem, mas não no caso da Duda. O que estou querendo dizer é que minha cadela, a Duda, ela é auto-limpante! Sim, ela come merda! É extremamente repugnante uma cachorra comer o próprio coco! Digo, não que refrescasse muito comer o cocô de outro cachorro, mas também não sei o que seria pior: comer o próprio cocô, ou o cocô de um amigo. Mas vamos voltar ao “bom dia Duda”.
Eu acho tão bonitinho um animal se preocupar com você, com seus compromissos, medo de que você seja demitida! Mas infelizmente eu tenho a impressão de que não era esse o caso da Duda. Eu acho que a explicação mais palpável seria medo de morrer. Explicarei. Da última vez que perdi a hora, fiz tudo muito às pressas: Higiene: 60 segundos; maquiagem: 120 segundos; troca de roupas: 312 segundos (claro que não tomei banho, prefiro passar meio período sem banho a ouvir o meu chefe: "BOA TARDE Mari! Como foi a balada de ontem? Agora só falta você entrar na internet pra ficar caçando fotos da balada, sim, porque você n]ao deve nem se lembrar do que fez... Boa idéia, vamos buscar sua foto com cara de bêbada em algum lugar dessa internet"!! (e a cada "internet" gritado, ele vira aquela cabeça enorme dele de um lado para o outro). Continuando: 18 segundos pra pegar um iogurte. Na hora de sair do apartamento, estranhamente notei que a Duda não estava aos berros, mordendo meu pé pra que eu não saísse, mas pensei bem no meu chefe e aquele pescoço dando piruetas, e abstraí a Duda, onde quer que ela estivesse. Graças à Deus que tive que voltar ao apartamento, imagine só! Eu havia esquecido meu chá emagrecedor chinês na geladeira! Não passo um dia sem meu chá, ele permite que saia 30% da gordura ingerida! É o que dizem. Ao abrir a geladeira..TCHARAN! Lá estava ela, coitadinha, tremendo, mas tremia muito a bichinha! Meus Deus do céu! Eu não entedia como pôde acontecer uma coisa daquelas, e foi então que percebi que é porque sempre fecho a geladeira com os pés. Num chute só eu consigo fechar de uma só vez! Porque claro, a porta está com defeito, e se fechada com as mãos de modo normal, ela encosta, conta até três e depois abre novamente. Por isso adotei o método: “As panteras”. E lá estava a cachorra fria, como 3kg de carne...como fui horrível! Conversei com a Duda, pedi perdão, disse o quanto a amava, prometi nunca mais brigar com ela e ainda negociei três passeios diários. E Então...cheguei no escritório duas horas depois. E daí sim, todo aquele texto sobre a noite anterior, que me acabara numa balada, com bebidas blablabla...
Claro que hoje o atraso não foi tão grave, mas cheguei depois do meu chefe, o que já era um prato cheio pra ele começar o discurso sobre baladas, bebidas, blablabla. Sabe, ele toca tanto nesse ponto, isso porque ele me viu uma única vez numa boate que freqüento (bastante deixemos claro aqui), mas foi uma daquelas noites em que você necessita dançar a noite toda, se jogar, sair do corpo mesmo! Mas acredito que no fundo ele sinta um pouco de inveja, vontade de fazer o mesmo de vez em quando. Dizem as más línguas (ehe) que ele vive junto com um homem, e esse homem deve ser bem careta, já que tem 52 anos. Tudo bem, ema ema ema, vamos voltar a falar de mim. Enquanto ele começava a caçar uma foto minha bêbada num site de baladas, eu comecei a pensar no que me deprimiu ontem. Grande erro do meu inestimável chefe. Me acabei sim, mas não desse jeito. Ahh, afoguei minhas mágoas, olhando praquela imagem, me deu ânsia de vomito! Seria mesmo meu destino? Um computador delator acabar com a minha noite de domingo? E agora com a minha manhã de segunda feira?
A culpa não foi minha! De jeito nenhum! O destino me obrigou a secar uma garrafa de vinho chileno, Santa Carolina!! Mas meu Deus, por que? Por que eu estava bebendo um vinho pra afogar minhas mágoas logo com o mesmo nome da biscate que estava lá, linda, loira, alta, magra e peituda, com uma boca de chupar...manga! Lá estava ela, na minha casa, na minha cara, no meu computador! NO ORKUT DELE!
Just another maniac monday!
Mariana Merigo
Enviado por Mariana Merigo em 01/09/2007
Código do texto: T634205

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mariana Merigo
São José dos Campos - São Paulo - Brasil, 40 anos
12 textos (1815 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 13:35)