Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As coisas que mais quero neste momento

AS COISAS QUE MAIS QUERO NESTE INSTANTE:

Quero o silêncio de almas se comunicando. O silêncio explanativo, rico em detalhes; silêncio que faz declarações de amor; silêncio que torna os olhares uma linguagem particular, cifrada e explícita. Conversa de olhar, sem som, é bom. Ternura do toque das pontas de outros dedos, que não os meus, em minha face. Música suave e orquestrada em meus ouvidos. Saudade mansa de um amor tão grande que morreu. Risadas de crianças brincando, ao longe, que nos faz lembrar da casa da avó com mangueiras em flor que ficava perfumada, ao cair da noite. Uma taça de vinho tinto, pronta para um brinde, esperando a outra taça ser enchida. Barulho de charrete, cheiro de terra molhada pelo começo da chuva. O sol brilhando no céu azul ou noite de tempestade, com raios e trovões. Vem-me à memória  mamãe dizendo que São Pedro estava lavando o céu e arrastando os móveis, porque o barulho dos trovões me assustava. Lembranças de papai e mamãe conversando na varanda. Os fogos do dia 31 de Dezembro, soltados no Piraquê, vistos da nossa casa do outro lado da Lagoa. Um abraço apertado que nos faz sentir a proteção. Cheiro de leitão assando no forno, na véspera do Ano Novo. Vida nova pela frente; esperança, sonhos, planos... Desafios difíceis que se consegue vencer; basta ter determinação. A sensação do dever cumprido por ter plantado árvores e escrito um livro. Lembranças de todos que se foram, que estão distantes, que não nos compreendem. Obstáculos vencidos e amores reconquistados. Palavras doces e doce de coco: quindim. Uma banheira de hidromassagem e um veleiro chegando, apontando na linha do horizonte. Sino tocando na igreja e chamando os fiéis para a missa. Uma pedreira maciça e a mata cerrada. A Floresta Amazônica vista do alto com o Rio, como uma cobra serpenteando, subindo montes e descendo vales. Uma picada na mata, uma casinha de sapê com uma fogueira acesa e um café partilhado. O sono chegando e uma cama macia ou uma rede por perto. O barulho do mar batendo com força nas pedras em dia de ressaca. Um pedido de perdão formulado e aceito. A brisa no rosto suado pelo calor do sol de verão. Noite de Natal e expectativa da chegada do Papai Noel. Ovos de Páscoa escondidos no jardim. Brincadeira de bandido e mocinho, sem revolver de mentira; apenas os dedos. Inocência de criança que pode ter gerado tanta violência nos dias de hoje. Filmes em preto e branco onde  torcíamos para que o cavaleiro de chapéu branco vencesse o de chapéu preto. Histórias de fadas e cinderelas que preenchiam os nossos sonhos infantis. Festa de aniversário com bolo e brigadeiro. O soprar das velas exigiam enorme esforço dos nossos pequenos pulmões. Cabelos brancos que trazem a sabedoria da idade, a compreensão, as lembranças agradáveis e a amnésia dos sofrimentos. A fé e a esperança que nos dá a certeza de que Alguém, lá no alto, vela por nós. Livros e discos que são, repetidamente, atualizados e usados. Perfume no ar que nos remete a alguém querido que, desta forma, se faz presente no nosso ambiente. Você, ideal imaginado, sonhado, se tornando realidade na minha vida. Estas são as coisas que mais quero neste instante!

Gilda Porto
Enviado por Gilda Porto em 18/09/2007
Código do texto: T657956
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gilda Porto
Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil
131 textos (16758 leituras)
1 e-livros (151 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 18:47)
Gilda Porto