Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Crônica do Gato Xadrez

                                                               
                    Era um vez um gato xadrez, que tinha tio irlandês, filho de pai escocês, parente do vizinho chinês, que por sua vez... era contra parente da mãe do holandês.
                   Assim por de vez, sem saber por onde correr, fugiu da gaiola com a gata do francês.
                  Subiu o telhado todo torto de tanto chamar, pela gata que  do porto desporto fazia.
                  Era um vez um gato serelepe, que meio  mequetrefe, bancando o moleque usou o rabo de leque.
                  Assim, foi andando, vantagem contando, pensando pegar o canário cantando.
                  Subiu  na janela  felino  ladino,  com ar  varonil, e ardil de rapina.
                 Era uma vez um canário, que banca de otário, que sabia da missa sabia melhor que o vigário.
                 Assim, por não ter mais que o poleiro, fingiu o matreiro temor verdadeiro.
                Subiu pela gaiola, abriu a tramela, fez do bico viola pro cachorro frajola, como lobo da historia, deixar o gato só na memória.
                 Era uma vez para o gato fuleiro, o fim da aventura de mais faroleiro.
ana jacinta
Enviado por ana jacinta em 20/09/2007
Código do texto: T661341

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ana jacinta
Curitiba - Paraná - Brasil
8 textos (554 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 20:37)