Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tempo Abreviado

O ano já passou da metade, e a impressão que temos é que ele começou ainda ontem. O que aconteceu com o tempo? Sinceramente não sei. O intervalo entre o nosso despertar e nosso adormecer está se tornando cada vez mais rápido.
O dia está curto demais, ou os nossos afazeres cotidianos é que aumentaram muito nos últimos anos. Passamos num corre-corre tão grande que o dia necessitaria de no mínimo ter trinta e seis horas para podermos realizar todas as nossas tarefas.
O que sê, são pessoas que mal se cumprimentam nas ruas, ou quando muito um aceno de longe e nada mais. Filas intermináveis nos bancos, nas lojas, no estacionamento, nas ruas, no transito, nas rodoviárias, aeroportos. Ufa! Pessoas mal humoradas e estressadas.
Já tentaram ir ao banco em dia de pagamento ou após um feriado prolongado? Sim todos nós sabemos muito bem o que isso significa.
Pra onde está indo o bom humor, a cordialidade, a educação e respeito entra as pessoas. Não coseguimos mais sermos gentis e educados, ou será que a própria situação  é que nos obriga a agirmos assim. Afinal quem resiste a um transito lento e barulhento: buzinas, sirenes e gritos dos motoristas. Sem contar o atraso nos compromissos e ter que aguentar o chefe irritado e a enorme perda de tempo num transito parado.
Podemos dizer assim: no mundo de hoje tudo tem que ser muito rápido, tudo acontece de forma muito ágil, o mundo gira na velocidade dea internet, tudo simultâneo, tudo em tempo real. As noticias chegam de forma instantânea ao acontecimento, e o que aconteceu do outro lado mundo,  nos chega na hora exata dos acontecimentos.
Com o telefone celular, que hoje se tornou algo indispensável, as pessoas se comunicam esteja elas onde estiverem. Coisa que alguns anos atrás era apenas sonho. Enfim a tecnologia não tem limites. Ela é muito boa, resolve situações que seriam impossíveis de serem resolvidas. Com ela se fecha negócios e também muitas vidas são salvas. Tudo porem tem seu preço, quantas vezes num belo dia de folga toca o telefone celular e o nosso patrão nos convoca para uma reunião urgente, ou então para resolver um problema inesperado  que aconteceu na empresa.
Acabou-se o tempo em que o expediente de trabalho tinha hora para começar e terminar. Hoje não se tem hora para nada, nem para entrar e muito menos para sair. Trabalha-se de dia e de noite, madrugada, sabados, domingos e até feriados. tudo em nome da empresa, das metas e objetivos que ela nos coloca. E se não for assim, o mercado de trabalho, nos troca por alguém que aceite as suas condições. Acabamos ficando refém de uma situação onde somos obrigados a viver esse ritmo de vida ou somos excluídos do trabalho e da sociedade de uma forma geral.
Um dia desses, num raro momento de tranquilidade na minha apertada agenda de compromissos, comecei a imaginar e a fazer um parâmetro, de como seria bom viver a vida numa época mais antiga. Numa época onde o meio de transporte era o cavalo e as charretes, a rua calma e sem o transito infernal, sem buzinas e ronco dos motores. Sem fumaças e motoristas estressados. As pessoas poderiam andar tranquilamente pela cidade sem o medo de assaltos e da violência urbana.
Era comum as pessoas passearem pelas praças e se sentarem nos bancos  para lerem jornais, alías o jornal era o único meio de comunicação. Ou simplesmente para jogarem conversa fora.
Fico imaginando como seria interessante viver sem televisão, telefone e tantas outras coisas, que por um lado nos ajudam, e por outro tomam tanto o nosso tempo. Quanto tempo não se perde na frente da televisão, muitas vezes assistindo qualquer porcaria que nos obrigam a ver por pura falta de opção.
Certa vez escutei a minha avó dizer: o tempo está abreviado. Confesso que na época, não entendi direito o que ela quis dizer com essa frase, e também não dei muita importância a ela. É comum aos jovens não darem muita atenção ao que os mais velhos falam. Agora depois de algum tempo, eu mais maduro, pude refletir e a entender melhor o que ela queria me dizer. Mesmo ela tendo razão, eu discordo um pouco dela. Acredito que não é o tempo que rege o mundo que está ficando abreviado. E sim o tempo particular de cada pessoa. Cada vez mais se vemos obrigados a cumprir mais e mais tarefas, é trabalho que não tem fim, é crianças na escola,natação, inglês, pagar contas, lavar o carro, passear com o cachorro, navegar na internet, reuniões, jantares. E assim o tempo fica cada vez mias abreviado.
Essa é a vida moderna, cheia de coisas boas e importantes para o nosso dia-a-dia. Porém temos de conviver com todas as suas consequências. Precisamos saber tirar o máximo proveito dela e procurar saber dosar as coisas para que tenhamos uma vida produtiva e ao mesmo tempo gostosa de viver. Devemos procurar brechas na nossa agenda, para podermos relaxar e esquecer a correria do dia-a-dia. Procurar ter mais contato com as pessoas que amamos, e reservar algumas horas da semana para podermos cuidar de nós mesmos. "E que tal de vez em quando deixarmos o celular desligado."
 
   
Carlos Costa
Enviado por Carlos Costa em 20/09/2007
Código do texto: T661364

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Costa
Tatuí - São Paulo - Brasil, 48 anos
15 textos (1602 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 03:52)
Carlos Costa