Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As dores da alma

Meu coração é esburacado por tanta maldade alheia, às vezes nem eu mesmo sei dizer se ele ainda suporta alguma coisa mais. Mas quer saber de uma coisa eu nem ligo mais, não vou perder tempo tentando achar culpados para tudo que acontece de errado na minha vida, como se isso fosse mudá-la em algo.
Cada noite quando deito para descansar, já não tenho certeza de que forma despertarei.
Volta e meia acordo no meio da noite, assustado como se já estivesse fora desse corpo físico, dizem que quando estão chegando nossos momentos finais aqui nesse mundo a alma já não suporta muito a idéia de estar presa a esse.
Talvez seja essa uma explicação para o que sinto...
Muitas vezes acordo a noite com dores que não posso controlar.
Uma noite dessas, coisa de dois dias atrás, acordei com meu lado esquerdo todo dormente, quis levantar e não tive forças, então me aquietei e tentei dormir mais uma vez.
Confesso que já não sei se tenho vontade ou motivos para estar por aqui
Mas não nasci pra semente, gosto de andar nesse mundo, mas sei que não vim para ser eterno.
Não preciso aprovação de ninguém, sei bem com quem prestar minhas contas.
Tenho muitas dúvidas sobre meu futuro, mas quem não tem?
Muitas vezes eu mesmo me condeno pelo que tenho feito, mas sempre depois disso vivo momentos que me provam ter agido da maneira mais correta.
Quem não quiser receber críticas que viva de maneira perfeita sem cometer erros.
Duvido muito que alguém consiga viver assim com perfeição.
Para aqueles que pensam o contrário posso mostrar um espelho e então a realidade provará o contrário.
Cada um de nós pensa saber que conhece o que é melhor para si, então porque tantos erros?
Alguns até pensam que conhecem receitas para arrumar e melhorar a vida de outros, que falta de humildade não é...
É fácil cometer erros, dizer inverdades e depois ausentar-se, mas um dia a casa cai e ai talvez seja tarde para preocupar-se com os aspectos de segurança.
Até que a vida prove o contrário procuro confiar nas pessoas, mas elas nem sempre são confiáveis.
Não me lembro de ter assinado nenhum documento me comprometendo em falar e escrever somente aquilo que é agradável aos outros.
Tenho lido e ouvido muita coisa desagradável sobre minha pessoa, mas sinceramente não fico procurando pela opinião dos outros, minha consciência é que vai falar mais forte sempre.
Tudo que posso dizer nesse momento, parafraseia os co-irmãos Catarinenses, se queres, queres se não queres dizes... Ou quem sabe como dizem outros por ai afora se não queres, tem quem queira, mas isso não significa que eu ainda queira...
Prometi para mim mesmo, através de um pacto comigo mesmo, não vou mais chorar pelo desamor das outras pessoas, quem quiser ter um amigo, quem quiser ter um amor que me de a mão, do contrario que atire todas as pedras que sentir vontade, se isso lhe fizer bem para alma.
A vida é muito mais do que desconfianças e problemas que nós mesmos alimentamos, como já escreveu o meu homônimo da bíblia: “Viver para mim é uma dádiva e o morrer dádiva maior ainda, pois mais rápido estarei junto daquele que realmente me ama.”
Não me conte sobre seus sonhos e suas vontades, pois os meus sonhos e as minhas vontades tem caído por terra dia após dia, sem que eu ao menos possa entender os motivos.
Ao longo dessa minha caminhada tenho percebido que não nasci para ter sonhos,
Vivo cada dia como se fosse o último por aqui, pois o meu sonho pode se espedaçar em cada esquina que eu passar, assim tem sido...
Mas isso não me fez um egoísta, tipo desses que só consegue olhar ao redor do seu umbigo e que muitas vezes se acha o centro do universo.
Tenho sim consciência do grão de areia que sou no meio dessa multidão toda.
Já abri mão de tanta coisa que eu queria e até mesmo que eu precisava, só para ver o ar de felicidade estampada em um outro rosto, muitas dessas vezes essa minha atitude me trouxe o convívio com a dor. Muitas dessas dores carrego até hoje e sofro quieto no meu canto, pois sei que algum dia a recompensa virá.
Já dei tudo que tinha para pessoas que depois cuspiram na minha cara.
Já ajudei pessoas que depois se  esqueceram da mão que estendi e ajudaram a me derrubar.
Já ouvi tanta promessa que depois foi quebrada sem sequer uma explicação.
Mas apesar de tudo isso nesses meus quarenta e poucos anos de vivencia aqui, já testemunhei tantos atos de caridade e bondade sem nenhum interesse de receber algo em troca. Nesses momentos meu coração ficou também apertado, mas por pura emoção e talvez por muita alegria.
Por favor, não me julgues pelo que desconheces, não queira me criticar sem antes tentar se colocar no meu lugar e enxergando tudo o que eu vi, olha que tem muita coisa que eu não pedi para ver e por isso fiquei calado.
Mas não esqueço também que nessa minha caminhada por aqui, muitos foram os que choraram por mim, porque enxergaram injustiças e tiverem compaixão comigo
Muitos foram os que mesmo sem saber, muito me ajudaram.
Muitos foram os exemplos positivos.
 
Então agora só me restou pedir desculpas por todo mal que causei em sua vida, aceita esse pedido para que um dia minha alma possa descansar em paz...
Paulo Moura
Enviado por Paulo Moura em 21/09/2007
Código do texto: T662091

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite Paulo Moura - prdemoura@gmail.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Moura
Canguçu - Rio Grande do Sul - Brasil, 55 anos
26 textos (2561 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 05:36)
Paulo Moura