Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

François Villon em Marechal Hermes

 

Encontro François Villon num sebo de calçada em Marechal Hermes, à porta de uma velha quitanda falida. Poeta andarilho do falso-lúmpen de seu tempo, via-se agora imobilizado no chão, na desagradável companhia de Danielle Steel e outros diluidores, doido para que uma boa alma o arrancasse dali. Condenado à forca em 1463 pelo preboste de Paris, não deve ter sofrido tanto — como nesta calçada — enquanto aguardava atrás das grades a execução da sentença. Que lhe foi comutada, diga-se de passagem, e convertida em desterro definitivo* da cidade onde levara uma vida de vagabundagem e deboche no meio de bêbados, ladrões e prostitutas, satirizando sem piedade os maiorais do pedaço e sendo perseguido por eles. Achei que devia fazer a mesma coisa, ou seja, achei que devia seguir o exemplo das autoridades parisienses e livrar o nosso pobre Villon, como gostava de referir-se a si mesmo, da sufocação dos bestsellers que o cercavam de todos os lados. O livreiro de rua, para quem a maltrapilha edição da Gallimard de Le testament (o chamado grande testamento) era o maior encalhe de sua longa carreira no bairro, olhava-me com estranha curiosidade ao entregar-me o volume, como se eu tivesse surgido inesperadamente de um mundo paralelo. Caprichando no acinte, ainda disparou: "Se o senhor comprar outro livro, pode levar esse aí de graça." Esse aí eras tu, Villon. Um mero brinde, um alvissareiro desencalhe. Paguei dez reais pelo teu testamento poético, uma fortuna nas condições financeiras em que me encontro. Mas dorme em paz, Villon. Agora é trazer-te comigo e aprender um pouco mais com essa voz autêntica dos becos e das tavernas de Paris.


[7.9.2005]

Luiz Guerra
Enviado por Luiz Guerra em 29/09/2007
Código do texto: T673980

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Luiz Guerra, www.galhodearruda.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luiz Guerra
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 69 anos
166 textos (17253 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 14:21)
Luiz Guerra