Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

É o mundo pequeno ou são as pessoas pequenas?




Sempre acreditava que o mundo era pequeno. Agora tenho de mudar de opinião porque o mundo é somente pequeno com relação ao universo em que está; é grande em comparação a mim.

Portanto, pequenas são as pessoas que agem sempre querendo vantagem. É a teoria da fila: sempre estar em primeiro lugar, não importando as demais pessoas que já aguardam nesta fila. Tentam achar uma brecha para poder ficar na frente das pessoas.

A cada dia percebo o quanto às pessoas estão se desvirtuando da obra de Deus; esquecem que outros existem e sempre usam a Lei do Gerson. Fico triste porque querem impor algo que não acontece e infelizmente o papel aceita, e as manchas ficam espalhadas pelo mundo. Provar o contrário deveria ser dos acusadores, mas ainda a nossa sociedade pensa diferente. Basta dizer algo que outra pessoa sofra.

Estou escutando a música Somewhere Over the Rainbow de Israel Kamakawiwo'ole e fico pensando que deve existir em algum lugar do arco-íris um mundo diferente e um dia, se descobrir, pedirei a uma estrela para realizar os sonhos que vocês ousam sonhar (...) e verei um mundo maravilhoso onde amigos apertam as mãos (...)

Por mais duro que seja a carcaça de uma pessoa, por mais violento que seja um bandido, sempre por  de baixo, tem um espírito que sofre e que precisa de compreensão e de carinho. As pessoas não são más; elas são a continuidade de uma vida imperfeita, dos desvios sofridos e aceitos por elas mesmas.

Às vezes somos obrigados a ser enérgicos e quando uma situação muda, quando muda uma vida, o entendimento por outras pessoas também muda e isto não deveria acontecer. Agora prevalece o faça o que digo, mas não faça o que faço. Simples demais para ser verdadeiro.

Não vi tudo nesta vida e espero que possa ver e tentar compreender a verdadeira razão que leva as pessoas a agirem diferente ao que pregam. Digo sempre que são pessoas de carteirinha, com uma fotografia bem grande estampada no peito, mas no fundo, são coitados a espera de amparo e amor; por outro lado, mesmo sabendo de como proceder, não dão o braço a torcer e sempre dizem: se você mudar, eu mudo, quando deveriam fazer o contrário. Eu mudo, mas se você quiser, mude também.

Sigo meu destino, o qual foi escrito por mim mesmo dentro daquilo em que acredito; sei que os meus erros deverão ser reparados unicamente por mim e que a cruz que carrego tem o tamanho, o peso e dimensão que eu posso suportar. Pedir para reduzi-la é criar mais dívidas e isto não quero mais. Quero evoluir e ter a possibilidade de dizer: procurei ser o mais íntegro e honesto possível; procurei sempre viver dentro da moral e da ética; agi sempre em prol dos outros e jamais tentei ser o primeiro e quem sabe eu encontre o arco-íris que o Israel canta em sua música e lá encontre os amigos e os inimigos, e juntos possamos rir das bobagens que fizemos, dos esquecimentos propositais e das peças que pregamos àqueles que dizíamos: eu te amo.

Oscar Schild.
Oscar Schild
Enviado por Oscar Schild em 17/10/2007
Código do texto: T697733

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site www.grandesvendedores.com.br). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Oscar Schild
São Leopoldo - Rio Grande do Sul - Brasil, 60 anos
98 textos (5024 leituras)
1 e-livros (54 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 09:45)
Oscar Schild