Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BANG BANG SOCIAL

BANG BANG SOCIAL

Fiz questão de usar o termo americanizado porque tudo contribui para essa convulsão social instalada em nosso cotidiano. Nosso cotidiano sim! Não adianta fingir que a guerra é só no morro, ela começa aqui embaixo, dentro dos nossos lares; primeiro pelo pouco cuidado que uns tem com os outros, depois pela invasão da televisão que adentra nossa casa sem pedir licença, massacrando a inocência das nossas crianças que um dia se tornarão adultos com seus inúmeros traumas sociais.
Quantos corpos, ainda, será preciso para lavar a escadaria por onde passa vidas abortadas pelo descaso de toda uma nação? É importante que cada indivíduo se coloque como ator principal em todas as questões sociais. De alguma maneira contribuímos para a perpetuação das coisas, sejam elas boas ou ruins. Isso não quer dizer que sejamos pessoas insanas, mas, além de vítimas, somos réus, porém, não é um processo consciente de culpas e culpados e, sim, uma onda que vai nos levando cheia de nuances perigosas e nem nos damos conta.
O grande problema é acharmos que tudo só acontece com os outros seja o apogeu ou a derrocada, temos uma facilidade para secar o veio do nosso rio, sempre promissor a espera do nosso amadurecimento para melhor usarmos todo o seu potencial.
Os policiais (homens) que sobem o morro levam no peito inflado a vaidade de defender uma pátria chorosa e amedrontada, refém dos seus filhos cheios de vícios e medos; os bandidos (homens) que vivem no morro estão sempre de peito aberto, sustentados por uma vazio sem perspectiva onde o grande barato é ter vícios e viciados sem medo.




Elvira Pereira de Araújo
Enviado por Elvira Pereira de Araújo em 19/10/2007
Código do texto: T701115

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Elvira Pereira). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Elvira Pereira de Araújo
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 53 anos
65 textos (4233 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 20:32)