Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meninices

Criança nunca sabe muito bem os porquês de algumas situações.
Um tumúlto, corre corre, rostos preocupados, e a tia vai com os pequenos pro quarto dos fundos, fecha a porta e ordena: todo mundo quietinho prá ouvir histórias. Ela era a mestra das histórias, devorava páginas e páginas de livros de todos os tipos. Tinha pouco estudo, mas das letras entendia bem.
Sabia como envolver, criar situações, histórias de terror eram suas preferidas.
Alguém se arrisca a perguntar o que está acontecendo, mas ela sai pela tangente com a boa e velha: _Coisa de gente grande.
Todo mundo deitadinho no chão,na cama não caberíamos todos, explica.
Começa sua narrativa entre olhares vidrados, coraçõezinhos acelerados, medo e ansiedade típicos da meninice.
É a história da pisadeira, sua preferida (e minha também,já falei sobre ela). Uma assombração amiga das mães e dos pais, e danada com crianças espuletas e mal criadas.
A pisadeira anda pelas casas enquanto as crianças dormem. Aquelas que são boazinhas para suas mães dormem tranquilas, porém, aquelas que fizeram muita estripulia, que desobedeceram, que responderam aos seus pais, essas não têm paz durante o sono.
Ela chega no comecinho da noite, e começa a agitar suas camas. Balança violentamente.
_ Ohhhhhhh!!! Arregalam os olhos os pequeninos,imaginando a hora de dormir.
_ E como ela é tia? Pergunta algum mais curioso.
_ E alguém sabe por acaso? Retruca a tia. Ela vem no escuro, e ninguém a vê. Você não consegue sair da cama nem gritar socorro. Apenas ouve seus pés arrastando, e sente a cama balançando. Não dá tempo de nada, quando você percebe ela já está aqui.
Enquanto a história se desenrola, sirenes e rajadas de bala ressoam do lado de fora. Mas nada suficiente para tirar a atenção e o pavor daqueles pequenos. O fim da história é sempre instigante. Cada um imagina uma coisa, mas ninguém se atreve a arriscar, esperam ansiosos pelas surpresas.
E a tia continua:
_ Só tem uma maneira de espantar a Pisadeira.
_ Como tia??? Conta! Já imaginando que precisaria um dia daquela arma poderosa contra sua mais nova inimiga.
_ A única maneira de espantar a Pisadeira é rezando até o fim a oração do Credo (creio em Deus pai...). Assim, ela aproveitava aquele gancho,  para rezar um pouco com eles e espantar assombrações mais reais, que atormentavam do lado de fora.
E alertava (já que a oração do Credo é bem longa e difícil de se aprender): ela só vai embora se você rezar do começo ao fim. Se parar no meio do caminho, tem que começar de novo. Só depois é que ela se vai.
Sempre há os mais incrédulos, metidos a espertinhos. _Ah, tia...é verdade mesmo? Como é que você sabe disso, ela já veio no seu quarto?
Entre perguntas, desconfianças, medo de que alguém determine a sentença: Tá na hora de dormir, a hora vai passando, o barulho do lado de fora vai diminuindo, alguém bate à porta e avisa:_ Podem sair agora, já acabou.
Finalmente podemos nos levantar, abrir a porta do quarto e respirar aliviados, já fizemos nossas orações e espantamos os inimigos do lado de fora. Agora é aguardar a hora de dormir e recomeçar uma nova batalha.
 
Monica San
Enviado por Monica San em 09/11/2007
Código do texto: T730095

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Monica San
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil, 47 anos
251 textos (6299 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 02:36)
Monica San