Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

**UM DIA ESPECIAL**

- Finalmente sábado...
Disse para si mesmo Cláudio enquanto abria os olhos e desligava o despertador. Levantou, abriu a janela e vislumbrou uma bela manhã de sábado bem ensolarada, do jeitinho que havia desejado durante toda a semana.
- Quero curtir meu dia numa boa. Esse dia vai ser especial. Disse Cláudio terminando um longo bocejo. Afinal, sou filho de Deus, também mereço um descanso, minha semana foi muito difícil, já não agüentava mais toda aquela bagunça, pessoas andando para lá e para cá sem cessar, o trânsito com aquelas brigas e tudo mais. Chega! Quero esquecer tudo isso.
Foi até a cozinha, abriu a geladeira, parou uns instantes como se conferisse e registrasse mentalmente tudo que havia lá dentro.
- Quando quero comer, só encontro dentro dessa porcaria essas coisas com as quais não dá pra cozinhar nada. Só se eu resolvesse comer de café da manhã, repolho com manteiga, gelo com maionese e água com colorau. Espera aí, esse troço se guarda na geladeira mesmo?
- Ah, quer saber, esquece, não vou esquentar a cabeça com isso não, vou comer na padaria.
Bateu a porta da geladeira, deu meia volta, parou um instante e voltou-se novamente para geladeira como se tivesse esquecido algo. Tentou abrir a geladeira, mas teve que esperar mais alguns segundos, pois o sistema de refrigeração do aparelho trava a porta depois de fechada. Cláudio pareceu impaciente. Desistiu e voltou ao quarto, encontrou ao pé da cama uma sandália surrada para calçar, vestiu uma camiseta qualquer, e foi até o banheiro para terminar de se arrumar. Sem muita atenção escovou os dentes e penteou o cabelo.
Ao abrir a porta da frente de sua casa, cobriu os olhos com o antebraço, pois teve a visão ofuscada pela luz do sol. Lembrou-se novamente que era sábado, se espreguiçou e pensou: Ah, esse dia vai ser especial.
Caminhou até o portão enquanto conferia seus pertences: chaves, carteira, alarme do carro. Pensou até em ir a pé, pois a padaria ficava a dois quarteirões da sua casa, mas desistiu, o dia estava bem quente, um sábado desses muito ensolarado, ainda faltavam algumas horas para o meio dia, pensou ele.
Cláudio continuou nessa divagação enquanto ligava o carro. Chegou à padaria, encostou o carro e desceu. Deu dois passos e caiu morto.

De acordo com o médico, foi infarto fulminante. Com apenas 27 anos.
 

2 perguntas:


• O que ele fez de especial, para tornar o dia dele especial também?
• E você, o que irá fazer amanhã?




Paulo Martiniano
Enviado por Paulo Martiniano em 19/11/2007
Reeditado em 20/11/2007
Código do texto: T742838
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Martiniano
São Paulo - São Paulo - Brasil, 33 anos
36 textos (13061 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 09:44)
Paulo Martiniano