Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOGRA, melhor sem elas !


            Relutei em escrever esta crônica falando desta entidade tão intricada chamada Sogra. No entanto, a experiência me deixa a vontade para escrevê-la.
Muitos me perguntam porque a Sogra na nossa cultura é estilizada como a Bruxa da Vassoura.
Segundo os mais conservadores este dogma dar-se-á simplesmente pelo apego que as mães tem aos seus filhos, entranhando-se na relação de forma desordenada e não dividindo a filha com o genro. Na teoria dos medianos, a Bruxa da Vassoura é apenas uma alusão a personagem das histórias infantis, que tenta fazer maldade por pura inveja da felicidade dos outros, nunca conseguindo o seu objetivo. Eu e o grupo dos radicais, chegamos a uma conclusão a respeito da Sogra: A sogra não deve se tornar uma extensão da sua família e sim uma distração; você faz que à ouve, rir com qualquer coisa que ela conta e não segue nada do que ela diz. Afinal, ela é somente uma Sogra.
A convivência entre Sogra e Genro torna-se impossível principalmente quando o segundo tem uma posição independente. O fato de não concordar com os posicionamentos e pensamentos da primeira, torna o Genro um inimigo iminente. Os outros Genros que se submetem aos caprichos da Bruxa da Vassoura, passam a ser robotizados por elas, e esta dependência torna o falso
sorriso entre os dois bilateral. Nos bastidores, a Sogra age como uma Cascavel. Sorrateira, vasculha silenciosamente detalhes da vida do Genro, tentando achar alguma mínima falha para avolumá-lo e tentar desmanchar tudo de bom, que por ventura o Genro já tiver feito, até mesmo desmerecer o amor deste, por sua filha.
A Sogra se escora na posição de avó dos nossos filhos para tentar tornar-se parte da família. Normalmente sobrecarrega os netos de presentes e promessas de viagens, na tentativa de comprar as cabeças infantis para seguir em frente fazendo suas maldades.
Infelizmente temos que conviver anualmente no Natal, aniversários de familiares, casamentos de amigos e até em funerais. Porém, por amor a nossa mulher, vale o sacrifício.
Eu e o grupo dos radicais, chegamos a uma conclusão que virou tese, ou seja, uma afirmação; “ a única Sogra que presta é a da minha esposa “.
O resto é Sogra...

Henrique Gondim
Enviado por Henrique Gondim em 24/11/2007
Código do texto: T749972
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Henrique Gondim - www.henriquegondim.com.br). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Henrique Gondim
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 52 anos
53 textos (5823 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 20:58)
Henrique Gondim