Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Bons moços e os pobres moços

O poeta Cazuza disse: “A burguesia fede”... O Falcão parodiando cantou: “mas tem dinheiro pra comprar perfume”... é claro que o poeta estava se referindo  ao caráter, a moral dos nossos burgueses. Basta olharmos em volta e perceberemos que o odor está no ar.
Há quinhentos anos o Brasil foi governado pela “direita”, se é que existe isso na política, e os resultados são devastadores; desigualdade, desemprego, a maior fatia do bolo fica com a minoria que há tanto tempo vem abocanhando o nosso dinheiro. Só pra ilustrar nós temos na atualidade, casos absurdos de abuso do poder público, e também de sonegadores de impostos que imperam no nosso país.
Recentemente discutimos o desarmamento, através de um plebiscito, enquanto isso dólares eram encontrados na cueca; Paulo Malufe desviava cento e sessenta e um milhões de dólares da prefeitura de São Paulo; José Dirceu mostrando por que teve o poder nas mãos; e os outros partidos já entendidos de maracutáias, fazem um circo dos horrores na televisão todos os dias, como se jamais tivessem feito algo semelhante, tirando de “bons mocinhos”, numa corrida para as eleições, e mais uma vez demonstrando que estão se lixando para o povo brasileiro.
Contudo nos resta aplaudir? Acreditar? Em quem? Claro que tem políticos honestos, pais de família que estão ganhando o pão necessário como a maioria de nós. Mas não dá pra aceitar tanta desonestidade e ficar com os braços cruzados, se o caro leitor concorda, é por que tem bom senso, mas esta informação tem leitura limitada, porque algumas pessoas que tem acesso a internet lerá, e mais uma vez a maioria ficará fora.
Kembo
Wellington Abreu
Enviado por Wellington Abreu em 24/11/2005
Código do texto: T75656

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wellington Abreu
Ceilândia - Distrito Federal - Brasil, 41 anos
28 textos (2574 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 22:35)
Wellington Abreu