Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 

         O QUIABO

 

    Em matéria de comida, cada um de nós tem uma ou duas coisas que simplesmente detesta, que só de ver ou sentir o cheiro, nos deixam arrepiados. Alguns exemplos a seguir. Jiló. Tem gente que sente náuseas só de ouvir falar.

    Eu não! Gosto de jiló frito, ensopado e até em doce (doce de jiló também não é muita vantagem, pois como qualquer tipo de doce, menos “arroz doce”). Meu filho, por exemplo, não come peixe, mas adora camarão.

   Várias vezes tentei explicar para ele que camarão, embora seja crustáceo , é da mesma vizinhança de peixes deliciosos. Certa vez fomos a Guaraparí (delicia de lugar!) e enquanto eu derretia e me esbaldava numa enorme travessa de muqueca de peixe com molho de camarão ele comia.... bife com batatas fritas. Quem entende ?

   Outros não comem carne de porco, beterraba e acreditem, conheço uma menina que não gosta de sorvete! Ela prefere cocada branca. Cocada branca? É, cocada branca! Tive um colega que não comia feijão. Dizia que fazia mal para os dentes. É verdade, dizia que fazia mal para os dentes!

   Eu, já não sou tão enjoado assim. São poucas as coisas que não gosto e não como nem morto. Vou falar de uma delas, o quiabo. Certa vez participei de uma discussão se quiabo era legume ou fruta. Claro que é legume , pois se fosse fruta seria muito mais gostoso. E tem gente que adora quiabo !

  Há alguns anos atrás fomos convidados para um jantar na casa de um amigo conterrâneo. Seis casais e mais as crianças, seríamos quase vinte pessoas. Gostava muito desse amigo e não nos víamos há muito tempo. Por telefone, antes de nos despedirmos ele me disse : “Não deixe de ir. Vamos contar piadas, tomar umas cervejas e fumar uns charutos cubanos que ganhei. Pode acreditar, são autênticos! Minha mulher vai preparar um prato delicioso.”

   Querem melhor programa para uma noite de sábado ? Contar piadas, tomar cerveja e fumar charutos cubanos ? Charutos autênticos!

   Interrompo a narrativa para dar alguns conselhos : jamais vá a um jantar sem saber qual é o cardápio, não aceite charutos se você não souber fumar e jamais misture licor com cerveja e água mineral com gás. O que nunca cai bem é a água mineral com gás.

   Tocamos a campainha e meu amigo nos recebeu com abraços efusivos e elogios exagerados (me pareceram um pouco cínicos ) para minha camisa e o vestido da minha mulher. Cumprimentamos a todos e aí ocorreu aquilo que é tão natural nessas ocasiões : os homens foram para um canto e as mulheres foram para a cozinha. Os homens para contar piadas e as mulheres para fofocar e morrer de inveja do cabelo das rivais.

   Enquanto conversávamos e ríamos, cada um de nós pegou um enorme e cheiroso charuto que o anfitrião oferecia . Confesso que nunca tinha fumado em minha vida mas não podia fazer feio. O problema é que fiz feio e quase dei vexame. Comecei a ficar um pouco zonzo e enjoado e pedi um copo d'água.

   Meu amigo achou melhor me oferecer um licor verde, muito , mas muito forte. Bebi de um só trago e não caiu muito bem. O enjôo aumentou um pouco e aí, nesse momento a dona da casa interrompeu nossa conversa para avisar que o jantar estava sendo servido.

   Duas enormes travessas foram colocadas a mesa servindo “galinha mineira com quiabo”. Quiabo, logo quiabo ! Galinha mineira, tudo bem, mas quiabo ? Não gosto de quiabo muito antes de ter nascido. Não tem muita explicação, não. Não gosto e pronto!

   Antes que todos começassem a se servir, pedi licença para ir ao toalete com a desculpa de que não tinha lavado as mãos. Na verdade o que eu precisava era de um pouco de ar puro e quem sabe, jogar fora a mistura de charuto cubano (desconfio que eram charutos paraguaios) com licor verde e água mineral com gás (no banheiro, pude confirmar que o que me fez mal foi a água mineral com gás).

   Depois do alivio, lavar as mãos , olhar para o espelho e dar um sorriso de satisfação cometi o descuido (ou a tolice) de dar descarga no vaso sanitário (recomendo aos amigos que nunca façam isso na casa de outra pessoa ; em caso de dúvida, é melhor não usar o banheiro). As chances da descarga de um vaso sanitário na casa de amigos, num jantar de sábado a noite enguiçar e dar vazão a uma enxurrada barulhenta são remotas, não são ? Pois é, só que aconteceu comigo. E o que fazer ? Nada ! Simplesmente, nada ! Fechei a tampa do vaso, coloquei uma toalha em cima, apaguei a luz e voltei para a sala de jantar.

   Todos já tinham se servido e nem bem tinha tomado meu lugar, minha mulher colocou no meu prato duas belas coxas da tal galinha mineira e uma farta porção de quiabo ensopado.(poderia ter sido o contrário: uma farta porção de galinha mineira e dois quiabos ensopados) . O arroz que ela me serviu (estava lindo, pois veio misturado com passas e fiapos de azeitona), provavelmente era para compensar e disfarçar o cheiro, gosto e aparência do quiabo.

    Tem alguns suplícios que enfrento com toda coragem, por exemplo, tomar injeção, fazer exame de sangue e ir ao dentista, mas comer quiabo, era demais! Depois tem o fato de ter estragado a descarga do banheiro e aí eu teria que escolher: ou levava uma bronca ou comia o legume. E o pior, não poderia fechar os olhos.

   Dizem alguns entendidos que com pimenta e cerveja, desce qualquer coisa e o que fiz ? Coloquei no meu prato três exageradas doses de uma pimenta super-vermelha cheia de sementes, que só de sacudir o vidro, soltava fumaça.

   Mais uma vez quero dar um conselho : quando vocês comerem pimenta daquelas bem ardidas, procurem tomar muita água e permanecer um bom tempo com a boca aberta.

   O jantar transcorreu normalmente, igual a qualquer outro. Eu é que heroicamente consegui engolir, sem mastigar, todos os quiabos com pimenta e tudo. É bem verdade que para ajudar, tomei dois copos de cerveja e mais uma dose de licor.

   De sobremesa, veio um cafezinho delicioso e como não podia deixar de ser, mais umas baforadas num charuto cubano, que já tinha certeza, não eram autênticos. Estava começando a ficar zonzo novamente quando ouvi a uma criança gritando : “Mãe, o banheiro tá vazando e alagou tudo.”

   Achei melhor não fazer nenhum comentário pois já estava ficando bem zonzo . Nova dose de licor e depois, só me lembro das despedidas e da minha mulher dirigindo. Foi uma noite terrível. Não dormi bem, passei muito mal e acordei pior. De manhã, café forte com pouco açúcar e a pergunta da minha mulher : “O que será que te fez mal, hein ?”. Respondi de imediato; “Só pode ter sido o quiabo!”
 
                              **********

 

 NOTAS ESCLARECEDORAS :
1 – no domingo de manhã, logo após o café, liguei para o meu amigo me desculpando pela enguiço no vaso sanitário. Ele me deixou despreocupado ao informar que o defeito já vinha de longa data.

2 - não acredito que a mistura de charutos cubanos (que não eram autênticos), um licor que tinha cheiro e gosto de vick-vaporub e água mineral com gás contribuam para que um indivíduo tenha problemas intestinais.

3 - não tenho dúvida que a culpa de tudo, inclusive do acidente com o vaso sanitário, foi do... quiabo.




(.....imagem google.....)

WRAMOS
Enviado por WRAMOS em 02/12/2007
Reeditado em 05/01/2013
Código do texto: T762224
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
WRAMOS
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 72 anos
4901 textos (412234 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 08:50)
WRAMOS