Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amigo Oculto? NÃO!!!!!

Pode parecer mentira, mas é verdade! Eu tenho trauma de brincar de Amigo Oculto!
Enquanto a brincadeira foi feita por setores, tudo bem. A gente conhecia os colegas, sabia de seus gostos e o que o agradaria.
A sorteio passou a ser feita por todo o núcleo... Aí, nem te conto... A solução encontrada foi "fazer uma lista em que cada um colocava opções do que queria ganhar". Não era uma lista séria pois os "engraçadinhos" colocavam itens acima do valor estipulado. E muitas vezes a gente ficava sem saber o que comprar!
Eu sempre procurava colocar coisas simples e que pudessem ser encontradas sem dificuldade. Mas, sempre tirava um que complicava a coisa: sandália branca com tiras amarradas nas pernas, sabonete de lama de Poços de Calda, gargantilha de pedrinhas azuis da loja tal, na rua tal... E o pior é que eu sempre me esforçava para satisfazer o desejo e a pessoa recebia o presente como se não fosse o que queria.
No serviço, não dava nunca certo!
Tentei participar nos encontros de correspondentes. Aí, então, era mais complicado... Tínhamos que levar para o encontro um presente no valor tal, que servisse para homem ou mulher. O sorteio era feito na hora. Eu tentei camiseta com logomarca da cidade, acessórios para escrivaninha, porta retratos, CD's... em vão! Parece que eu sempre tirava a pessoa errada! Um ano, levei uma camiseta G, tirei uma moça baixinha e bem magrinha. A camisa engoliu ela! No ano seguinte, levei uma M e tirei um senhor enorme de gordo! No ano em que levei o acessório para escrivaninha, tirei uma senhora que não era correspondente, estava só de acompanhante da filha.
E na maioria das vezes, eu ganhei coisas que ficavam sem a menor utilidade.
O último encontro que participei, me deixou realmente traumatizada. E o ocorrido nem foi comigo...
Uma moça de Rondônia, veio para Minas Gerais de ônibus e trouxe um artesanato em cerâmica. Essa moça, minha amiga de longa data, uma criatura super simples, pouca instrução, uma pessoa sensível e muito carinhosa. Na hora da troca dos presentes, ela deu o azar de tira a mulher mais cheia de triques-triques do grupo. Entregou o embrulho, o papel estava amassado - ela veio de Rondônia num ônibus - e a talzinha comentou: "Nossa, que embrulho mal feito". Ela abriu e... a cerâmica estava quebrada! A mulher fez um escândalo... "O que é que eu vou fazer com esse lixo?" A moça chorava, morta de vergonha... "Ainda por cima, coisa de mau gosto... artesanato... quanto custou essa M....?" A mulher parecia uma desatinada...
A moça foi para o quarto, nós amigas dela fomos atrás.
E no dia seguinte, a tal mulher ainda foi jogar o presente em cima da moça! Revoltante!
Depois disso, eu fico fora da brincadeira...
Trauma! De verdade... fiquei traumatizada!
Tetê
Enviado por Tetê em 07/12/2007
Código do texto: T769039

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tetê
Araruama - Rio de Janeiro - Brasil, 61 anos
6 textos (655 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 21:12)
Tetê