Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LIBERDADE AOS CARECAS

Para começar, cabelo é uma coisa que abala quase todo mundo. São poucos os totalmente satisfeitos com esse monte de proteínas fioformes que puseram na cabeça da gente. Quem nunca ouviu: ah o meu é pouco; ah o meu é muito cheio; ah o meu não cresce; ah o meu enrola; ah o meu não dá uma volta? Ante tanta reclamação, a pior é aquela que a gente nem ouve. Sabe aquilo que incomoda tanto que se evita até falar? Pois é, a reclamação do calvo, do careca. Pense que ele não tem nem cabelo pra reclamar que ele é isso ou é aquilo.

Eu não conheço um careca satisfeito com sua calvície, talvez conformado, satisfeito, não. Conheço uns três que brincam com a própria situação, mas que, no fundo, se pudessem escolher, teriam fios a mais.

Bem, mas o pior da calvície é a insistência em livra-se dela. Tenho dó dos carecas por causa disso. É uma luta insana para disfarçar a superfície lisa exposta pela falta de fios, como se isso fosse realmente possível. E são muitas as formas utilizadas que resultam inúteis diante do fim almejado. Vamos a elas.

Alguns carecas têm a brilhante idéia de criar o cabelo remanescente próximo a uma das orelhas e penteá-los em direção à outra orelha, encobrindo assim a falha central, como se ninguém nem desconfiasse da tática utilizada.

Outros recorrem à famosa piruqueta que consiste num chumaço de fios para pôr na parte frontal da cabeça. O inconveniente desta opção é que quase nunca a cor e textura dos fios da piruqueta se harmonizam com os fios naturais que ainda restam no cidadão.

Uma outra tática é a de lambuzar a cabeça com um pó que colore o couro cabeludo, dando a falsa impressão de que existem mais fios por ali. Essa é mais adequada àqueles que possuem fios, ainda que muito poucos, mas bem distribuídos no couro cabeludo. Agora imaginem um dia de chuva ou de calor intenso para esses carecas. Devem fugir da chuva e do suor como o diabo corre da cruz.

Existem ainda as drágeas, xampus e tônicos milagrosos que prometem fazer nascer os fios perdidos. Sobre estes tenho notícias de que um ou outro tenha realmente surtido efeito, entretanto, com reações adversas não suportáveis para a maioria dos homens como a perda da virilidade. Além do mais, o cabelo que nasce pelo efeito do medicamento é muito fininho, sem vida, bem mixuruca mesmo e ainda que fosse um cabelo de comercial de xampu, ao meu ver, o sacrifício não valeria a pena.

Por fim, comentarei a respeito da técnica mais avançada e onerosa ao bolso: o implante de bulbos capilares. Embora seja aquela recomendada pelo meio científico, essa técnica também tem resultados frustrantes. Trata-se de um procedimento cirúrgico através do qual são retirados bulbos capilares que ainda restam no paciente para serem implantados na área carente de fios. A princípio pode parecer a revolução das técnicas na luta contra a calvície, mas o resultado tem a aparência de uma verdadeira touca de aplicar luzes. Quem já foi a um salão de beleza e lá passou uma tarde sabe do que eu estou falando. Para quem não viveu essa experiência, eu explico. Quando o cabeleireiro fala com toda a sua genialidade para mudar o visual: vamos abrir a cor deste cabelo dando umas luzes, ele vem de lá com uma touca de látex cheia de furinhos com espaços entre si de mais ou menos um centímetro e meio e põe em sua cabeça. Com uma agulha especial ele puxa para fora da touca alguns fios que serão coloridos geralmente num tom mais claro do que o tom dos cabelos que ficaram pra dentro da touca. E lá está você parecendo um Et com chumaços espaçados de cabelo na cabeça. Pois bem, o calvo que se submete ao implante fica exatamente com essa aparência. Isso porque os bulbos são milimétricos, o processo é cirúrgico, demorado e muito caro, assim, para dar uma idéia de homogeneidade, o médico implanta os bulbos espaçadamente. Pode até ser coincidência, mas os únicos calvos que eu conheço que se valeram dessa técnica são médicos. Ontem mesmo fui a uma consulta devido a uma inflamação na garganta filha da mãe e lá estava o doutor com a touca de luzes na cabeça.

Findo o breve relatório sobre os subterfúgios utilizados pelos carecas, vou ao propósito destas linhas: Carecas do mundo libertai-vos!! Rompam os grilhões que os mantêm escravos dessas técnicas malfeitoras. Abandonem o falso mundo do ridículo e assumam a charmosa superfície lisinha! Não se escondam por detrás de fios remanescentes, piruquetas destoantes e toucas de luzes. Joguem fora agora todos os tônicos, xampus e comprimidos que prometem uma cabeleira pomposa, deixando seus bolsos sem provisão e seu membro desprovido de forças e gritem junto comigo: Liberdade aos carecas!
Acreditem: a calvície não é pior do que disfarçá-la. Se você não pode contra seu inimigo, alie-se a ele e já que está no inferno, meu amigo, abraça o capeta!!!
 

5.Jan.MMVI
Manoela Franco
Enviado por Manoela Franco em 06/01/2006
Reeditado em 09/05/2012
Código do texto: T95213

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Manoela Franco
Feira de Santana - Bahia - Brasil, 34 anos
56 textos (3126 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:53)
Manoela Franco