Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FOGO E TERNURA

            Ct 8.5-7
FOGO E TERNURA
Uma consideração para o cântico dos cânticos.
Cantares de Salomão foi o livro mais discutido na história, de Israel e também da igreja. A discussão pairou sobre o tema: um hino de amor conjugal. A sua linguagem um tanto quanto romântica e com certa dose de erotismo, retratando o desejo sexual, e também a sensualidade de um casal que queima ardentemente de desejo.
Como gente religiosa tem dificuldade de abordar a temática do sexo como voz de Deus. O livro foi relegado a um segundo plano, quase não entrando no cânon das Escrituras Sagradas. João Calvino entendia que era um disparate a presença de tal texto na Bíblia; Contudo as Escrituras não foi dada por vontade humana, Deus soprou essas palavras para o escritor com certa dose de surpresa e escândalo para o seu povo.
Se por um lado Deus não requer que um casal ore e cante durante o fogo do leito imaculado (Hb 13.4). Por outra face, ele pode usar, e usou esse momento festivo do casal, para falar a sua noiva sunamita, a igreja.
 O escritor da epístola aos Hebreus no capítulo 1.1, diz: “Havendo Deus, Outrora, falado muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais pelos profetas...”  ou pelas escrituras.
Estou convencido que Catares é a celebração do amor esponsal: homem e mulher. Mas nesse lindo Cântico Deus usa o fogo do leito de núpcias para falar com o seu povo: Israel na antiga Aliança e a Igreja na Nova Aliança.

No fim do século XIX J. C. Westzsteim, cônsul da Prússia em Damasco  estudou os hábitos matrimoniais contemporâneos dos beduínos Sírios que apresentam muitas similaridades com os dos antigos judeus, e que estão refletidos no Cântico dos Cânticos.
As festas de núpcias duram uma semana; os esposos são coroados e recebem o título de Rei e Rainha; no pátio ou terreno, no meio da palha restante da recente debulha, é erguido um trono para o casal régio, construído com as pranchas da debulhadora. Em sua honra, cantam cantigas descritivas, que celebram as belezas físicas do casal, especialmente a da esposa; esta exibe numa dança, e um coro misto de homens e mulheres, acompanha com o canto os movimentos da dançarina. A dança e chamada, dança das espadas. A esposa maneja justamente uma espada para manter longe os possíveis raptores, que poderão atrapalhar o maravilhoso encontro íntimo com o esposo amado.
A inspiração bíblica que fez Deus o autor do texto sagrado, através do autor humano que o escreve, bem como  a unidade do plano revelador e salvífico, que abrange não só o tempo dos dois testamentos, mas da igreja e da humanidade inteira.

NO ANTIGO TESTAMENTO, DEUS É AQUELE QUE TEM UM MATRIMÔNIO COM ISRAEL, SEU POVO.
Jerusalém (Israel) é chamada para ser esposa de Deus.
Ez. 16.7,8 “Eu te fiz multiplicar como o renovo do campo, cresceste e te engrandeceste e chegaste a grande formosura; formaram-se os teus seios e te cresceram cabelos; no entanto estavas nua e descoberta. Passando eu  por junto de ti vi-te e eis que o teu tempo era tempo de amores. Estendi sobre ti as abas do meu manto, e cobri a tua nudez. Dei-te juramento, e entrei em aliança contigo, passaste a ser minha”.
A ESPOSA JERUSALÉM (SHULAMIT) É MULHER CUIDADA E ADORNADA POR PELO SEU ESPOSO JAVÉ.
Ez 16.9-14 “Te lavei com água, limpei do sangue, ungi com óleo (perfume), te vesti com roupas bordadas, calcei os teus pés, te vesti com linho fino  e seda, coloquei-te pendente no nariz, brincos nas orelhas, e coroa na cabeça. Assim fostes ornadas de ouro e prata, fostes alimentada com flor de farinha, de mel e azeite, eras formosas e chegaste a ser rainha”.

JAVÉ É ESPOSO TRAÍDO
Jerusalém confia na beleza e caminha em direção aos deuses Ez 16.15-16,
“Mas confiaste na tua formosura, e te entregastes a lascívia, por causa da tua fama, todo que passavas tu chamavas à tua intimidade. Tomastes os vestidos e fizestes altares nos montes e prostituístes; tomastes as jóias de enfeites fizestes estátuas de homens e prostituíste... Tomastes os teus filhos e as tuas filhas que me gerastes, e sacrificastes as estátuas... acaso é pequena a sua prostituição?...”.

Deus ordena a Oséias para tomar uma mulher de prostituições, que o profeta sinta a dor de ser traído como Javé sente por ser trocado por outros deuses.
Diz O Senhor: “Vai, e toma uma mulher de prostituições,... porque  a terra prostituiu e desviando do Senhor”. Os. 1.2.

O profeta Ezequiel usa uma linguagem um tanto quanto obscena e explícita porque o povo traia a Aliança esponsal com Javé. 16.25,26.
“A cada canto do caminho edificaste o teu altar e profanaste a tua formosura, abriste as tuas pernas a todo que passava, e multiplicaste as tuas prostituições. Também te prostituíste com os filhos do Egito, teus vizinhos de grandes membros, e multiplicaste as tuas prostituições”.

Os 2.5,7 “pois sua mãe prostituiu, aquela que te concebeu comportou-se com torpeza, porque diz:irei atrás dos meus amantes...Ela irá em seguimento aos seus amantes”.

JAVÉ PURIFICA ISRAEL (JERUSALÉM) E A DESPOSA
 Os 2.16,19,20. “Naquele dia,  diz o senhor, ela me chamará: meu marido...Desposarei contigo para sempre; desposar-te-ei comigo em justiça...Desposar-te-ei comigo em fidelidade  e conhecereis ao Senhor”.

APLICAÇÃO: A igreja precisa tomar consciência do valor da aliança com o seu esposo. Valorizar o culto puro, não prostituir os ídolos da modernidade, que são: as diversões, o espiritismo, as riquezas e os valores deste mundo cheio de trevas, desprezando a intimidade com Deus.

Na nova aliança a relação de amor é entre Cristo e a Igreja.

NO NOVO TESTAMENTO CRISTO TEM UM RELACIONAMENTO COM A IGREJA. NOIVA DESPOSADA.
Cristo celebra o anúncio da sua segunda vinda com parábolas de núpcias.
Mt 22.1-14 – parábola da bodas  - “conta à estória de um rei que celebrou as bodas do seu filho; então enviou seus servos para convidar os convidados...” v.1,2
 25.1-13 – parábola das dez virgens. “mas o reino dos céus é semelhante a dez virgens que tomando as suas lapadas saíram ao encontro do noivo... mas a meia noite: eis o noivo” v.1,6

João batista testemunha quem é o noivo. Diz ele: “eu não sou o Cristo. Quem tem a noiva é o noivo”. Jo 3.28,29.

Numa discussão sobre o por que não jejuavam, Jesus Responde: “podem porventura, jejuar os convidados enquanto O NOIVO  está presente? Enquanto estiver presente o noivo não precisam jejuar”. Mc 2.19.

A igreja é a virgem pura a espera do noivo.
II Cor 11.2 Paulo diz: “Paulo ... vos tenho preparado para apresentar como virgem pura a um só esposo que é Cristo”.
O matrimônio é referido como o ápice da criação e é tido como um grande mistério. Após Deus criar todas as coisas, Ele olha para o homem e conclui: “não é bom que o homem esteja só, farei uma companheira idônea... ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus, e não se envergonhavam” Gn2.18,25.
Paulo orientando os casais da igreja que está em Éfeso, diz:  “Deixará homem pai e mãe e se unirá à sua mulher; grande é esse mistério, mas eu refiro a Cristo e a igreja”.
Quando o apóstolo João recebeu as visões apocalípticas, foi visto a cerimônia  do casamento eterno, e a noiva estava adornada para a ocasião.
Ap 19.7;21.9 diz: “Vê o cordeiro e a noiva vestida, adornada (...) Vem e vê a noiva, as esposa do cordeiro”.
Há coisas difíceis de entender, como disse o sábio Agur, nos seus conselhos proverbiais:
“Há três coisas que são maravilhosas demais pra mim, sim, há quatro que não entendo: O caminho da águia no céu, o caminho da cobra na rocha, o caminho do navio no meio do mar, e o caminho de um homem com uma mulher”. Existe uma quinta avenida que é o belo da beleza, é a beleza do canto; é o caminho de Cristo e a igreja, sua mulher adornada, pura e imaculada.
Aplicação: Quem é você? Por que você se desmerece tanto?
A igreja não é uma coitadinha, definitivamente somos da intimidade de Deus, respondemos por ele aqui na terra somos uma só “carne” com ele. Reinamos em Cristo. Por isso Erga a cabeça igreja, você é mulher da intimidade de Cristo.

NOIVA OUÇA A VOZ DO NOIVO  - Ct 8.6-7.
Se pedisse alguém para da um conceito de microfone provavelmente diria: É um aparelho eletrônico para capitação de voz. Após captar a voz ele a envia a amplificadores, que chega as caixas de som. Existem vários modelos e tamanho, mas o mais comum tem a forma cilíndrica.
Mas se pedisse para apresentar uma descrição, na linguagem poética diria: microfone é voz para as multidões, é voz ao vento alcançando ouvidos e corações, é falar com alcance de grito...
De igual forma seria um pedido para conceituar amor. Seria: amor é o ato de se dar sem querer dá nada em troca.
Contudo se eu pedisse para descrever o amor numa linguagem poética, provavelmente você diria: o amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente, é dor que desatina sem doer... espera, crer, suporta, não exaspera e não fica ressentido...

O escritor do Cântico dos Cânticos usa essa linguagem para descrever o momento de intimidade do casal. Shalommon e a  Shulammit, marido e mulher.
O Texto lido é o ápice da poesia do cântico, que descreve com linguagem poética a intimidade do casal.


 NOIVA OUÇA A VOZ DO NOIVO (Cantares 8.6-7).

I – Põe-me como selo sobre o teu coração. 8.6a
Selo é sinônimo de posse, de compra. Na antiguidade quando o rei colocava o seu selo sobre determinado objeto, ninguém podia remover ou adulterar o selo real, sob pena de castigo e até de morte.
Pv. 23.23.  “Adquire a verdade...” “compre a verdade, sele-se com a verdade”
23.26 “  meu filho dá-me o teu coração...” “deixe-me selar o teu coração com a verdade”.
II Cor 1.22 “ele nos marcou com o seu selo e penhorou-nos com o espírito”.
Ef 4.30 “não entristeçais o espírito, porque estais selados para a redenção”.
 
Aplicação: A igreja é chamada a convicção na obra de Cristo na cruz do calvário, como uma obra completa e eficaz. O  crente precisa  ter  certeza que é selado pelo espírito e ter a certeza da sua redenção em cristo e que os seus pecados foram pagos. Precisa ter o selo do noivo e resgatador: Cristo.

II – O MEU AMOR É FORTE COMO A MORTE (cantares 8.6b)
Todo ser humano que distingue a sua realidade tem certeza da morte. A realidade da morte é tão presente que todo o nosso organismo trabalha com a finalidade de afasta-la. Essa verdade nós carregamos: Vamos morrer. Uns aos trinta, outros aos sessenta, ainda outros aos noventa..., mas com certeza vamos!
 
O amor de Deus é tão real que levou o seu filho único à morte, para nos salvar.
Jo 3.16 “De tal maneira Deus amou o mundo que deus o seu filho único para morrer. Porque todo aquele que nele crê não morre”.

O amor levou Jesus a beber o amargo cálice da morte.
Jo 18.11 “disse Jesus a Pedro: mete a espada na bainha, não beberei, por ventura, o cálice que o meu pai me deu?”. O seu amor era forte como a morte.
Aplicação: Toda pessoa para ser um cristão precisará apoiar com fé no amor doador de Deus pai. Qualquer situação difícil que passa o cristão, Deus que é amor passa junto. “o Senhor é o meu pastor, Ele não me faltará, ainda que eu passe pelo vale da sombra da morte, comigo, Ele estará”. Sl 23.1,4.

IGREJA! AS MUITAS ÁGUAS NÃO PODEM APAGAR O MEU AMOR POR VOCÊ. (Cantares 8.7b).
Na criação, Deus através do Espírito Santo estava acalorando a sua criação.
Gn 1.2 “A terra, porém, era sem forma e vazia. Havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito  de Deus pairava por sobre as águas”.
Sl 29.3 “Ouve-se a voz do Senhor sobre as muitas águas, troveja o Deus da glória,  o Senhor está sobre as muitas águas”.
A cena do abismo, as formas ainda informes, obra ainda por concluir, mas estava presente o Senhor, Espírito Santo, dando vida a água a fria  e sem luz.
A igreja, jamais será abandonada pelo seu criador. Quando pensa que ela vai congelar ; Deus aquenta e a faz ferver do seu amor e da sua graça. Ela transforma o mundo, aquecendo-o para Deus.
O espírito aquece a igreja, aquece a noiva, diz o Senhor.
A separa das trevas
Cria um novo dia
Lava-a das impurezas
Levanta-a das profundezas

Aplicação: A igreja só sobrevive às tempestades quando ela se aproxima de Deus, com intimidade de leito conjugal. Quando ora, quando medita, quando ler a palavra, quando ama os ensinamentos e vive junto com Jesus.
O escritor do Eclesiástico (4.9,10) diz: é melhor serem dois do que ser um...porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porem do que estiver só; porém caindo, não haverá quem o levante”. Homens sejam presentes no dia a dia dos seus filhos e esposas.

AINDA QUE ALGUÉM DESSE TODOS OS BENS A UM POBRE E NÃO AMAR O NOIVO E REI JESUS SERÁ DESPREZADO.
Há alguns séculos passados, os casamentos eram contratados pelos pais do noivo. Era costume pagar o dote ao sogro. Principalmente para  a mulher era um sofrimento terrível, ter que conviver com um homem que a comprou. Era decepcionante para o esposo descobrir que a quantia do dote não comprava o amor daquela noiva-esposa.

A salvação é uma obra de amor da parte de Deus ao ser humano dominado pelo pecado. Por isso o profeta Isaías (55.1) diz: “... vós que não tendes dinheiro, vinde comprai, e comei, sim, vinde e compra, sem dinheiro e sem preço”.
Isaías profetiza a salvação, sem preço; mas como presente amoroso de Deus em Cristo Jesus.
Paulo entende a salvação como “... o dom, o presente gratuito de Deus é a vida eterna”. Rm 6.23.
Cristo em Mateus 5.3 diz: “bem aventurados, que tem uma boa sorte,  aqueles que tem um espírito humilde...”
Aplicação: Como tens chegado a Deus? Através de obras de caridade?
Responde-te esta pergunta feita por Deus: “por que você acha que eu deva deixar você morar no meu céu?”.
Qual a resposta que você daria para Deus?  Fiz caridade, dei esmola, respeitei meu pai e minha mãe, fui um bom filho, fui honesto,....
Você está querendo pagar algum dote para Deus? Está querendo comprar o amor de Deus?
Não comenta esse sacrilégio! Deus quer que você admita que é pecador e receba o sacrifício de amor: Cristo crucificado.

Quando um homem se une a uma mulher, ele se torna uma só carne com ela. Deus se uniu com a igreja e se tornou um com ela. A igreja é o corpo de Cristo, ela revela Jesus as cidades, as gentes... a todos. Portanto  ouça o que cristo o noivo diz:
Eu comprei e selei, com selo de propriedade exclusiva.
Eu a amo com  poder. Com a força da morte.
Nada poderá apagar o meu amor por você, ainda que as muitas águas tentem suplantar.
O meu amor foi uma doação, eu sei que vocês sabem que não se compra amor.

Por isso eu a convido a cantar a minha volta: “maranata, ora vem Senhor Jesus”.
CIRLON PEREIRA
Enviado por CIRLON PEREIRA em 14/09/2006
Código do texto: T239766

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (: cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
CIRLON PEREIRA
Ilhéus - Bahia - Brasil, 44 anos
208 textos (24674 leituras)
12 áudios (364 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:49)
CIRLON PEREIRA