Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DORES DE UM PAI PARA GERAR FILHOS

A PROVIDÊNCIA SALVADORA DE DEUS REVELADA NA CRUZ DO CALVÁRIO GN 22.1-19

CALVÁRIO É DEUS PAI GERANDO FILHOS

Este texto é alvo de uma grande especulação. Pessoas com boa intenção, mas sem uma análise séria e profunda do texto, faz ousadas asseverações, ousadas, porém inverídicas.
Creio que a maioria dos presentes, já  ouviu pessoas afirmando que Deus proverá este ou aquele bem físico. Os propagadores da “Teologia da Prosperidade”; publicou um livro chamado “o dom de adquirir riquezas”, tomando este texto como base para fundamentar o pensamento que O Senhor Iavé dará todos os bens físicos  e materiais aos pedintes. O nome “Jheová Jhiré”  é usado nesse opúsculo para incentivar o leitor a crer que o Senhor Jeová abençoará os fiéis com patrimônio, bens etc.
Indo além deste parco pensamento e desta interpretação, afirma-se com a fé elevada, que este texto revela o amor de Deus pai criador entregando seu filho em sacrifício, para a salvação do homem.

Introdução:
O texto relata a saga de Abraão levando seu filho Isaque para ser sacrificado a Deus. O Senhor Jeová, o deus de Abraão estava provando a sua fé, tendo o objetivo de fazer Abraão um servo melhor e também revelando na experiência de Abraão e Isaque, o papel de Deus Pai e o seu filho Jesus Cristo no plano eterno da salvação. Portanto, por traz da experiência do patriarca judeu, reside à revelação de um Deus amoroso que levou o seu filho a cruz, para salvar os homens.

1. ABRAÂO: UM PAI SENDO PROVADO
 O NASCIMENTO DE UM FILHO MUDA A VIDA DOS PAIS
Desde o momento que uma pessoa recebe a notícia no consultório: “parabéns! você vai ser papai ou mamãe”. Toda uma mudança começa acontecer no interior da pessoa. Os pensamentos, as metas, os propósitos da vida agora serão redimensionados, mediante a notícia. Há uma preparação física e também uma preparação emocional, visando o recebimento do mais novo integrante da família.
 ABRAÃO NÃO É MAIS O MESMO QUE LARGOU FAMÍLIA, E FOI PARA UMA TERRA DISTANTE.
“(GN 12:1) -  ORA, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.”

 AGORA ABRAÃO ERA PAI, E ESPOSO.
Como foi o sono de Abraão naquela noite de prova?
“(GN 22:1) – “ E ACONTECEU depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: eis aqui.”
Ser provado é considerar o valor da perda pessoal, ver os obstáculos e decidir por uma opção altruísta. No caso do patriarca, a fidelidade ao Senhor.

O TESTE DO PAI ABRAÃO
 O teste contra o senso comum
É ilógico Deus pedir o meu filho herdeiro!

 O teste do afeto paterno
A maior alegria de um pai é ver seu filho crescendo. Todo pai sonha colocar os filhos dos seus filhos no colo. Isso é um direito do sentimento paterno. Ainda que não veja a paz sobre Israel, mas ver os netos no colo é objetivo é sonho de pai.

 O teste  da fé
Abraão foi um homem que sempre viveu de fé.
Tinha fé na promessa de ganhar uma terra que não conhecia. Gn 12.1

Tinha fé que Deus daria um filho herdeiro
(GN 15:4) - “... mas aquele que de tuas entranhas sair, este será o teu herdeiro”.

Tinha fé que a sua descendência herdaria a o mundo como herança.
(GN 15:5,6) – “ Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência.
 “E creu ele no SENHOR, e imputou-lhe isto por justiça”

O teste da obediência
Após uma noite provavelmente mal dormida, o patriarca levanta cedo, prepara a viagem ao monte Moriá, com o objetivo de sacrificar seu filho em holocausto ao Senhor. Arria jumento, faz a carga e chama os servos e filho e põe à caminho.

UMA PERGUNTA INQUIETANTE
Deus! Como é levar o próprio filho para ser morto?
Após alguns minutos de interrogação e meditação, Deus falou no meu coração: vai ao berço do seu filho André e o observe. Levantei-me e dirigir ao berço e fiquei a observar a paz daquela criança dormindo. Ele dormia na mesma posição que eu durmo.
Deus me disse: Quando o filho morre, o pai não tem ninguém para colocar na posição, no lugar. Alguma coisa também morre no pai.

A experiência vivida por Abraão, ao levar Isaque para ser oferecido em holocausto, revela o sentimento de Deus pai, levando seu filho Jesus Cristo ao calvário, a cruz.

ABRAÃO LEVOU ISAQUE PARA SER SACRIFICADO POR FIDELIDADE A DEUS
DEUS LEVOU JESUS A CRUZ POR AMOR A HOMENS PECADORES.
(1PE 3:18) -  Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;

O lar eterno de Deus ficou vazio, quando Cristo  tomou a forma humana no ventre de Maria.
“(JO 1:3) -  Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez”.
O que fazer quando o filho está a caminho do altar do holocausto?
Construir mais o que? Por que sem ele nada do que foi feito se fez...
O Pai sentia a agonia em ver seu filho limitado pela sua humanidade, que vivia com limitação de criação, de locomoção, de espaço... e passível de morte e a caminho para encontra-la.

Por amor a Deus, caminha Abraão ao Monte Moriá; por amor ao homem pecador, caminha o pai criador junto com o seu filho ao calvário.
(JO 3:16) -  “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

Abraão colocou a lenha nos lombos para Isaque levar
(GN 22:6) -  “E tomou Abraão a lenha do holocausto, e pô-la sobre Isaque seu filho; e ele tomou o fogo e o cutelo na sua mão, e foram ambos juntos”



Jesus carregou a sua cruz sobre as costas
(IS 53:10) -  Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do SENHOR prosperará na sua mão. (IS 53:10) -  Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do SENHOR prosperará na sua mão.

(JO 19:17) – “ E, levando ele às costas a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota”.

Resguardando as devidas proporções, Abraão sentiu a mesma angústia que o Deus eterno sentiu ao ver seu filho crucificado.
(GN 22:10) -  “E estendeu Abraão a sua mão, e tomou o cutelo para imolar o seu filho”.
 
O fé de Abraão, era a convicção que o Senhor proveria salvação para o seu filho.
  (GN 22:7) -  Então falou Isaque a Abraão seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui, meu filho! E ele disse: Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto?
(GN 22:5) -  iremos até ali; e havendo adorado, tornaremos a vós. (GN 22:8) -  E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho.

NO MONTE MORIÁ UM BRADO DE UM DEUS AMOROSO
(GN 22:11) -  Mas o anjo do SENHOR lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui.
  (GN 22:12) -  Então disse: Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único filho.

NO MONTE CALVÁRIO O SILÊNCIO DE UM DEUS AMOROSO.
(MC 15:33) -  E, chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona.
  (MC 15:34) -  E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? Que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

ENTRE A VOZ DO ANJO DO SENHOR CLAMANDO: ABRAÃO, ABRAÃO  ... E A VOZ DE JESUS DIZENDO: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Está a doutrina Bíblica da substituição, ensinada pelos apóstolos do Senhor, após sua subida aos céus.
(RM 5:6,7,8) -  Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios.   Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer.     Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.
(1PE 3:18) -  Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;
Nós aprendemos que Jesus substituiu na sua morte a morte de Isaque, Jacó, Pedro, Maria, Cirlon, João....NO monte do calvário ( Moriá), proveu Deus salvação para gente pecadora.
Nestes dias que as pessoas correm para Deus com intenções mesquinhas, visando apenas o suprimento temporal; é mister que olhemos para Deus como aquele que proveu salvação no calvário, através do sacrifício do seu Filho. O contraste entre o  monte Moriá e o monte Calvário: O Pai eterno permaneceu em silêncio, enquanto seu filho morria sacrificado.
Emergem perguntas: o que eu estou fazendo do silêncio do pai amoroso? Estou valorizando a morte de Jesus com o meu viver cristão?... O silêncio no calvário produziu vida para o sacrificando Isaque, Abraão, Pedro, Maria, Lutero, Calvino, Cirlon...
Hoje, Deus através da sua palavra, nos chama a salvação gerada através da morte de Cristo e do seu silêncio. Venha a cristo e receba a vida de Deus!!!


CIRLON PEREIRA
Enviado por CIRLON PEREIRA em 15/09/2006
Código do texto: T240533

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (: cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
CIRLON PEREIRA
Ilhéus - Bahia - Brasil, 44 anos
208 textos (24699 leituras)
12 áudios (364 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 10:45)
CIRLON PEREIRA