Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Churrasco na TAM

Em meio à incompetência dos políticos, entre tantas relaxadas e gozadas que eles dão em nossa cara - porque permitimos -, entre tanta frieza, ainda há coisas mais perversas que me apavoram e sufocam.

Seria cômico - se não fosse trágico -, relatar o que senti ao “dar de cara” com uma comunidade no Orkut intitulada “Não Fui Convidado Para o Churrasco da Tam”. Mera idéia tola de internautas sem escrúpulos. Para eles, o churrasco seria a carne bem passada e o corpo torrado dos passageiros. Os visitantes da “festa” seriam os parentes desesperados e os “penetras”, aqueles que morreram simplesmente porque estavam no lugar errado. O fim do churrasco seria a despedida sem sorrisos e sem a famosa saideira. Chamar de churrasco uma tragédia aérea é trazer para o brasileiro o sarcasmo típico dos políticos, é manter a triste idéia de que no Brasil tudo termina em pizza.

O churrasco na Tam foi preparado com o caos que vem se desenvolvendo há anos na malha aérea nacional. O sal grosso são as lágrimas de quem fica na fila de espera. Mas, esperar para quê? Para morrer, é óbvio!

Hoje, os engravatados tentam tirar o corpo fora. Nosso presidente disse não saber a dimensão da gravidade dos problemas aéreos. Assim, ele se enforcou com sua própria corda, pois em 2002 (antes de ser presidente), Luís Inácio Lula da Silva escreveu a Fernando Henrique Cardoso, na Gazeta Mercantil, afirmando que o transporte aéreo de nosso país era um caos, e ainda debochou de FHC lançando uma pergunta no ar: “Até quando presidente?”. E agora, façamos a mesma pergunta para o nosso querido Luís Inácio: Até quando, presidente Lula? Ou Vossa Excelência vai dizer que dessa também não sabia?

Enquanto famílias vão sendo dizimadas e os sonhos vão literalmente explodindo nos ares, os piadistas de plantão vão fazendo sua chacrinha no auditório do Brasil. O programa Casseta e Planeta está aí para mostrar que nem tudo é tão ruim como parece ser. Os apresentadores também aparecem com suas caras de sonsinhos em seu sensacionalismo barato.

A Rede Record teve a audácia de mostrar um corpo carbonizado que cabia na própria mala do passageiro. Para que fazer isso? Silenciar nessas horas não seria a melhor escolha?

Não podemos mais ser cúmplices do escândalo da TV e nem de suas buscas incessantes pelas melhores cenas e melhores gritos desesperados. Achar normais as palavras mal colocadas de Marta Suplicy é um descaso a nossa inteligência; participar de uma comunidade tão mesquinha no Orkut é resumir-se a um verdadeiro estado de demência.

Mas o tempo vai passar e a poeira do avião vai baixar. E assim faremos apenas um comentário de como se deu o “Churrasco na Tam”.

Façamos um minuto de silêncio... para os covardes que tiveram o desrespeito de dizer, em meio a grandes horrores, que sequer foram convidados para a festa. Façamos um minuto de silêncio... para os políticos que debocham de problemas tão sérios. Façamos um minuto de silêncio para quem está vivo e não se sensibiliza diante de tanta dor!
 
 
 
 
Renata Mofati
Enviado por Renata Mofati em 06/09/2007
Reeditado em 06/09/2007
Código do texto: T640782
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Renata Mofati
Mimoso do Sul - Espírito Santo - Brasil, 34 anos
125 textos (15871 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 00:11)
Renata Mofati