Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Silêncios (Angélica e TT)

Silêncio
Angélica T. Almstadter
 
Um silêncio invadiu o ar
Silêncio total...não de sons
Não silêncio de ausência
Silêncio vazio de palavras
Silêncio gelado a respingar
Desmaiado de cores de tons
Silêncio de convivência
Um silêncio gritante
Uivando em meus corredores
Silvo insinuante
Rasgando minhas dores
Outra vez...silêncio...
Não era o silêncio da solidão
Era um silêncio novo
Que apertava o coração
Gemia e se contorcia
Estava instalado
O silêncio de afasia
Espalhado por todo lado
Calou a minha voz
Caminhou sereno
No meio de nós
Silêncio inteiro e pleno
Manso e até sensato
Silêncio anunciado
Previsto
Revisto
Silêncio sem aparato
Agonia
Embolia
Silêncio infernal
Silêncio letal...

*******

branco vazio silêncio
Maria Thereza Neves
 
perdi o encanto
em mil faces
no branco  vazio silêncio
perdi letras
poemas
e cores.
 
perdi o encanto
em mil ecos
no branco vazio silêncio
perdi músicas
sons
e sonhos.
 
perdi o encanto
em mil vidas
no branco  vazio silêncio
em chuvas que lavam ruas
arrastam memórias nuas,
cruas.
 
perdi o encanto
em mil lágrimas
no branco  vazio silêncio
em  gotas
que rolam almas.
 
perdi o encanto
em mil desencantos
no branco  vazio silêncio.

_____________________
JF/MG-2003
(Direitos Reservados)
 
****

Sem encanto
Angélica T. Almstadter
 
Sem encanto segue a vida
A alma chora sem compostura
Chôro sem censura
A dor que entra remida
 
Quase solene me lanço
Tecendo e sangrando
A dor que alcanço
Desabando...
 
Sem encanto
Meu corpo branco, brando
Deságua alvo pranto
Desencanto...
 
Silêncio branco
Dores duras...escuras
Amor sacrossanto
Lágrimas puras...
 
Deita-me mortalhas
Muito à carpir
Silêncios e falhas
Sem sorriso pra sorrir...
 

*****

Silêncio !
Maria Thereza Neves
   
Silêncio !
Não creio mais na história
 no tempo
 na memória
 
quieta
parada dentro de mim
 pensamentos errantes
emoções confusas
buscando sonhos
 
 sonhos doloridos
recordações
apegos que agitam
 
 inércia
serena
pacífica
 
pureza em movimentos suaves
 caminho do eterno
que se arrasta numa corrente
 
em ondas
existência, vida, natureza
 
consciente da consciência
observando  instantes
 
profundo eu
 fecundando nova alma
 
****
 
Silêncio...
Angélica T. Almstadter
 
Silêncio aflito
Refletido nas paredes
Escorrendo em desafio
Contrito...
 
Silêncio nos murais
Crepitando nos castiçais
Em febre adunca
Reclusa...confusa
 
Silêncio marginal
Real ...total
Doendo nas vértebras
Sem quebras...
 
Silêncio profundo
Navalha de corte
Margulho fundo
No vazio de morte
 
Silêncio encantado
Pontilhado
Bendito e abençoado
Humilhado
 
********
 
O Teu Silêncio !
Maria Thereza Neves

 
Tua voz some .

Teu silêncio cresce .

Restam murmúrios de ausências

dos ventos

das ondas do mar.

Ironia do universo que flutua

fala

grita

e não cala!

***

O meu silêncio
Angélica T. Almstadter
 
Meu silêncio cresce
Anoitece
Em prece
Esvanesce
 
Silêncio de sentir
Ferir
Florir
Explodir
 
Meu silêncio grita
Medita
Acredita
Explicíta
 
Meu silêncio sai de cena
Condena
Serena
Dá pena...
 
Não acorde meu silêncio
Ele quer dormir
Mitigar
Digerir
Sangrar

********

Que o silêncio não doa
Maria Thereza Neves
   
Que o silêncio não doa
magoe
finde  sonhos
Que  imagens
não se  percam
apaguem!
Que meus poemas guardem lembranças
saudades
esperanças
expressando puro sentimento
 energia vibrante
cheiros ,odores, flores
sabores
colhendo conchas
bebendo estrelas
nadando  luas
voando ventos
doçura celeste
dissolvendo sorrisos
existindo em si por si
 leveza suave nas asas ,
dos sonhos,
do adeus.

*****

Silêncio bardos
Angélica T. Almstadter
 
Lava meus olhos baços
Enfeita-me a face triste
O que persiste
Em se fazer em pedaços
 
Não colhi as flores
Não abraçei as poesias
Que pendia dos amores
Em gotas frias
 
Lavei em perfumes
Os olhares perdidos
Nas noites dos ciúmes
Pra fazerem esquecidos
 
Os silêncios bardos
Que brilham nos versos
Tantos e tão pardos
Pobres...dispersos
Agonizam cansados
Estilhaçados...
*******
Ecos do  Silêncio !

Maria Thereza Neves


Muito além das nuvens
muito além do tempo
muito além do hoje!

Os ecos do passado, calaram
fu-ra-ram   montanhas,   rochas
ul  tra  pas  sa  ram       fronteiras
não deixaram, registraram palavras
marcas,sinais.

Sumiram.

Não ouço mais nada!

Neste silêncio cego, mudo
caminho por novos horizontes
ao som da música

Muito além das nuvens


muito além do hoje

muito além  dos Ecos do  Silêncio !

 
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 19/05/2006
Código do texto: T159044

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55638 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 20:09)
Angélica Teresa Almstadter