Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sigo


Sueli

Sigo perdida, cumprindo sentença:
Viver sem sua presença,
Respirar a sua ausência.

Olho o aflito infinito,
Que insiste num grito
Triste, cheio de angústia, incontido
Perder-se no vazio mantido
Pela dor do  não-ter-sido.

E continuo a seguir caminho
Entre rosa e espinho,
Sol e tempestade,
Aguardando que o Mistério,
A quem chamamos de Vida,
Teime com o Destino matreiro,
Em cruel disputa,
Dê-me seu amor verdadeiro.

Edu

Sigo adiante, sem olhar para trás.
Deixo meus medos,
Minhas lembranças
Perderem-se com o tempo.
Na memória só a ficar
Resíduos de lembranças,
Poesias interminadas,
Palavras  não ditas,
Palavras  mal ditas,
Desejos incontidos.

A rosa  ficou a desabrochar...
Não quis mais colher nem regar.
Espinhos me arranharam.
Feridas cicatrizaram.
Caminho com o vento
Batendo no meu rosto em movimento.
Sigo sem medo de mudar o meu tempo!
Sol a esconder.
Tempestade a começar.
Resposta não busco mais.
Apenas sigo em silencio,
Sem nada mais a buscar...


EDU
Enviado por EDU em 06/11/2006
Código do texto: T283721
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
EDU
Praia Grande - São Paulo - Brasil, 39 anos
127 textos (9321 leituras)
1 e-livros (92 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 08:43)
EDU