Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quando Eu Morrer... / Quando Partires




Quando eu morrer...
(Prosa Poética)
Maria Thereza Neves



 por favor, não chorem, lamentem ,
 juntos estaríamos criando novos
mares, oceanos e rios sem sorrisos.
Não, não façam isto, não desejo causar dor
somente deixar amor, paz em cada coração.


Façam uma prece simples com palavras profundas,
verdadeiras, sentidas, se isto realmente sentirem.
Isto me bastará para prosseguir sem hesitar, duvidar.


Deixem-me quieta, com meus pensamentos
e silêncios conhecendo a nova morada.
Seguirei sem tropeçar atendendo o chamado
para onde as estrelas felizes acendem
o coração não mais sofre,
a alma voa azul escrevendo com plumas
 nas nuvens, nas asas dos anjos.

Quando eu morrer, em memória, façam poesias
estarei acompanhando linha a linha
todas emoções, estações e fantasias
vividas nas entrelinhas.
Se a inspiração faltar olhem para lua
estarei escutando ,ajudando vocês.
Soprarei folhas, ventos, palavras macias.


Desculpem,  não direi adeus,
não daria tempo de abraçar a todos ,
acabaríamos em infinitas cascatas de lágrimas.
Não, não levarei tristezas nem mágoas,
somente saudades eternas .


Quando minha hora chegar,
 meu tempo de chão terá esgotado, por isto irei
procurar meu verdadeiro lugar
 além da vida , mesmo que sejam as estradas tortas
andarei a endireitar trilhas
achar o número e a minha rua sonhada.


Levarei comigo as madrugadas,
os fios coloridos , restos ainda vivos de vida ,
momentos puros que vivi , um pouco do que fiz
para me doar a eternidade inteira.

Saberei chorar, sofrer se preciso for ,
carregar mais uma cruz ou aqui voltar
sem jamais me espantar,
sempre descortinando novos horizontes
finalmente me encontrando ,
descobrindo meu real destino.


Quando Partires

Quando daqui partires,
não chorarei, estarei firme e
com os olhos secos, sem lágrimas
de partida.
 Olharei entres flores o corpo
que volta a natureza e o espírito
que retorna ao plano superior.
Mas se por acaso quando estiveres
do outro lado e observar uma
pequena gota d'água em meus
olhos, desculpa não é choro.
É a felicidade por teu desenlace.
Saber que logo logo estarás entre
verdadeiros amigos que te aguardam
em amor.
Também não deixarei que desenrolar o rosário em atormentadas orações.
Elevarei o teu nome em orações ao Senhor do Universo, rogando
proteção.
Mas não chorarei por ti.
Pode acontecer de cair um cisco em meus olhos.
Vá com Deus.

Paulo Mello
24.08.07


 
 
 
 
Paulo Mello
Enviado por Paulo Mello em 03/12/2007
Código do texto: T762656
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Mello
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 63 anos
446 textos (11378 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 17:03)
Paulo Mello