Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Da madrugada ao dia seguinte

     É estranho como as coisas acontecem rapidamente.ontem nós dois saimos como antigamente,sempre como bons amigos de infância. Nos divertimos,brincamos,falamos de nossas vidas, dos nossos problemas e bebemos muito.E quando já estavamos bêbados, já naquela madrugada cinzenta e fria, começou a rolar algo estranho entre nois, coisa que nunca tinha rolado.Acabou pintando um clima,vc foi logo me puxando e me beijando,voraz como se estivesse com uma sede de amor.Sem limites, fomos parar em um motel de quinta, na beira de uma BR,pra ser mais precisa na BR116.Bêbados queriamos mesmo era aproveitar aquele momento que parecia ser o unico , em nossas vidas.Ultrapassamos nossos limites,entre quatro paredes pintadas de vermelho vulgar,gozamos aquela cama de motel suja e podre por toda a madrugada.
 
    Quando estava a amanhecer,e os raios do sol a entrar pelas brexas da janela do quarto, acordei com uma dor de cabeça imensa,você durmia,eu nem sabia o que tinha acontecido ali e você nem se mechia.achei melhor nem mexer com você.Mais ai fui criando um nojo repentino,daquelas paredes vermelhas,da cama suja que fedia.Entrei em pânico,tudo parecia esta me tirando do serio. sentia dor , angustia e nojo.Foi ai então, que me senti possuida por um desejo estranho e louco.Queria beber um pouco de seu sangue e sentir aquele clima quente, que nos conduziu ate aquela cama.Foi assim então como tudo começou.Quebrei a lampada florecente que tinha no quarto,peguei um pedaço e cortei o seu pulso.Você acordou em gritos,sufocando-se com o sangue a escorer pelo seu corpo.Finquei novamente um outro pedaço do caco da lâmpada em seu pescoço,sentii você dar um ultimo suspiro de tantas dúvidas.Depois de tudo que tinha acontecido,fugi rapidamente dali.Arrependida não tinha pra onde ir,corria pela BR116,angustiada e sem sentido.Deixei seu corpo ali estirado, como um meio fio na beira de uma pista.
    Foi assim que nossos sentimentos, foram deixados ser enganados pelos desejos que sentiamos.Hoje o dia seguinte, da madrugada onde tudo aconteceu, estou eu aqui no cemiterio, onde você acabara de ser sepultado,contando ao vento e ao tempo a estoria que aconteceu entre nois dois.Eu primeiramente fui a sua vitima, mas uma vitima de desejos e que desejos.Você foi minha vitima fatal,naquele motel e eu fui a sua assassina arrependida.
     
marylua
Enviado por marylua em 15/06/2006
Código do texto: T176126
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
marylua
Fortaleza - Ceará - Brasil, 29 anos
12 textos (425 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:29)