Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como Proteger e Ampliar seu Patrimônio

Por: Egídio Garcia Coelho
http://www.radiowebimmb.com.br

Como Proteger e Ampliar seu Patrimônio
O verdadeiro Antídoto Contra Roubos.

Saiba Como!
Proteger e Ampliar Seu Patrimônio.

INTRODUÇÃO
Venho neste livro com o propósito de esclarecer o que tenho como entendimento sobre o que é nosso por direito e o que é nosso de FATO.
Como devemos agir para obtermos na prática, o que grande parte da humanidade considera utópico, ou seja, manter nosso patrimônio garantido/seguro, sem necessidade de portas, cadeados e até mesmo, das conhecidas apólices de “seguro”?
Sabe-se que os “seguros” nos são oferecidos, apoiados na lei de probabilidades, ou seja, em circunstâncias normais (sem seguro) o risco de acontecer algum sinistro, afetando nosso patrimônio é muito remoto.
Assim, as companhias seguradoras, apostando nessa lei, nos oferecem os seguros e do outro lado, apostamos o contrário, quando adquirimos uma apólice e por isso, auferem lucros fabulosos. Vale ressaltar que nada tenho contra a precaução e até recomendo, diante das nossas limitações presentes!
Em nossa batalha cotidiana, precisamos ter consciência de que a existência humana que desfrutamos hoje, é como um relâmpago diante da eternidade, sendo prudente, aproveitar ao máximo cada instante que se faz presente ao nosso dispor para o desenvolvimento.
Dando um sentido literário para a palavra “desenvolvimento”, se pode perceber que algo está envolvido e isso, me proponho a esclarecer. Somos considerados “diamantes brutos” e “desenvolvimento” significa o polimento necessário, ou seja, a tarefa de abrir gradativamente esse envólucro, tirando as impurezas que o envolvem, expondo assim, a preciosidade do EU SUPERIOR.
A conduta coerente ao longo da existência, pode nos levar a atingir uma vibração capaz de garantir sucesso absoluto em diversas áreas e proporcionar ainda a conquista da felicidade plena. Lá teremos o privilégio de experimentar e saborear o verdadeiro “amor” que muito difere do que normalmente sentimos ou praticamos com esse título em nosso cotidiano. O verdadeiro “amor” é incondicional e identificado ao longo da nossa existência com muita persistência e prática na busca do nosso “EU SUPERIOR”.
A permanente razão que cultivamos e pensamos ter, para o controle de tudo, nos impede de ouvir nossa intuição que chama para um profundo mergulho de entrega com humildade e gratidão que devemos demonstrar, em reverência diante do Criador (O reino de Deus é das crianças).
Deus é Amor! Deus é Vida! Vida é Deus! Frases curtas e bem conhecidas, porém, são poucos aqueles que se dão conta da sua profundidade. Quando em um mergulho filosófico aprendemos que o “TER” é uma consequência do “SER”, passamos a valorizar mais cada oportunidade que temos para superar nossas aparentes limitações na permanente jornada que vivemos, buscando a contínua evolução…
O “Amor Verdadeiro” ninguém pode descrever, muito menos comprar. É possível senti-lo na sua plenitude, somente fora do racional. Nos falta ainda alcançar uma palavra ou símbolo capaz de expressar à altura tal sentimento. Amor verdadeiro é uma conquista que está ao alcance de todos, porém, poucos se submetem a enfrentar os desafios necessários para sentir na sua profundidade, a abrangência desta palavrinha de quatro letras. É uma conquista que exige desprendimento, doação, dedicação, compreensão e sabedoria. Nossa tentativa de ilustrá-lo com bonitos símbolos e expressá-lo com lindas palavras ou versos, acabam por nos distanciar de gestos simples e harmoniosos com as leis naturais que melhor poderiam retratá-lo.
Quando agimos em harmonia com as leis naturais e sintonia com nossa fonte Criadora, somos capazes de atitudes espontâneas e simples que expressam com mais autenticidade a essência do AMOR. O que é fundamental em nossa existência e chega a ser paradoxal, já que sequer exige esforço!
Existem espíritos de diferentes idades e desenvolvimento espiritual, por isso, sabe-se que os átomos de cada corpo, podem vibrar em frequências diferenciadas que acabam resultando na formação de grupos ou parcerias, onde melhor fluem as afinidades.
Precisamos fazer com que a frequência de nossos átomos, possam chegar a sintonizar a fonte Criadora. O que nos leva a um relaxamento capaz de proporcionar o privilégio de sentir o doce sabor da Vida.
São degraus & degraus que vamos de forma gradativa subindo, sendo que o desafio maior é que, somente auferimos uma maior escala, quando tivermos colocado em prática, todos os ensinamentos que nos foram proporcionados e absorvidos até o presente!
Torna-se lento porque somos treinados para competir e enfrentamos uma acirrada batalha pela sobrevivência no cotidiano. Tudo isso, se deve a pedagogia tendenciosa de manipulação do controle que há milênios, vem sendo imposta pelas lideranças, visando a manutenção do poder sobre a humanidade.
Vou expor aqui algumas etapas que, se praticadas, levarão o leitor a conquistar surpreendentes resultados que poderão transformar as páginas a seguir num “verdadeiro tesouro”. No entanto, aos olhos da razão, guiada por uma eventual espiritualidade intelectualizada, poderá vir a tornar o tempo de leitura desperdiçado.
Longe de ser dono da verdade, estou repassando conhecimentos a título de informações que julgo preciosas porque, fazem parte do meu cotidiano. O que não impede ninguém de seguir buscando.

Mesmo porque, o que tenho como verdadeiro (sei que é provisório) no meu entendimento e compreensão, pode estar muito longe daquilo que você considera, suas verdades. Porém, vale ressaltar que são entendimentos alcançados, estudando e praticando, cujos resultados, trouxeram-me o discernimento sobre segurança, principalmente relacionada ao patrimônio, expondo-me a diferença entre o que é nosso de FATO e o que é nosso de direito.
Egídio Garcia Coelho
Parapsicólogo Holoterapêuta

START DE AQUECIMENTO
Facilmente se pode apontar muitos problemas, entre os tantos que nos afetam no cotidiano. Porém, como eliminá-los ou conviver de forma pacífica com alguns deles é bem complexo. O que me proponho fazer neste livro, depende de uma interação com o leitor, no sentido de experimentar na prática os ensinamentos que seguem.
O Start de Aquecimento é o mesmo que “Aquecimento dos Motores” (expressão usada pelo Frei Inácio Larrañaga, fundador das Oficinas de Oração e Vida) e se faz necessário, devido à complexidade dos condicionamentos que nos levam a geração de tantos problemas.
Como ignição ou start, coloco minha convicção de que somos um Templo Sagrado.
Nosso corpo merece um tratamento especial. Um respeito acima de tudo, pois, trata-se do veículo físico que conduz o Templo Sagrado, onde habita a Santíssima Trindade (I Cor 3:16).
Sou estudante de algumas filosofias, seitas e religiões, além de ser também, membro da ST – Sociedade Teosófica.
Alcancei um entendimento de que as pessoas devem pelo menos, conhecer algumas das principais filosofias orientais e acima de tudo, respeitar todas as crenças que levam ao desenvolvimento espiritual, visando alcançar a Deus que é a essência do verdadeiro AMOR.Fui educado dentro da doutrina cristã, entendendo que em nosso corpo habitam Pai, Filho e o Espírito Santo. Encontrei isso, escrito também de forma brilhante, pelo Dr. Joseph Murphy no Livro “A Paz Interior”. O “Pai”, manifestado na forma da centelha Divina, o DOM DA VIDA, que no momento da concepção, permitiu-nos a continuidade da vida, numa experiência humana. Este que detém em nosso nível mental inconsciente, todo o poder da realização e que mantém nossa ligação com o universo como “um todo” (Consciência Divina).
O “Filho”, que se manifesta na forma de pensamentos positivos, tão bem representados pelos ensinamentos de Jesus, o Cristo que viveu e vive uma eterna metáfora, cumprindo profecias dignas de serem estudadas minuciosamente, antes de qualquer julgamento superficial, possibilitando assim, entender o que significa “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”. Refletindo um pouco, analise se é possível, realizar alguma tarefa sem pensar primeiro. Logo, a frase: “Ninguém vem (vai) ao Pai, senão por Mim”, tem uma profundidade que merece maior reflexão.
Devemos considerar ainda que segundo alguns místicos e estudiosos, uma palavra ou ação do nosso corpo, somente se concretiza após uma sequência psicológica, depois de termos recebido uma carga energética oriunda do macrocosmo que é absorvida por nós (microcosmo) através de nossos sensores (pineal e chakras). Daí a frase “o verbo se vez homem e habitou entre nós”.
Vejamos: a energia oriunda do macro, do todo, do Criador, pode ser vista como fruto do macro que é o mesmo que filho. Logo o verbo que surgiu numa sequência psicológica, antes de se fazer homem, era essa energia, o filho que foi, antes verbo em profecia (Isaías 7:14) e se materializou 2.000 (dois mil) anos depois entre os homens.
Se o poder da realização está com Deus, o Pai, Aquele a quem Jesus, o Cristo sempre se reportava e, se não é possível, realizar nada sem antes pensar, podemos deduzir que temos em nós um Reino EnTusiasta! (En é o mesmo que in=dentro e a letra “T” é derivada de Theos=Deus em grego e assim, Reino Entusiasta tem Deus dentro).
Complementando, reflita mais uma vez sobre, o que está entre um pensamento e a possibilidade da realização? Numa sequência já dita antes por muitos autores, poderíamos colocar: pensa, “acredita” e acontece! Acreditar fielmente é o mesmo que ter, “FÉ” inabalável.
Para conseguirmos atingir um objetivo, precisamos acreditar fielmente. O primeiro passo é pensar, depois focar na imaginação porque o cérebro se programa por imagens e em seguida precisamos “acreditar fielmente” (Fé), partindo para a realização. Logo, a Fé está aqui representada, como alegoria do Espírito Santo, ligando o pensamento (Filho=Otimismo) ao poder da realização (Pai=Entusiasmo). O Espírito Santo funde a criatividade (Otimismo) com a ação, proporcionando a realização. Ele é o fogo sagrado (para fundir). É a maior energia já identificada no universo pelos místicos, a única fonte capaz de, em nível desconhecido, gerar a vida (tema hermético). Logo, precisamos ser otimistas para criar e entusiastas para realizar!
Não se trata de uma pregação, mas sim de uma abordagem sobre um entendimento, após minuciosos estudos, reflexões, meditações e comparações de diferentes credos e culturas. Reflita profundamente sobre o que exponho a seguir: “O que somos, para que viemos e para onde vamos?”.
Um corpo humano adulto tem em média 75.000.000.000 (setenta e cinco trilhões) de células e há quem diga que são 300 trilhões. Vamos pelo menor e ficar atentos aos números. Uma célula pode chegar a alcançar, em torno de seis milhões de atividades por segundo. Misteriosamente pode conhecer ainda, simultaneamente todas as atividades das demais!
Quem poderia apontar um computador capaz de processar estes dados, e como vamos entender que, graças a essa realidade é que estamos vivos? Devemos considerar ainda que, cada uma dessas células, recebe um tipo de alimentação diferente, de acordo com a sua programação (DNA).
Nós apenas ingerimos os alimentos e quase sempre sem os cuidados necessários! Alguma “Inteligência Superior interna” se encarrega de fazer a distribuição adequada dos nutrientes e de acordo com a programação de cada célula para evitar distúrbios, garantindo assim, a saúde de nosso organismo que depende do trabalho organizado das equipes de diferentes células que obedecem ao comando de quem?Cada célula tem aproximadamente 100.000 (cem mil) genes diferentes.
Esses genes são feitos das cadeias espiraladas de DNA, que contém em código genético, uma cópia idêntica do nosso corpo. Sabemos que cada célula tem um mapa genético minucioso de todo o corpo humano, que por sua vez, contém, conforme mencionado antes, setenta e cinco trilhões de células vivas, reprodutoras e auto-curadoras. (A isso se deve a possibilidade do processo de clonagem).

As moléculas de DNA são enroladas de forma miraculosa e indescritível e se eventualmente, fossem desenroladas, emendadas e esticadas, poderiam cobrir uma distância equivalente a ida e volta da terra ao sol, quatrocentas (400) vezes. Misteriosamente o volume de tudo isso pode caber na palma de uma das mãos. Tentar compreender a complexidade intrínseca e a precisão das atividades de uma única célula é humilhante para o nosso intelecto, por mais bem desenvolvido seja!
Com nossos motores aquecidos, já podemos refletir melhor sobre: “Conheça-te a ti mesmo e conhecerás o universo. (Sócrates 399 Ac.)”, “O Reino de Deus está dentro de vós, na sua mente que está ligada ao coração. (Jesus Cristo)”, “Não sabeis que sois o templo de Deus. E que o Espírito de Deus habita em vós?(I Cor 3:16)”, “Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá. Porque o templo de Deus é sagrado – e isto sois vós.(I Cor 3:17)”.
Diante do exposto, reafirmo o que muitos sábios/pensadores afirmam. Somos embriões de deuses e deusas (Deepak Chopra) ansiosos por desenvolvimento que são impedidos pelos inúmeros condicionamentos mantidos por: ignorância, hipocrisia, egoísmo e autossuficiência, não permitindo o cumprimento das leis universais que são regidas por Deus, que é a Consciência Universal.

O TALENTO
São muitos os fatores que nos levam a vibrar em diversas sintonias e por
consequência, colhemos os resultados de acordo com méritos no mundo que criamos, administrando nossos pensamentos e atitudes ao longo de nossa vida (eterna).
Somos o que somos (Templo do Reino Divino) e não como estamos, já que estamos no patamar que pensamos ser e nosso corpo físico em muito colabora para tal estado. Com relação ao corpo físico, somos também o que comemos, já que a matéria, no fundo é também energia. Assim, uma alimentação densa, mantém o corpo físico denso, proporcionando densidade baixa também nos átomos que ficarão impossibilitados de uma vibração de alta frequência.
Quando nos referimos ao céu, temos como referencial o alto e por isso, apontamos para cima. No entanto, para onde apontamos ao meio dia, quando for meia noite, estará do outro lado do globo, ou seja, embaixo. Mesmo assim, a meia noite se nos referirmos ao céu, por certo, também apontaremos para cima e será o oposto de onde apontamos antes, ao meio dia. Logo podemos perceber que apontamos não para cima, mas sim para o oposto do núcleo de gravidade que atrai o que é denso para baixo, mostrando-nos que o céu fica no sentido oposto, onde estão as elevadas frequências que átomos de um corpo denso, jamais alcançariam para sintonizar.
Considerando que tudo está ligado com tudo, sabe-se que a manutenção de pensamentos e atitudes negativas também contribuem na manutenção da densidade. Por outro lado, existe a possibilidade de transmutação de energias densas (fruto de alimentação pesada) em leves, sendo no entanto, privilégio de poucos, desde que livres da densidade resultantes de ações negativas.
Vamos ajustar nossa parabólica para possibilitar o cumprimento da principal missão que temos, ou seja, a necessária identificação do nosso “talento”.

Identificar o “talento” é nossa verdadeira missão. O que torna cada um superior a qualquer outro indivíduo em todo o planeta, pelo menos em uma determinada atividade. Uma “atividade” que quando a desenvolvemos, sequer percebemos o passar do tempo, já que nos preenche de tal forma que, mesmo diante de todo dinheiro do mundo, jamais deixaríamos de fazê-la. (Segundo Deepak Chopra).
Ao colocarmos nosso “talento” a serviço da humanidade, sempre visando primeiro “o servir”, começaremos a adquirir por méritos, o que é nosso de FATO e podemos desencadear uma avalanche de bons resultados, tornando-nos um canal de abundância, atraindo riquezas e/ou o tão almejado SUCESSO.
Nesse ponto estaremos vacinados contra roubos e até mesmo, muitas das fatalidades existentes.

SOMOS TODOS LADRÕES
Na qualidade de facilitador, ministrando cursos de Autoajuda Individual no Ensino a Distância, presencial ou em seminários destinados para grupos, procuro incentivar os participantes a tomarem por hábito a leitura, pois, entendo que pessoas sem informações fundamentadas, poderão facilmente vir a tornar-se “Maria vai com as outras”, por não permanecerem atualizadas e nunca alcançarem um bom nível intelectual.
Normalmente pessoas com pouco conhecimento (ou baixo nível intelectual), agem de acordo com as circunstâncias e baseadas no que ouviram dos outros. Ou seja, não desenvolvem uma personalidade autêntica. Se estão no colégio em uma reunião de APPs, agem como se fossem os melhores educadores, sendo que seus filhos, podem estar prestes a serem expulsos.
Num boteco tomando umas canas, demonstram serem os melhores técnicos de futebol, colocando em risco até o cargo do técnico da Seleção Brasileira.
Na Igreja, agem como se fossem teólogos com os maiores e mais profundos conhecimentos, no entanto, são na realidade um desastre, quanto ao seu desenvolvimento espiritual.
Procuro enfatizar que o sucesso é uma consequência da soma de teoria, compreensão e de prática. Não basta ler tudo que aparece pela frente. É preciso escolher o que trás benefícios, porque “a boca fala do que o coração está cheio” (Mt 12:34, Lc 6:45).
Nosso cérebro se programa por imagens e normalmente através de leituras, projetamos nossas viagens mentais, elaborando sonhos, fantasiando o que poderá vir a ser nossa futura realidade.
Portanto, é conveniente buscarmos leituras confiáveis, visando o aperfeiçoamento profissional, desenvolvimento espiritual, pessoal, familiar e social.
Nunca esquecer da reserva de um tempo para conhecimentos gerais. Porém, de nada adianta carregar-se de teorias, sem submeter-se a praticá-las. Aprendi que somos escravos de hábitos e portanto, recomendo que seja feita uma relação de todos os maus hábitos identificados e em paralelo, para oposição…rsrsrs, relacionar novos e bons hábitos que possam ser praticados para neutralizá-los.
Segundo a Lei da Causa e Efeito, estamos distorcendo o conceito de roubo.
Sempre que fizermos corpo mole, nos economizando, estaremos na realidade, roubando a possibilidade de praticar o desenvolvimento da nossa potencialidade. Por consequência, ficaremos carregados de limitações.
Na qualidade de colaborador, se sou contratado, me submeto a trabalhar por um salário, assumindo assim, o compromisso de cumprir rigorosamente os horários e regulamentos impostos pelo empregador. Durante o desempenho, dentro das atividade atribuídas, vamos analisar o que eu escrevendo, aponto como roubo, segundo a lei acima: Primeiro tomamos o valor do salário mensal na contratação e dividimos por semanas, dias, horas, minutos e segundos. Com estas frações, passaremos a mensurar tudo que segue:
1 – Com a consciência de que nosso intestino tem em média 9 (nove) metros e nos permite um ciclo de vinte e quatro horas 24 horas para evacuar, possibilitando uma programação, podemos evitar que seja feito uso do vaso sanitário em “circunstâncias normais”, dentro do expediente. Em caso contrario, calcule o tempo que normalmente é gasto sem esta precaução incluindo luz, água, papel higiênico e produtividade. Devemos considerar que o banheiro estará sempre a disposição para emergências, quando está justificada a sua utilização!
A cada 4 horas legalmente é concedido pelo empregador, um intervalo de 15 minutos, quando conscientemente se pode utilizar o banheiro para urinar.
2- Na hipótese de se fazer ou receber uma ligação telefônica particular, usando o telefone do empregador, calcular o tempo de acordo com as frações acima e considerar ainda, que a linha ocupada, pode impedir que a empresa se torne mais produtiva com alguma eventual chamada perdida.
3 – Hoje temos os celulares e conexões com redes sociais em tempo real, sendo bastante tentador o desvio da atenção, ou seja, a perda de concentração focada no trabalho.
4 – O mal uso de um equipamento, levando a consumir mais energia elétrica ou provocando desgastes que podem gerar manutenção.
5 – Promover uma algazarra em pleno expediente para enaltecer seu time que ganhou ou perdeu.
6 – Interromper seu trabalho ou o de outro colaborador para mostrar gracinhas do WhatsApp, acessar YouTube, folhear uma revista pornográfica e por aí segue..
7 – Se a empresa adquire brindes com o objetivo de fazer promoções, como por exemplo: chaveiros, canetas, fósforos, bonés, camisetas etc…
E somos os primeiros a nos apoderar de quantidades razoáveis para distribuição indevida entre colegas ou familiares, onde os verdadeiros objetivos deixam de ser alcançados.
8- Na desculpa de imprimir um trabalho de aula, quando levamos discretamente algumas folhas de papel.
9 – Uma caneta que esquecemos em casa, de propósito ou não…
10 – Um cartucho para a impressora.
11 – Uma lâmpada ou qualquer coisa que não tenha sido adquirida com o nosso dinheiro.
Quanto valeria tudo isso, dentro da Lei da Causa e Efeito?
Considere qualquer circunstância semelhante, como sendo uma conta corrente, onde o que depositamos de positivo, temos de crédito e o que depositamos de negativo é seguramente um débito.
Finalmente podemos aplicar o cálculo segundo as frações mencionadas antes, trazendo para si a responsabilidade sobre o total desperdiçado ou apropriado indevidamente.
Agora, suponhamos que tenha sido uma carreira promissora, sendo uma empresa que oferece oportunidades, onde comecei como um simples colaborador, auxiliar de serviços gerais e ao longo dos anos, conquistei um cargo de chefia ou talvez até uma gerência/diretoria, mas sempre agindo dentro do que eu considerava normal na “ótica do mundo”, até que um dia, alguém puxa meu tapete ou um marginal rouba em minha casa uma TV LCD, um LapTop, um PC, um Tablet, um SmartPhone ou um Aparelho de Som, quase tudo e/ou tudo!
Tem mais… Pode aparecer ainda o carro riscado em um para-lama, uma lateral, ou quem sabe, toda a lataria. Que injustiça! Se eu pego o ladrão ou o vândalo, sou capaz de matá-lo!
A rigor, na Lei da Causa e Efeito, se formos colocar na ponta do lápis o que afanamos direta ou indiretamente, durante todo o nosso tempo que prestamos serviços para a empresa, onde fomos bem sucedidos, talvez se tivessem roubado o carro, ainda estaríamos devendo na balança cósmica (registros akáshicos) que tudo guarda para o devido aprendizado (no tempo certo) na escola da vida.
Quando, em um negócio qualquer, se tem consciência de que, foi adquirido um bem material por preço muito inferior ao valor de mercado, provocado por uma situação de necessidade do vendedor em desespero, ou se eventualmente, foi produto de roubo, cuidado! Tem troco… Cedo ou tarde! Existe a “ótica do mundo” e a “ótica do sucesso”, segundo o Prof. Ismael Cordeiro Junior, criador do curso Shurenkai.
Dentro da “ótica do mundo”, as pessoas vivem sempre tirando proveito de oportunidades para ganhar fácil, achando que estudar é perda de tempo, fazer muito esforço é tolice, deixar de comprar barato é burrice, mesmo sabendo que está explorando, já que poderá acontecer o mesmo com elas.
Quem vive na “ótica do mundo”, está impedido de conseguir um nível de entendimento aceitável para conviver com os melhores amigos psicológicos que são: humildade, otimismo, determinação, entusiasmo e muito menos, agir dentro da “regra de ouro”.
Para os que vivem na “ótica do sucesso”, o que importa, acima de qualquer coisa é viver dentro da “regra de ouro”, ou seja, “fazer aos outros tudo ou somente, aquilo que gostariam que os outros o fizessem”.
É tido como “regra de ouro”, porque o Rei Salomão, mandou escrever em ouro numa das paredes do seu palácio. O equivalente encontra-se na Bíblia em Lucas 6:31.
Dentro desse princípio, as pessoas que vivem na “ótica do sucesso”, estão livres dos principais inimigos psicológicos que são: orgulho, comodismo, incapacidade e falta de objetivo.
Precisamos ter consciência de que não existem castigos e nem injustiças no mundo. Nós apenas colhemos os resultados de tudo que plantamos, consciente ou inconscientemente ao longo da jornada de vida eterna. Em nossa existência, precisamos aproveitar cada instante para plantarmos boas sementes que nos darão por consequência, bons frutos!
Apenas 5% (cinco por cento) da humanidade vive na “ótica do sucesso”. E o que se percebe na experiência da jornada, é que precisamos alcançar um nível mental, capaz de almejar o sucesso de forma infalível, cheio de convicção.
Como tudo na vida tem um preço, aqui em nada difere, iniciando com a necessária e rigorosa disciplina que poderá despertar a “FÉ”, convicção, força de vontade, que será nossa principal aliada para alcançarmos a tão imprescindível transformação de nossa mentalidade. A “FÉ” se faz necessária devido má influência do inconsciente coletivo que atua diretamente sobre nossa mente.
80% (oitenta por cento) da humanidade, sempre pensou e pensa de forma negativa, agindo dentro da “ótica do mundo”. Nós somos o que pensamos que somos! E nossos pensamentos são autônomos. Somos energia e nossos pensamentos são energias. Para conseguirmos filtrar estes pensamentos negativos que recebemos sob a influência do inconsciente coletivo, devemos fazer uso da “FÉ”, administrando nossas atitudes e atraindo bons pensamentos que possam nos colocar numa frequência mais alta, fugindo das vibrações mais densas que são poluídas pela massa humana mal informada e também pelas forças políticas que, por sua vez, são também submetidas ao controle de potências maiores.
Antes mencionei que devemos relacionar nossos maus hábitos para criarmos em paralelo, bons hábitos que possam neutralizá-los. Pois bem, temos por hábito ser influenciados por pensamentos que bombardeiam nossa mente. Como solucionar? Criando afirmações positivas e repetindo-as tantas quantas vezes forem necessárias, até que se torne um novo hábito. Também recomendo não lutar contra pensamento negativo. Pois, se estamos recebendo-o é porque está em nossa frequência e, portanto, é nosso! Não podemos brigar com o presente. O presente é uma dádiva. Por isso, é chamado presente.
Deus sempre nos manda o que merecemos. Cabe a nós fazermos à avaliação de como está nosso receptor. Então, diante de um mau pensamento o melhor que se pode fazer, segundo o Prof. Ismael Cordeiro Jr., é o seguinte: repetir as palavras seguintes de forma convicta, cheia de dinamismo!
“Reconheço que fazes parte de mim, por isso, te amo. Agora mudei, somente aceito ideias positivas. Assim. Peço-te que te purifiques e voltes novamente pra mim. Obrigado, muito obrigado!”.
Precisamos entender que nosso presente é o momento da colheita. Nunca um castigo. Também tem o propósito de possibilitar nossa autoavaliação. Quando se sentir mais aliviado e perceber que está vencendo os maus pensamentos, complete a afirmação, dizendo: “Sou feliz e alegre, porque estou sentindo “AMOR” por mim e maior compreensão por todos. Sinto que esse “AMOR” está aumentando a cada instante que passa. Graças a Deus!” (Ismael Cordeiro Jr.)
Voltando ao tema do que é nosso de FATO ou de direito, a esta altura já é possível um melhor entendimento.
Diante da Lei da Causa e Efeito, não importa se o que você possui está legalmente no seu nome. O que está legalmente no seu nome é o que lhe pertence de direito, o que não significa que é seu de FATO. Tudo que foi adquirido ao longo da sua existência, ferindo a “regra de ouro”, pode ser seu de direito, mas nunca estará livre de roubos e perdas. Ora: Quem roubou ou adquiriu de forma ilícita, vive dentro da “ótica do mundo” e vibrando na frequência das pessoas que não respeitam a “regra de ouro”. Tudo que foi adquirido dentro da “ótica do mundo”, pertence ao mundo material (efêmero).
Aqui começamos a mostrar o quanto é importante colocar a necessidade de “SER” à frente da vontade de “TER”. Quando nos voltamos para o mundo espiritual, estamos aprendemos a “SER” e buscando a nossa essência. Pode parecer que estou filosofando, mas é o que tenho como meu entendimento.
Melhor mesmo, é começar a atuar dentro da “regra de ouro” e aceitar tudo que nos acontece com naturalidade. Sabemos que somente colhemos o que algum dia foi plantado, consciente ou inconscientemente. O preço é o mesmo. Portanto, enquanto nossos bens estiverem sendo roubados ou danificados, sabemos que na realidade, podem ser somente nossos, de direito e não de FATO.
Longe de estar afirmando aqui, que devemos deixar nossos pertences jogados, sem nenhum cuidado ou isentos de seguro. Continuaremos com os cuidados normais, sem preocupação, pois, trata-se de um patamar que é conquistado gradativamente e quando nos damos conta, estaremos então despreocupados com a altura do muro, a quantidade de fechaduras da porta de casa, o alarme do carro e outras paranoias que fazem parte da “ótica do mundo”. Quem vive dentro da “ótica do mundo” pode achar que minhas afirmações estão fora da realidade. O que é uma verdade. Pois, somente acontece aquilo que acreditamos. Precisamos fazer um minucioso exame de consciência para avaliar nossa posição.
Existe uma faixa em torno de 15% (quinze por cento) da humanidade que é constituída por pessoas que estão indecisas. Já sabem que é possível viver na “ótica do sucesso”, mas, o apego aos condicionamentos e velhos paradigmas são muito fortes. Ficam em cima do muro. Suas vidas são cheias de altos e baixos. Conquistam um certo patamar apoiados por determinação, otimismo, entusiasmo, orações, humildade e acabam esbarrando na hipocrisia, permanecendo com tropeços conscientes ou inconscientes que provocam oscilações na saúde física, afetiva (familiar), espiritual, profissional (financeira) e social.

Para essas oscilações o universo nos presenteia com os efeitos de uma energia transcendental que fazem com que o ser humano ao descer aos níveis mais densos, possa despertar e voltar-se para dentro de si, descobrindo sua potencialidade que está diretamente ligada ao desenvolvimento espiritual. Dando prioridade ao seu desenvolvimento espiritual, tudo mais lhe será acrescentado. Novas conquistas passarão a surgir com maior impulso e logo o patamar anterior poderá ser superado. No entanto, o risco de desabar tudo permanece se for esquecido, o que temos nas Escrituras Sagradas: “Buscai antes o Reino de Deus e tudo mais lhe será acrescentado.”
Quando identificamos o nosso “talento” mencionado no início e o colocamos a serviço da humanidade, passamos a ser um verdadeiro canal de abundância para servir de exemplo, mostrando aos que ainda não alcançaram a frequência adequada que, vale a pena lutar “pela transformação da nossa mentalidade” que é o start (ponto de partida) para um caminho sem volta.
Quanto mais ganhamos, mais podemos doar. Nossa doação também não pode ser de forma aleatória. Precisa ser com a responsabilidade de ensinar a pescar e não apenas entregar o peixe de forma cômoda para os dois lados. Não se pode ficar indiferente com as pessoas menos esclarecidas. Não basta jogar uma esmola daquilo que não nos vai fazer falta. Mesmo que seja uma significativa quantidade de dinheiro. É preciso fazer com que as pessoas possam ter consciência de que são capazes e providenciar, às vezes, até uma assistência médica ou espiritual, possibilitando assim, uma concreta recuperação.
Nosso canal de abundância, poderá ser fechado se não o merecermos de FATO. Por isso, afirmo que é um caminho sem volta. Em todos os níveis existe evolução e não se conhece um patamar que permita acomodação. Pois, onde não há renovação, existe a estagnação que é o oposto do nascimento. Devemos levantar a cabeça e olhar sempre a frente, porque onde somos capazes de chegar com a imaginação, seremos capazes de atingir com o processo de realização. Existe uma lei que impulsiona o nosso desenvolvimento de potencialidades. Chama-se “Lei dos Grandes Lucros”, e ela nos diz que devemos sempre fazer mais do que somos pagos para fazer. É claro que os sindicalistas terão dificuldades para interpretá-la. Segundo esta lei, devemos trabalhar não pelo salário que ganhamos. O salário é apenas consequência e regido pelo mercado de trabalho. Também não devemos trabalhar para agradar o empregador. Na realidade, devemos trabalhar para aprendermos a desenvolver nossa potencialidade. Então, diante da oportunidade de executar um trabalho, devemos praticar o exercício da auto-superação e iniciarmos constantes desafios.
Imaginem quantos chutes a gol deu o Pelé, antes de atingir a marca do milésimo (1.000). Nunca saberemos e também, pouco importa. O que importa é que foram muitos e que o levaram a este resultado. Quantas foram às vezes que os carros do Ayrton Senna se quebraram? Nós já esquecemos! O que jamais vamos esquecer, são as suas conquistas que foram às custas de auto-superação, através de muitos treinos.
Lembro bem do nosso garoto “GUGA” que levou o nome do Brasil aos primeiros do mundo no ranking milionário do Tênis. No entanto, se deparou com muitas derrotas. Mas, quem o acompanhou de perto, sabe o quanto ele voltava fortalecido para a próxima disputa, apoiado em treinamentos constantes com muitas horas de dedicação, aperfeiçoando-se sempre mais e assim, conquistando fãs pelo mundo inteiro.
Por isso, diante de uma oportunidade para trabalhar, devemos abraçar com entusiasmo, exercitando sempre a auto-superação. Se considerarmos que o número de desempregados poderá aumentar, a competição poderá ficar mais acirrada.
Quase sempre, desempregados são despreparados, pouco ou nada investem em qualificação e ainda estão sem se dar conta de que, diante de uma oportunidade, devem trabalhar para se desenvolverem e nunca, apenas para ganhar salários.
Na proporção que o desenvolvimento vai se despertando, começarão a surgir promoções e aumentos de salário, pois o colaborador dedicado, passará a agir diferente, podendo então ser notado e valorizado. Colaboradores diferentes são tratados de forma diferente.
Aqueles que figuram normalmente dentro das estatísticas, são facilmente substituídos. Os trabalhos destes não têm muito valor e se submetem a ganhar ainda menos diante do desespero, já que existem filas de espera. E o pior é que por falta de preparação/conhecimento, ficam culpando os empregadores ou o governo, afirmando nunca reconhecerem suas necessidades.
Dentro do meu entendimento, muito valorizo também o “trabalho de equipe” que tanto contribui para o crescimento das pessoas e das empresas.
Segundo a teoria de Napoleon Hill, sempre que duas ou mais pessoas se reúnem com um mesmo propósito, ocorre um fenômeno de fusão das mentes dos envolvidos, formando uma “mente mestre” voltada para que um propósito (objetivo) seja alcançado.

Este fenômeno é potencializado em grupo de até 13 pessoas, mas também se atinge em grupos maiores com excelentes resultados, sendo também defendido na doutrina cristã que segue os ensinamentos de Jesus que disse: “Onde duas ou mais pessoas estiverem reunidas em meu nome, ali eu estarei presente” e já mencionei que Jesus é também uma alegoria que representa o pensamento positivo e logo, um trabalho em equipe, tende ao fortalecimento individual que, com a sinergia de uma equipe, resulta em produtividade.
Digo que “master mind” ou mente mestre, é uma ferramenta indispensável para o desenvolvimento das pessoas e das empresas e tal fenômeno só ocorre com trabalhos em equipe.
No entanto, em se tratando de desenvolvimento espiritual a jornada é individual e cada um recebe o que merece em todos os níveis e por incrível que possa parecer, é a falta de emprego que tem levado ao despertar muitas pessoas. No desespero começam a rezar e estudar, temendo enfrentar a fome. Acabam descobrindo que é no desenvolvimento espiritual que está o começo de tudo.
Muitas pessoas começaram assim uma nova jornada, cheias de “FÉ, humildade, alcançando entendimento, compreensão e compaixão. Aprenderam a se perdoar, perdoar os outros e assim, esquecer as mágoas, baixando a cabeça e curvando-se diante do seu Criador com devoção, sem autossuficiência, erguendo-se depois carregadas do poder de realização, tendo o céu como limite.
É na humildade que está à arte do saber ouvir. Sabendo ouvir, respeitaremos nossos semelhantes e passaremos a aprender mais. Até mesmo a dividir aquilo que temos. Começamos com a solidariedade. Se não temos dinheiro, temos uma palavra, os braços, os olhos, os ouvidos, um gesto alegre, um sorriso, um carinho e assim por diante…
Enquanto habitar em nossos corações a arrogância, a avareza, os maus hábitos, os vícios, estaremos sujeitos aos piores e mais densos/baixos níveis que julgamos ser castigo. Deus não criou filhos para serem castigados.
Deus nos presenteou com o “livre arbítrio” e estamos sempre diante de uma escolha.
Podemos optar pelo imediatismo e a comodidade de colher onde não semeamos ou fazer de forma correta, dentro dos princípios de “verdades milenares” que achamos mais cômodo ignorá-las. Basta um pouco de coragem para olhar num espelho e reconhecer que a nossa frente está o verdadeiro responsável por tudo que está acontecendo. E, uma vez assumida esta responsabilidade, saber que na sua frente está à única pessoa capaz de solucionar todos os seus problemas.
Para tanto é preciso fazer um juramento de jamais enganar aquela pessoa que te olha de frente no espelho. Aquela que conhece com transparência todos os seus atos. Devemos firmar um propósito de começar imediatamente a fazer tudo o que tem que ser feito para iniciar uma mudança. Não adianta arrumar desculpas.
Desculpas não contam diante de um propósito de mudança. O que vale mesmo é o resultado. E o bom resultado precisa ser alcançado a qualquer preço, desde que dentro da “regra de ouro”. Às vezes, se faz necessário correr sangue em mãos calejadas.
Sem preocupações, pois, mesmo que nada seja fácil, também nunca será difícil, já que tudo é simples, bastando apenas o nobre gesto do “fazer” (praticar), sendo que o segredo é começar e começar já!!!
A base é mesmo a prática! Saiba que você passará a agir de forma diferente e poderá ser taxado de babaca, puxa saco, banana e outros predicados que não são comuns para quem vive dentro da “ótica do mundo” com medo da crítica e fazendo o que a grande maioria faz.
Quem faz o que vem fazendo a maioria, terá por consequência o que a maioria têm. O que você está buscando agora, difere muito do que a grande maioria têm. Estes fazem parte daqueles 80% (oitenta por cento) da humanidade, ou seja, os que vivem dentro da “ótica do mundo”. Você precisa ter como meta, alcançar o que está reservado aos 5% (cinco por cento), aqueles que vivem na “ótica do sucesso”.
Sinta-se preparado para romper a barreira dos indecisos que já alcançaram a faixa dos 15% (quinze por cento), mas permanecem estagnados. Dentro destes 15% (quinze por cento), percebe-se consideração pela família, o gozo de boa credibilidade (o que é um privilégio), mas, nem sempre o respeito pelos direitos alheios são cultivados, já que ainda são predominantes algumas falhas de caráter que proporcionam frequentes oscilações, semeando muita insegurança aos seus dependentes.
Na realidade a conquista da “ótica do sucesso” nunca foi fácil. Mas também não é difícil e como escrevi antes, é simples.

Basta pôr em prática tudo o que você se propôs na frente do espelho, baseado nas teorias que sabe ou serão aprendidas com o novo hábito de ler e ouvir seus semelhantes. Comece lendo em torno de cinco minutos por dia e vá aumentando de forma gradativa. Tome cuidado o com a overdose. Não tente tirar o atrasado de uma só vez. Normalmente nas primeiras leituras, suas vistas irão arder, sua capacidade de interpretação de texto é baixa, podendo, quando atingir cinco linhas, já ter esquecido o que leu anteriormente, mas, não se preocupe é assim mesmo. É preciso treinar. É como dirigir pela primeira vez. Tudo vai se ajustando com o tempo.
Nunca esqueça de que a fórmula para se chegar ao sucesso é a soma da “teoria mais a compreensão e mais a prática”. Não adianta ler um livro inteiro sem ter a certeza de que entendeu tudo ou pelo menos a essência. Ressalto aqui a necessidade de ir colocando em prática de imediato, tudo que for entendendo. Procure apoiar-se em pessoas mais esclarecidas. Seja humilde, tire suas dúvidas e peça recomendação sobre bons livros. Também não tenha pressa. Quando plantamos algumas mudas de grama, nunca ficamos olhando permanentemente para ver o gramado fechar. Apenas regamos e esperamos que a grama cresça no seu tempo certo. Faça sua parte que por certo, seus resultados aparecerão também, no tempo certo. Apenas continue regando-se de sabedoria. Sabedoria é colocar em prática tudo de bom que se aprende. De nada adianta ser uma enciclopédia ambulante se nada põe em prática. Isso é até perigoso, porque a pessoa pode ficar frustrada diante de tanto conhecimento e nenhum resultado. Nunca se iluda em pensar que todas as pessoas que possuem muitos bens materiais são “sucesso”. Para uma pessoa ser “sucesso”, precisa ter as características antes descritas, ou seja, viver dentro da “ótica do sucesso”.

VISÃO HOLÍSTICA
Mencionei (no start de aquecimento) que Deus, o Pai habita em nós na forma de centelha Divina, nos ligando ao universo como “um todo” e parafraseando Deepak Chopora, afirmo que devemos ter consciência de que tudo está ligado com tudo e que nada acontece por acaso. Nenhuma pessoa pode tomar uma atitude qualquer sem estar interferindo no universo como “um todo”. O mundo é o que é porque existimos. Vejamos. Para quem é casado: De quem seria sua mulher se você não existisse?
E se têm filhos, de quem seriam? Ou simplesmente devemos ignorar a influência dessa família no universo? O que não é possível! Existimos hoje no reino humano. Sabemos da existência de outros reinos e podemos visualizar o mineral, vegetal, animal e humano. Segue-se uma sequência hierárquica de reinos e planos como: Físico, Astral, Mental, Búdico, Nirvânico, Paranirvânico, etc., onde temos também Querubins, Serafins, Anjos, Arcanjos, Cristos e outras divinas hierarquias, cujo conhecimento pode revelar nossa origem.
A visão holística nos coloca em meio a todos esses mistérios, no entanto, é prudente focar no mundo físico de terceira dimensão que é nosso terreno. Conhecemos algumas formas de vida e sabemos da importância do oxigênio na manutenção delas, percebendo nossa parcela de responsabilidade para preservá-las. Então sempre que ouvimos falar de ecossistema, devemos mergulhar na abrangência da palavra. A superficialidade que estamos habituamos a viver tem nos distanciado em muito da visão holística.
Cada atitude merece seriedade diante da visão holística, porque nosso planeta pede socorro e não podemos simplesmente ignorar, levando uma vida inconsequente. Cedo ou tarde pagaremos o preço por tudo que semeamos. Logo um líder deve ser holocentrado, buscando muito conhecimento para atuar, lembrando que sua atitude está influenciando em tudo, desde o ecossistema até os níveis quânticos dos seus colaboradores e todos os seres vivos. E para quem ainda não assumiu nenhuma liderança, sugerimos uma boa reflexão, pois talvez seja por falta de uma visão holística para administrar sua existência com mais eficiência, seriedade e disciplina.
Deixo aqui a oração da sabedoria: “Concedei-me Senhor, a força necessária para mudar as coisas que podem ser mudadas, paciência para aceitar as que não podem, e discernimento para saber a diferença entre elas”.

A DEPRESSÃO
Sei que até aqui, nada trago de novidades. Porém, o meu propósito permanece porque aprendi na prática que ninguém ensina ninguém e que somente aprendemos quando fazemos. Em minha luta para pôr em prática o que aprendi, enfrentei inúmeras dificuldades, principalmente quando me deparei com o estado de depressão. Qualquer um pode facilmente alcançá-lo se viver dentro da “ótica do mundo”. O estado de depressão, nem sempre pode ser diagnosticado, devido aos mecanismos que usamos como disfarces e muitas vezes até mesmo pela falta de humildade para deixar transparecer. O fato é que se trata de uma realidade e precisa ser encarada. Nossos milhões de neurônios precisam de comunicação e entre uma e outra célula nervosa, existem espaços com líquidos não condutores que interrompem a corrente elétrica. Esta interrupção é ultrapassada por partículas (neurotransmissores) que são lançadas de uma célula para outra num fantástico mecanismo, permitindo que a comunicação seja efetivada (sinapse). O estado de depressão interfere diretamente na produção e movimentação destas partículas, provocando um raciocínio lento e ainda voltado para pensamentos que tem por objetivo neutralizar a vítima. É uma situação tão delicada que mesmo quando diagnosticada e medicada, a vítima pode levar mais de quinze (15) dias para apresentar as primeiras reações positivas.
A “FÉ/Força de vontade”(espiritualidade), atua aqui como o principal medicamento. Ela ficará persistindo permanentemente para que a vítima tome iniciativas para continuar lutando e levantando a cabeça rumo a novos objetivos.
Diante da depressão, mesmo com pensamentos positivos o organismo não responde aos movimentos solicitados e isso também se torna um hábito com o perigo de entrar num ciclo vicioso que pode levar a estados crônicos de depressão profunda. A “FÉ” vai agir continuamente, contrariando o desejo do corpo de permanecer improdutivo e acomodado, curtindo mágoas e/ou sentimentos de culpa. Diante desta situação, as primeiras reações serão mecânicas e precisarão ser fortalecidas em muitos aspectos para vencer a força interna que se manifesta, defendendo a permanência na depressão, resistindo a mudanças. Por esta razão, iniciei com o “Start de Aquecimento”, expondo meu entendimento sobre o Reino de Deus que habita em nós.
Muitos comunicadores temem fazer da forma simples e escancarada que escrevi, pela necessidade de vender seus livros. O que chamei de “Start de Aquecimento” é na realidade a principal ferramenta para combater a depressão. Pois, uma pessoa quando consciente de que é um “Templo Sagrado” e que o poder da realização habita nela, pode facilmente sentir-se fortalecida, feliz e capaz de enfrentar qualquer obstáculo. E mais ainda, fazendo uso repetidas vezes da seguinte afirmação: “Tudo posso, NAQUELE que me fortalece” (São Paulo/Filipenses 4:13).
Estou mencionando mais uma vez o “Start de Aquecimento”, porque passei por isso e, em meus treinamentos e atendimentos, percebo que qualquer pessoa pode arranjar milhares de desculpas para justificar sua falta de iniciativa, diante da necessidade de fazer uma caminhada, participar de um curso, ouvir uma palestra ou ler um bom livro. Mais difícil ainda é fazer uma caridade, orar ou praticar o silêncio a ponto de chegar no estado de meditação.
Falamos da depressão por tratar-se da principal causa que mantém as pessoas afastadas da autoestima, provocando muita demora na recuperação de qualquer derrota temporária que muitos preferem chamar de fracasso. Vamos então levantar a cabeça e sair do chão na busca de tudo que possa nos levar adiante para conquistarmos a tão sonhada “ótica do sucesso”.

CAMINHO PARA O SUCESSO
Teoria + Compreensão + Prática = Sucesso.
Frases positivas que purificam a mente…
Repetir muitas vezes por dia para possibilitar mudanças de hábitos.
Principalmente para quem se sente perseguido pelo fantasma da depressão.
– Sou muito importante, por isso, acredito em mim!
– Faço tudo de forma linda, com arte, beleza e amor!
– Estou em paz com todas as pessoas. Por isso, somente tenho amigos!
– Estou 100% positivo! Estou 100% positivo. Estou 100% positivo!
– A cada dia que passa, estou cada vez melhor!
– Penso grande, forte e positivo!
– Sou hoje melhor que ontem e amanhã melhor que hoje!
– Sorte é o encontro da preparação (conhecimento) com a oportunidade!
– Sou feliz, inteligente e vivo sempre positivamente!
(Ismael cordeiro Jr, Lauro Trevisan e Anthony Robins)

SILÊNCIO
O Segredo da Realização.
Uma vez conscientes da nossa potencialidade, precisamos aprender como acioná-la. O segredo de tudo está no vazio, o silêncio. Somos um satélite ambulante, transmitindo e recebendo informações codificadas de acordo com a frequência e sintonia que atingimos. Somos o que somos e não como estamos. Estamos como pensamos que somos. Nosso cérebro se programa por imagens e se faz necessário que a nossa imagem esteja focada e relacionada ao sucesso, para que nossa mente possa processar nosso desejo. Sempre que possível, procure fotografar-se ao lado de bons carros, com as melhores roupas e postura de uma pessoa tranquila e realizada. Não permita que seu cérebro tenha acesso a imagens deste tipo, somente com outras pessoas, porque corre o risco de ficar caracterizado em sua mente inconsciente que o sucesso não pertence a você. Ativamos nosso satélite de forma consciente e inconsciente. Se temos em nível consciente um desejo de vitória, pode ter em nível inconsciente forças para neutralizá-la, provocada por programações negativas ou imagens oriundas de preocupações e medos.
Como o vazio (silêncio) é a fonte de tudo, devemos em nível consciente ativar todas as forças disponíveis que possam induzir nosso inconsciente também a alcançá-lo. Nosso satélite, precisa estar transmitindo para a consciência universal um desejo permanente de vitória. Quando falei antes, que tudo está ligado com tudo e que nada acontece por acaso, estava abrindo caminho para esta revelação. “É através do silêncio que atingimos o processo da realização”. Conectando-nos com a “consciência universal” no vazio do silêncio, acionamos os eventos correlacionados, onde as divindades tomam as devidas providências para que tudo aconteça. O vazio do silêncio é o que se pode chamar de meditação. Mais de 90% das nossas energias são consumidas pela nossa empáfia, defendendo pontos de vista que servem apenas para alimentar nossos egos. Passamos o tempo todo pensando e na maioria das vezes julgando, rotulando. Se é gordo ou magro, bonito ou feio, barato ou caro, alto ou baixo, rico ou pobre, sexy e segue….
Se fizermos um gráfico dos nossos pensamentos com todas as oscilações, entre as linhas que sobem e descem na dualidade, segundo nossos conceitos, por mais juntos que possam estar numa enxurrada de pensamentos, sempre restam uns poucos espaços vazios que através da metafísica se pode imaginar, só que são minúsculos e estão também entre uma e outra respiração. Resumindo, temos pequenos espaços entre nossos pensamentos e respirações, onde nossa mente esta serena (vazia). Se pode atingir a conexão com a consciência universal, apenas com a serenidade da mente. Daí a importância do silêncio. Nossas realizações vão se projetando somente através destes pequenos espaços e como são minúsculos, por consequência temos uma vida cheia de inseguranças e dificuldades. Passarei no final alguns exercícios de respiração. Estes são necessários para promoverem uma melhor oxigenação das células e principalmente dos neurônios (cérebro). Deverão ser seguidos de uns mantras e alguns minutos ou horas de silêncio para possibilitar o silêncio mental (meditação). É recomendado, mentalizar seus objetivos (intenções), antes de entrar no silêncio.
Aqui também alertei para os perigos que rondam aqueles que não cultuam nenhuma fé religiosa ou crença numa divindade.
Se atingirmos um ponto, onde paramos de pensar, é positivo porque paramos de julgar, e perigoso porque ficamos indefesos e expostos aos espíritos enganadores (energias subversivas) que poderão passar falsas orientações para níveis inconscientes.
A segurança, portanto, está na oração e na entrega do seu Templo ao Criador.
Existem muitas formas de se fazer estes exercícios. Na Bíblia, em Mateus 6, 6 temos: “Quando orares entra no teu quarto (no interior do Templo) feche a porta (desligue-se de tudo) e ora ao teu Pai em segredo; o teu Pai que vê num lugar oculto, recompensar-te-á”.
Normalmente estamos com nossa mente num estado turbulento e perdemos o contado com a consciência universal. A mente serena pode ser compara a um oceano quando está calmo e sem vento. Se jogarmos uma pequena pedra, podemos ver as marolas que se formam na calmaria das águas e quase todo ser humano aprecia tal cena, onde quer que encontre águas paradas. No entanto, quando o mar está agitado e com altas ondas, podemos jogar uma pedra com dez vezes o nosso peso que nenhuma alteração será percebida dentro da turbulência das águas. O mesmo acontece com nossas intenções, quando as lançamos na consciência universal através dos pensamentos e imaginações (intenções).
Todas as pessoas são dotadas de poderes para alcançarem o sucesso, porém, precisam ter acesso aos mecanismos do processo. Daí a necessidade de estudar sempre. Buscar conhecimento é um caminho sem volta. Recomenda-se também, fazer diariamente, no mínimo trinta minutos de silêncio pela manhã e a noite antes de dormir. Se eu tivesse aqui a pretensão de expor todo o conhecimento disponível para se alcançar proteção no meio dessa selva de desentendimentos, chegaria a milhares de páginas e mesmo assim, ficaria devendo uma fórmula mágica que não exigisse a prática. Trata-se de um processo gradativo e evolutivo que exige um constante aperfeiçoamento porque em paralelo, temos que administrar os efeitos da globalização que vem nos mostrando mais claramente que já não se podem tomar decisões isoladas. A competitividade está acirrada e só vimos espaço para pessoas que estão dispostas a encarar a realidade da vida. Há muito dispomos das informações necessárias e hoje, em tempo real, podemos acessar quase todo o planeta. Diante de tantos avanços tecnológicos, não podemos ficar acomodados por falta de conhecimentos básicos que são milenares e esperar que alguém possa nos dar oportunidade em meio a tanta competitividade.
Que estamos muito longe do ideal, já sabemos. O que não justifica é deixarmos para amanhã o que já deveríamos ter começado há muito tempo. Precisamos criar vergonha na cara ao olhar para o espelho, assumindo o compromisso de começar já e não recuar jamais ao marasmo de deixar que as coisas simplesmente aconteçam. Vamos levantar a cabeça e lutar, deixando de lado as queixas e lamentações como se fôssemos vítimas de atitudes dos outros. A responsabilidade do que somos hoje é nossa e somente nós mesmos seremos capazes de superar os obstáculos que nos rodeiam. Aqui vale relembrar uma frase de Dale Carnegie “Não critique, não condene e não se queixe”. Vamos trabalhar e estudar, que provavelmente surgirão aquelas tão sonhadas horas de lazer que nos julgamos merecedores. E assim, se na tranquilidade e certeza do dever cumprido, seguir adquirindo seus bens, dentro da regra de ouro e administrando seus ganhos sempre de forma justa, tornarás o patrimônio protegido, divinamente dentro do que considero propriedade de FATO e não apenas de direito.

ALGUMAS DICAS DE EXERCÍCIOS PARA RESPIRAÇÃO.
Para melhorar a oxigenação do organismo, lembro que os pulmões são dimensionados de acordo com a estatura de cada pessoa e precisam de acionamento completo a cada respiração e o exercício que segue se deve aplicar até adquirir o hábito de uma respiração semelhante no seu cotidiano.
Inspirar profundamente contando seis segundos e reter o ar com os pulmões completamente cheios numa contagem de três segundos.
Depois expirar contando até seis segundos, esvaziando por completo os pulmões e mantendo-os vazios por três segundos. Em seguida reiniciar o processo.
Sentirá um mal estar logo em seguida por falta de hábito pelo volume de oxigênio processado, devendo retornar sua respiração habitual para estabilizar-se e dar continuidade no exercício imediatamente. Sempre que estiver caminhando lembrar-se do exercício, devendo fazê-lo utilizando os passos para a contagem, tendo em vista cada passo corresponder a um batimento cardíaco, dando melhor precisão ao processo desejado.
Sempre que se sentir com ansiedade ou aquele nervosismo da expectativa no desafio de fazer algo novo, pode respirar profundamente até sentir seus pulmões cheios e reter o ar por uns quinze a vinte segundos, depois expirar lentamente, repetindo o processo algumas vezes que trará seguramente mais estabilidade e naturalidade.
Para se iniciar os treinamentos de como alcançar o silêncio, segue um dos inúmeros exercícios de respiração recomendados:
Inspirar profundamente numa contagem de até oito segundos enchendo por completo os pulmões, retendo por oito segundos, expirando devagar numa contagem também de oito segundo e mantendo-se no vazio por oito segundos. O que se pode chamar de quadradinho (8×8). Repetir por pelo menos dez vezes. Gradativamente ir ampliando o quadradinho, conforme suas possibilidades até uma marca de uns 20×20 segundos. Após o quadradinho, entoar o mantra OM……por pelo menos três minutos, seguidos do mantra IOA….ou III… OOO…AAA… iniciando com dez vezes por algumas semanas e ir gradativamente aumentando até chegar a 30 vezes cada vogal. Seguido de silêncio por alguns minutos segundo sua disponibilidade.
Recomenda-se entoar pelo menos uma vez por dia a sequência dos seguintes mantras: LAM… VAM… RAM… IAM… HAM… AUM… OM… por dez vezes.
Se fôssemos esclarecer aqui apenas o básico sobre respiração e mantras, fatalmente dobraríamos as páginas deste livro. Nos restando no entanto, deixar a disposição dos nossos leitores que estão dispostos a seguir adiante nesta promissora jornada o nosso site: www.motivacao.org para complementar informações.

CONCLUSÃO
O que acabo de fazer foi apenas um ponta pé inicial que certamente irá provocar em muitos leitores à vontade de pelo menos tentar alguma mudança. O que já me gratifica.
Sei por experiência própria que, se mesmo carregado de boas intenções, colocasse neste volume uma quantidade de informações mais completas e abrangentes, estaria assustando alguns leitores que não tem por hábito a leitura e acabaria passando informações apenas para aqueles que estão mais desenvolvidos e já não se assustam com o volume das páginas de um livro.
Concluindo ressalto os principais ensinamentos aqui descritos:
Como objetivo principal, me propus a mostrar como ampliar e proteger nosso patrimônio, afirmando que precisamos transformar tudo que possuímos em bens de FATO porque podemos possuí-los apenas por direito, o que na realidade, pertence ao mundo se não os adquirimos por méritos, segundo a justiça divina dentro da regra de ouro.
Alertei que nossa conduta ao longo da existência pode nos levar a conquista da felicidade plena e a conhecer o verdadeiro AMOR. O AMOR incondicional. Isento de trocas, apego e negociações. Essência divina! Falei que o AMOR incondicional é difícil de ser descrito, mas, que está ao alcance de todos que resolverem caminhar com disciplina e seriedade.
Uma vez conhecido o verdadeiro AMOR, está aberto o caminho para o encontro do talento, cuja missão é colocá-lo a serviço de humanidade e que na proporção da eficiência na prestação de serviços ao universo às recompensas virão em abundância e/ou sucesso.
No “Start de Aquecimento” passei o entendimento de que somos um “Templo Sagrado” e que a Santíssima Trindade habita em nós, sendo o Pai representado pelo Dom da Vida, Deus, porque Deus é vida; o Filho, a manifestação dos nossos pensamentos positivos e atitudes, segundo os ensinamentos de Jesus o Cristo; e o Espírito Santo como a Fé inabalável, o fogo que faz a fusão do pensamento com a ação, ativando o poder da realização. Sobre o Espírito Santo se tem muito a falar por tratar-se da maior força já conhecida no universo, sendo a única capaz de gerar vida que será assunto de outro livro. Passei meu entendimento de que, se vivermos dentro da “Ótica do Mundo”, segundo o Prof. Ismael Cordeiro Jr., acabaremos nos transformando em inconscientes ladrões, devendo então procurar ativar nossa “FÉ” para iniciar a transformação da mentalidade, precisando policiar os hábitos negativos e trocá-los por positivos, aprender a aplicar a Lei dos Grandes Lucros que é fazer mais do que é pago pra fazer, se chegando depois a conquista da “Ótica do Sucesso”.
Passei superficialmente pela visão holística, alertando para a necessidade da conscientização sobre a influência das nossas atitudes no universo como um todo. Abordei também um pouco sobre o fantasma da depressão, ressaltando os problemas da complexidade na sinapse que é a passagem dos neurotransmissores por líquidos não condutores, entre os neurônios (células nervosas). Trata-se da comunicação que possibilita a propagação dos pensamentos. Vimos que nosso sucesso depende da soma da teoria, mais a compreensão, somada à prática.
Mencionei a importância do “trabalho em equipe” e da lei da fusão de mentes (Master Mind) que possibilita a formação da Mente Mestre, sendo aconselhável aplicar em grupos de até treze pessoas. Mas, que se pode aplicar também em grupos maiores.
Ressaltei também a importância do silêncio que possibilita alcançar o vazio que é fonte de criação, passando alguns exercícios de respiração para melhorar a oxigenação do organismo e mantras que ajudarão na purificação da mente, visando despertar coragem para o inicio de uma nova jornada.
Preciso deixar bem claro que minha filosofia, está longe de ser tendenciosa, defendendo uma ou outra religião. Aprendi na prática que cada pessoa precisa de uma religião que funciona como sendo um jardim de infância no seu desenvolvimento espiritual. Se faz necessário conhecer sua religião a fundo. Se eventualmente a sua religião deixar a desejar, depois de um minucioso estudo, não perca tempo. Procure outra entre tantas que existem e não fique pedindo opiniões. Saiba que uma troca pode gerar conflitos internos. Nunca se deixe levar pelos outros. Procure também não rotular as pessoas pelas suas crenças. Considere cada ser humano pelo que ele é, e não pelo que ele faz. Somos todos iguais no que se refere à criação e devemos respeito uns pelos outros. Podemos até não concordar com atitudes de muitas pessoas, o que não nos dá o direito de sairmos rotulando e criticando. O que precisamos fazer é agir de forma coerente, sendo exemplos vivos de boa conduta. Não podemos sair por aí, dando conselhos para quem não pede e muito menos ensinando àqueles que não querem aprender. Sendo verdadeiros exemplos é que podemos arrastar multidões. Coisa que as palavras poderão somente comover sem o efeito necessário para provocar mudanças que só o exemplo pode arrancar.
Na caminhada para a conquista de um patrimônio que possa ser seu de FATO, é muito provável que sejam necessários alguns anos de trabalho e minuciosos estudos que o levarão a descobrir diversos caminhos e através da prática do silêncio poderá receber a devida orientação. Só não pode esquecer jamais o valor que precisa dar ao seu corpo, cuidando da sua aparência porque é um “Templo Sagrado”, merecendo respeito e saúde acima de tudo. Depende de cada um, livrar-se dos vícios que levam aos prazeres que danificam a morada desta divindade que é “você!”
Egídio Garcia Coelho

Bibliografia: A Lei do Trunfo de Napoleon Hill; As Sete Leis Espirituais do Sucesso de Deepak Chopra; A Paz Interior de Joseph Murphy; Inteligência Emocional de Daniel Goleman; Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas de Dale Carnegie; Como Evitar Preocupações e Começar a Viver de Dale Carnegie; Liberte Seu Poder Extra de Pedro A. Crisa; A Universidade do Sucesso de Og Mandino; O Poder sem Limites de Anthony Robins, Algumas Obras de Lauro Trevisan e muitos outros…

www.holospa.com.br
Egídio Garcia Coelho
Enviado por Egídio Garcia Coelho em 17/05/2005
Reeditado em 25/11/2016
Código do texto: T17623
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Egídio Garcia Coelho). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Egídio Garcia Coelho
Rancho Queimado - Santa Catarina - Brasil, 60 anos
298 textos (200575 leituras)
11 áudios (4598 audições)
4 e-livros (73 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 05:00)
Egídio Garcia Coelho