Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Artimanha da Arte


Instala-se vagarosamente
O que as palavras ocultam
Inominadas, tocam
Mas dizem nada
Parece que deslizam transparentes
À feição de gritos d’alma
Mas nem chegam a nascer
Calam-se intocadas, hesitantes...

Venenos poéticos quiçá
Prezam o deboche
Porque extraem todo um “clima”
Um ar estranho e rancoroso
De algo maravilhoso
Miseravelmente!

Será que jamais terá fim?

Se o trono se quebra
Rir-se-á da maldade infinda
De um privilegiado cérebro
Habitado de tudo que é oco, enfim.

Será esse o grau da sensatez humana
Quando analisa o significado das palavras
Extrapolando dos poetas
Que dá significado ao mundo
Como arte pura e simplesmente
E não mais eles, enquanto seres?
Miguel Eduardo Gonçalves
Enviado por Miguel Eduardo Gonçalves em 28/07/2006
Código do texto: T203832
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Eduardo Gonçalves
São Paulo - São Paulo - Brasil
909 textos (30689 leituras)
1 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 10:34)
Miguel Eduardo Gonçalves