Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desencana que a vida engana

"Desencana que a vida engana" Ouvi isso ontem e fiquei pensando no quanto essa simples brincadeira pode ser verdadeira e cruel ao mesmo tempo. É isso mesmo, pena que a gente não desencana, assim continuamos a sofrer pelo que a vida nos engana. Tenho aprendido muito com minha filha, acho que todos nós aprendemos muito com nossos filhos, a minha Ju tem sido além de uma amiga preciosa, uma confidente paciente, e uma incentivadora do meu bem estar, do meu trabalho, dos meus sonhos.
Ela é a autora do título da minha crônica * Sorriso ecológico* já que a idéia central também nasceu dela, que vive fazendo graça ao meu redor para me tirar da tristeza. Minha Ju além de ficar a minha volta tentando me alegrar com coisas engraçadas, vive querendo me arrastar para cinema, shopping, para coisas que possam me fazer desligar um pouco do marasmo que tem sido essa minha prisão.
Tá certo que na maioria das vezes não acompanho suas idéias, não dou ouvidos aos seus convites pois estou fechada no meu mundo, e honestamente prefiro continuar, tenho cá comigo meus planos, minhas metas, e minhas dores, das quais nem sempre as pessoas podem compreender, por mais que queiram. Gostaria de "desencanar" em muitas coisas, realmente a vida engana, e muito, e de tal forma que quando chegamos a uma certa altura dela é que percebemos o quanto estamos sufocados, e o que fazer? Não há caminhos para seguir em frente, ou não conseguimos enxerga-los, não há caminhos de volta.
Na verdade somos quase como rios, não fazemos o caminho inverso nunca, mas ainda temos que aprender a contornar os obstáculos e seguir em frente como fazem os rios.
 Como desencanar? Se rios não pensam, não tem sentimentos, embora tenham vida não são movidos pelos mesmos motivos que nós, e ainda que sempre busquemos os mares, nem sempre sabemos contornar as pedras.
Nas variantes que a vida nos oferece, talvez por pura sacanagem, quantas vezes nos perdemos, e o curso real traçado nem sempre chegamos a conhecer, ou saber se é o original porque ele se apresenta como original, ou desembestamos nele por nossa afobação ou ignorância.
Na verdade somos "encanados", realmente pelos enganos que a vida nos oferece, e quantas vezes só vamos descobrir, quando já não temos mais forças para prosseguir, ou faltam motivos pra buscar os objetivos.
Madrasta é a vida, e nunca aceitarei defesa em favor dela nesse sentido, pois que tem sido minha algoz, e ainda que eu tenha uma fé razoavelmente forte, porque senão não estaria aqui para contar e cantar minhas alegrias e dores, estou em pé de guerra com ela, ou ela me alivia a carga ou eu me esquece de vez.
"Desencana que a  vida engana" cruel e verdadeiro, a geração de nossos filhos define em pouquíssimas palavras o que levamos páginas e páginas escrevendo, e muitas vezes nem somos compreendidos.
Assim é a comédia da vida real, ria se puder, porque ela está aí rindo da gente o tempo todo.
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 29/05/2005
Código do texto: T20573

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55633 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 14:56)
Angélica Teresa Almstadter